Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.

ABIMOTA

ABIMOTA promove passatempo de partilha de imagens

ABIMOTA Logo

A iniciativa integra-se nas comemorações da Semana Europeia da Mobilidade e vai decorrer até ao próximo dia 22.

O passatempo destina-se a todos quantos fazem das imagens e da bicicleta paixão e decorre nas paginas que a ABIMOTA detém nas redes sociais.

Participar é fácil, basta partilhar fotografias ou vídeos de pequena duração e as imagens que recebam mais “gostos” são as vencedoras.

Este passatempo integra-se nas comemorações da Semana Europeia da Mobilidade e termina às 23h59m do próximo dia 22 de Setembro, Dia Mundial Sem Carros.

A bicicleta é, cada vez mais, um veículo fundamental na mobilidade diária e Portugal está na vanguarda deste novo paradigma de mobilidade.

As alterações de comportamentos em termos de mobilidade notam-se. Cada vez mais os consumidores optam por uma mobilidade descarbonizada e cada vez mais a bicicleta deixa de ser um objecto de lazer, para ser um veículo de utilização diária e com forte tendência para aumentar.

Além disso, em tempos de pandemia, cada vez mais o público, nomeadamente o norte europeu, está a optar pela bicicleta em detrimento dos transportes públicos, onde o distanciamento social não pode ser respeitado.

Segundo dados recentemente fornecidos pela Eurostat, Portugal colocou-se como o maior produtor de bicicletas da Europa, com 2,7 milhões de unidades.

ABIMOTA photo Day3

 

abimotw rodape

ABIMOTA vence European Enterprise Promotion Awards

ABIMOTAHorizontal

Os European Enterprise Promotion Awards (EEPA), uma iniciativa da Comissão Europeia alinhada com as prioridades da estratégia Europa 2020 e coordenada em Portugal pelo IAPMEI, distinguem iniciativas identificadas como boas práticas de promoção empresarial, em várias áreas, em função da especificidade do seu contributo para o desenvolvimento económico e o emprego das regiões. (fonte IAPMEI)

Para a ABIMOTA -  Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins, “este prémio espelha o reconhecimento do trabalho desenvolvido em prol do setor das duas rodas nacional e da mobilidade suave”.

Portugal Bike Value,  programa que promove o setor português além fronteiras e Portugal enquanto destino de excelência para investidores que querem apostar na produção de bicicletas, é uma “ferramenta” fundamental para a promoção do setor, ao se afirmar como “marca guarda-chuva” das empresas portuguesas.

Dois mil e dezanove foi um marco para as “duas rodas portuguesas”. Com mais de 2,7 milhões de bicicletas produzidas, Portugal assumiu a liderança entre os produtores europeus de bicicletas.

“É com grande orgulho que recebemos este prémio na ABIMOTA, mas não podemos deixar de o partilhar com todos quantos apostam e diariamente estão na primeira linha da produção. Dois mil e dezanove foi um bom ano e acredito que apesar de todas as dificuldades que 2020 apresenta, temos margem para ainda crescer.” Refere Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

“A mobilidade suave está na ordem do dia, a bicicleta é um dos motores da mobilidade no pós-confinamento, a Comissão Europeia ainda recentemente reforçou o apoio à bicicleta e neste segundo semestre há empresas do setor cuja produção está a crescer a dois dígitos, fruto da enorme procura, mas também da grande capacidade que as empresas nacionais e instaladas em Portugal detêm.” Rematou o dirigente da ABIMOTA.

biteofportugal2  Ação de promoção de Portugal Bike Value integrada em Eurobike 2019 (Arquivo 2019)

aicep Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA, com Miguel Crespo, representante de AICEP Berlim (Arquivo 2019)

abimotw rodape

PORTUGAL LEADS EUROPEAN BICYCLE PRODUCTION

ABIMOTAHorizontal

Data released by Eurostat place Portugal as number one in bicycle production, with 2.7 million units produced in 2019.

In 2019, the EU produced more than 11.4 million bicycles, an increase of 5% over the previous year and 10% above the numbers produced in 2014.

Among the EU Members, Portugal became the largest bicycle producer in 2019, manufacturing 2.7 million bicycles, followed by Italy (2.1 million), Germany (1.5 million), Poland (0.9 million ) and the Netherlands (0.7 million).

Together, these five countries represent 70% of the EU's total bicycle production in 2019.

The current national leadership among the European bicycle producers is the result of an intense work program developed by the industries and by ABIMOTA, as an association that represents the sector, in order to promote the Portuguese bicycles production.

The creation of Portugal Bike Value, a program that aims to promote the Portuguese product abroad and attract foreign investment to Portugal, was a milestone for the sector, as it endows it with data and capabilities that allow greater competitiveness and pursuit of common objectives.

From the Portuguese point of view, 2019 was the best year ever for the sector, which closed with 402 886 329.00 Euros, only in exportations.

In the beginning of 2020, some Portuguese companies registering production growth of around 400% and despite the closure that the industries had to respect during the period of social isolation motivated by the fight against COVID-19, and after the resumption of the activity, everything indicates that this number ratio will be maintained, according to ABIMOTA's forecasts.

 Production of bicycles in the EU 2019  Bike2

abimotw rodape

Portugal Lidera Produção Europeia de Bicicletas

ABIMOTAHorizontal

Dados divulgados pelo Eurostat colocam Portugal como número um na produção de bicicletas, com 2.7 milhões de unidades produzidas, mais 600 mil que Itália, que ficou na segunda posição em 2019.

Em 2019, a UE produziu mais de 11,4 milhões de bicicletas, o que representa um aumento de 5% em relação ao ano anterior e 10% acima do número produzido em 2014.

Entre os Estados-Membros da UE, Portugal foi o maior produtor de bicicletas em 2019, fabricando 2,7 milhões de bicicletas, seguido da Itália (2,1 milhões), Alemanha (1,5 milhões), Polónia (0,9 milhões) e Países Baixos (0,7 milhões). 

Juntos, esses cinco países representaram 70% da produção total de bicicletas da UE em 2019.

A actual liderança nacional na tabela dos produtores de bicicletas europeus é fruto de um intenso programa de trabalhos desenvolvido pelas indústrias e pela ABIMOTA, enquanto associação que representa o setor, no sentido de promoverem as duas rodas portuguesas.

A criação de Portugal Bike Value, programa que visa promover o produto português além-fronteiras e captar investimento estrangeiro para Portugal, foi um marco para o setor, pois dota-o de dados e capacidades que permitem uma maior competitividade e prossecução de objetivos comuns.

Sob o ponto de vista nacional 2019 foi o melhor ano de sempre para o setor, que fechou com 402 886 329,00 Euros, só em exportações.

No início de 2020, havia empresas a registarem crescimentos de produção da ordem dos 400% e pesar do fecho que as indústrias das duas rodas nacionais, tiveram que respeitar durante o período de isolamento social motivado pelo combate ao COVID-19 e após a retoma da actividade, tudo indica que esta razão de números se vai manter, de acordo com as previsões da ABIMOTA.

Production of bicycles in the EU 2019  fab bici

abimotw rodape

O ciclismo na evolução no plano de recuperação da UE COVID-19

Bruxelas, 2 de junho de 2020

Na semana passada, as associações europeias ligadas à bicicleta deram um passo importante para o setor na agenda da EU, como um modo de transporte igual ao setor automobilístico e ao transporte público.

Numa conferência de imprensa, o vice-presidente executivo da Comissão, Frans Timmermans, anunciou que a utilização da bicileta deve fazer parte do novo financiamento para a mobilidade que será implementado pela UE, além de outras medidas, como carregamentos de automóveis elétricos e transporte público. O comissário holandês Timmermans é uma das figuras políticas mais proeminentes da UE e líder de todo o processo Green Deal dentro da Comissão, o que torna este, num compromisso de grande importância. Prevê-se que o pacote de mobilidade urbana seja da ordem de 20 mil milhões de euros e será entregue aos Estados-Membro através de fundos regionais da UE, com o objetivo de apoiar os desafios relacionados com a redução de poluição do ar, mudanças climáticas e  bem-estar dos cidadãos.

O anúncio segue a proposta da Comissão da UE da criação de um pacote para a bicicleta de 13 mil milhões de Euros destinados a infra-estruturas e acesso a bicicletas elétricas distribuído por seis associações (CIE, CONEBI, ECF, ECF, ECLF, IMBA EU e EBMA), acompanhadas por atividades intensivas de lobby público e privado em Bruxelas.

Manuel Marsilio, Secretário-Geral da CONEBI (Confederação da Indústria Europeia da Bicicleta) concordou: “Começamos a preencher a lacuna entre a utilização da bicicleta e outros modos de mobilidade na agenda da UE. Este apoio de alto nível é necessário para que a UE financie as autoridades locais e os governos nacionais relativamente a infra-estruturas de ciclismo, reduções de IVA, bonificações de compra de bicicletas e e-bikes, além de "pedalar" em desenvolvimentos de mobilidades urbanas inteligentes e conectadas. ''

Kevin Mayne, Presidente da CIE (Industrias da Bicicleta Europeias) , explicou a importância do anúncio. “O primeiro ponto é o nível em que o anúncio foi feito; este foi o cerne absoluto da formulação de políticas da UE, que é o primeiro passo para a utilização da bicicleta. Em segundo lugar, foi a clareza do endosso, a bicicleta é, juntamente com os outros modos, uma responsabilidade essencial da UE, não oculta na política de transporte local. Esta é uma grande inovação para o setor.”

Jill Warren e Morten Kabell, Presidentes da ECF (Federação Europeia de Ciclismo), disseram: “Isto é algo para comemorar ao entrarmos no Dia Mundial da Bicicleta em 3 de junho. Agora vamos usar a oportunidade de pressionar com medidas mais concretas, para andar de bicicleta, nas propostas de recuperação da UE e trabalhar com as nossas organizações e membros para garantir que os Estados-Membro estejam prontos para investir os fundos alocados em melhorias e incentivos à utilização da bicicleta, que atinjam os nossos objetivos de mais e melhor ciclismo para todos na Europa. ”

O pano de fundo da declaração de Timmermans foi a Comissão Europeia, que apresentou o seu plano de criar um fundo de recuperação em toda a UE após o surto de COVID-19 - colocando no coração o Green Deal (Acordo Verde Europeu). A ideia geral é dotar de liquidez as regiões da UE mais afetadas, cobrindo uma ampla gama de iniciativos que abordarão, antes de tudo, as emergências sanitárias e económicas.

O processo está longe de terminar porque esses anúncios precisam de se transformar em planos e orçamentos que podem ser distribuídos pela UE. As associações ligadas ao setor dizem que a bicicleta não estava na agenda da Comissão da UE para a recuperação há algumas semanas, mas agora deve ser capaz de competir por uma parcela justa dos financiamentos no plano de recuperação. Isso complementa uma ampla gama de anúncios em níveis nacionais e municipais que constatam o ciclo da bicicleta a recuperar-se mais rapidamente do que qualquer outro modo de transporte.

A discussão continua no dia 3 de junho, Dia Mundial da Bicicleta, quando a ECF estiver realizando o webinar “Repensando a mobilidade: pedalar para uma recuperação segura do COVID-19 e além” com os principais decisores e defensores do ciclismo.

Notas:

A carta de seis associações ligadas ao setor da bicicleta à Comissão da UE pode ser vista aqui: https://conebi.us12.list-manage.com/track/click?u=5fd5a8ccc285a563badcd9561&id=00b47a9da4&e=306445d98a

As seis organizações signatárias são: Confederação da Indústria Europeia de Bicicleta, Cycling Industries Europe; Federação Europeia de Ciclismo; Federação Europeia de Logística da Bicicleta; Associação Europeia de Fabricantes de Bicicletas; Associação Internacional de Mountain Bike Europa. 

O vídeo das declarações de  Frans Timmermans pode ser visto aqui: https://conebi.us12.list-manage.com/track/click?u=5fd5a8ccc285a563badcd9561&id=807da2a4b0&e=306445d98a

abimotw rodape

Comunicado

ABIMOTAHorizontal

41º GRANDE PRÉMIO ABIMOTA - CANCELAMENTO

A Direção da ABIMOTA deliberou cancelar a realização do 41º Grande Prémio ABIMOTA.

A prova já tinha sido suspensa devido às contingências impostas pela pandemia de Covid-19. No entanto, após análise ponderada, a Direção da ABIMOTA entendeu, face às indefinições que ainda existem para a realização deste tipo de eventos, não existirem as condições necessárias para concretizar a prova no presente ano.

O Grande Prémio esteve marcado para as datas de 10 a 14 de Junho de 2020, com início em Lisboa e final em Águeda.

Desde a primeira edição, em 1977, a prova apenas não se realizou por 3 vezes, em 1988, 1989 e 2010.

A ABIMOTA está confiante que o Grande Prémio vai regressa à estrada em 2021 e adianta, desde já, que o pretende realizar nas datas de 16 a 20 de Junho.

A ABIMOTA agradece à Federação Portuguesa de Ciclismo, às Autarquias, aos Patrocinadores e a todos que já se tinham associado ao evento, a colaboração e apoio prestado e está certa que, no próximo ano, poderão, em conjunto, realizar um Grande Prémio ainda mais marcante no panorama velocipédico.

O Secretário Geral da ABIMOTA

Gil Nadais

GP ABIMOTA final4ºet GP ABIMOTA - Arquivo 2019

CARTA ABERTA

Logo ABIMOTA LEA

Sr. Primeiro Ministro, Dr. António Costa

Dirigimos-lhe esta missiva, numa fase tão importante da nossa vida coletiva, porque entendemos que é um momento de mudança e todos somos poucos para fazer o muito que é necessário.

A ABIMOTA, Associação Nacional da Indústria das Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins representa, entre outos, os setores das duas rodas, das bicicletas, que são altamente exportadores; mais de 90% da sua produção é enviada para outros países, tendo atingido no ano passado um valor superior a 400.000.000€ (quatrocentos milhões de euros), que emprega cerca de 9000 pessoas de forma direta e perto de 30.000 indiretamente.

Tal como em outros setores de atividade económica, temos algumas empresas Associadas que estão com dificuldades, mas não é sobre este tema que queremos falar hoje. Embora não deixe de ser importante enfatizar que o atual clima de incerteza turva a visão de desenvolvimento que o setor tem vindo a trilhar nos últimos anos, com planos e projetos de expansão e desenvolvimento de capacidades tecnológicas e industriais que podem estar em causa.

Portugal fornece para alguns dos países que mais utilizam a bicicleta no seu modo de vida quotidiana e estamos certos, até tendo por base as políticas Europeias de descarbonização, o Green Deal, Pacto Ecológico Europeu, que estas serão as grandes linhas que orientarão o futuro da Europa, e também do Governo a que Preside tendo como objetivo um Portugal mais verde e mais sustentável.

A atual pandemia Covid19 colocou-nos um conjunto de desafios, mas cumpre-nos a todos resolve-los transformando-os em oportunidades para a sociedade, utilizando novas abordagens, até porque problemas novos não se resolvem com soluções do passado.

Na visão emergente, a procura de soluções para os problemas de mobilidade nas cidades motivados pela utilização do carro para deslocações individuais, veio agora associar-se à necessidade de afastamento social, com a consequente diminuição da capacidade dos transportes públicos. Por estas razões a que se juntam muitas outras já conhecidas, nomeadamente o sedentarismo e a obesidade da população, a bicicleta em geral e a elétrica em particular, vêem dar uma resposta e pode contribuir de forma decisiva para alterar, positivamente, a qualidade de vida dos cidadãos, a saúde e a luta contra a pandemia que é o Covid19.

Lembremo-nos que, é a própria Organização Mundial de Saúde que recomenda a utilização da bicicleta nas deslocações para o trabalho porque promove o distanciamento social e o exercício físico.

Sr. Primeiro Ministro,

Decidimos endereçar-lhe esta missiva porque consideramos existirem algumas discriminações negativas e anacrónicas relativas ao uso da bicicleta, que não fazem sentido e estamos certos de não serem do seu conhecimento.

Este documento não é, nem pretende ser, um caderno reivindicativo de uma organização empresarial setorial, é mais um alerta e uma apresentação de propostas para uma luta mais eficaz contra a pandemia, correção de anacronismos e abertura de caminhos de futuro.

Não deixamos de ser uma Associação setorial, como tal não somos ingénuos e não vamos afirmar que a introdução de algumas das medidas que descrevemos abaixo não vão beneficiar o setor, porque é inegável, mas estamos certos que contribuirão também para a diminuição do desemprego, expectável redução na despesa em saúde e para que possamos sair da pandemia com valores ambientais e hábitos de vida mais adequados aos tempos atuais.

Os utilizadores de bicicletas têm merecido menor atenção, na nossa perspetiva, pelos governos ao longo dos tempos, veja-se por exemplo, que o proprietário de uma moto pode ter benefício fiscal nas reparações que efetua, o dono da bicicleta não; se utilizar a bicicleta para fazer entregas e a utilizar como veículo de trabalho, as finanças não permitem a dedução do IVA na aquisição da bicicleta, mas se adquirir um veículo velho e poluente pode deduzir todo o IVA; mas também na administração pública, o funcionário ou agente tem direito a despesas de deslocação quando de desloca de carro ou a pé; se for de bicicleta não.

São estas e algumas outras propostas que queremos apresentar e que tomaremos a liberdade também de enviar para os diferentes Ministérios porque a mobilidade e a sustentabilidade é transversal, tal como à sociedade, ao governo.

Neste contexto propomos relativamente a:

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DA AÇÃO CLIMÁTICA

Fundo Ambiental

  • Reforço do apoio à aquisição das rúbricas destinadas à mobilidade ativa;
  • Alterar a percentagem da comparticipação de 10%, para 50% nas bicicletas convencionais, mantendo o valor máximo;

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS e  MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA TRANSIÇÃO DIGITAL

Redução da Taxa de IVA nos termos já aprovados pela União Europeia.

Cidadãos

  • Alteração do regime de IRS nomeadamente
  • Considerar as reparações das bicicletas idênticas às dos motociclos para efeitos de dedução em IRS;
  • Dedução à coleta de até 50% do valor da aquisição no máximo de 200€ com os encargos na aquisição de bicicletas convencionais ou elétricas;

Empresas

  • Não cobrança de taxas anti-dumping a empresas que estão em processo de reconhecimento pela EU, a exemplo do que acontece no porto de Roterdão;
  • Dedução do IVA quando a bicicleta é utilizada para fins profissionais, nas bicicletas convencionais e elétricas;
  • IVA das bicicletas dedutível;
  • Custo com as bicicletas adquiridas pelas empresas, até 1.000€, para deslocações entre casa e trabalho, integralmente dedutível no ano daaquisição;
  • Direito ao uso não tributado como remuneração em espécie;
  • Possibilidade da empresa oferecer a bicicleta ao trabalhador, ao fim de quatro anos, como prémio de assiduidade e permanência, sem tributação quer para o trabalhador quer para a empresa;
  • Atribuir à bicicleta o estatuto de viatura;
  • Possibilidade da empresa atribuir um subsídio anual de deslocação, até € 300.00, isento de IRS, a quem se desloque de bicicleta para o trabalho;

MINISTÉRIO DAS INFRAESTRUTURAS E DA HABITAÇÃO

  • Coordenar a planificação de uma rede de ciclovias nacional que una os concelhos do país;
  • Criação de ciclovias em estradas nacionais sempre que haja intervenção no edificado, de acordo com o plano definido no ponto anterior;

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

  • Criação de percursos formativos enquadrados no Catálogo Nacional de Qualificações;
  • Reforço do Programa “O ciclismo vai à Escola”;
  • Introduzir atividade física / ter disponível nos jardins de infância, bicicletas de equilíbrio (sem pedais) para iniciação ao ciclismo;
  • Incentivar o desenvolvimento da competência, saber andar de bicicleta, de forma a que no final do 4.o ano de escolaridade, 98% dos alunos a possuam;

MINISTÉRIO DO TRABALHO SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL

  • Criação de ações de formação especializadas para mecânicos de bicicletas convencionais e elétricas;
  • Majoração dos apoios à criação do próprio emprego na área da mobilidade ativa com obrigatoriedade de formação técnica e de gestão;

MINISTÉRIO DA MODERNIZAÇÃO DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

  • Colocação de estruturas para o estacionamento de bicicletas junto a todos os serviços públicos do país;
  • Criação da ajuda de custo para as deslocações em bicicleta dos funcionários públicos;

MINISTÉRIO DA COESÃO TERRITORIAL

  • Apoio financeiro à aquisição de bicicletas pelas autarquias para cedência a estudantes;
  • Apoio financeiro para a construção de ciclovias locais, promovendo as ligações casa – trabalho e casa - escola;

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA

  • Redução do limite de velocidade nos centros urbanos.

Sr. Primeiro Ministro,

A ABIMOTA com a apresentação destas propostas está também a dizer que se encontra disponível para, nas áreas da suas competências, colaborar ativamente com o Governo e os organismos de Estado para apoiar a implementação de todas as medidas que contribuam para uma re-industrialização de Portugal e da Europa e simultaneamente os objetivos que contribuam para transformar Portugal num país mais sustentável, saudável e coeso.

Com os melhores cumprimentos
O Secretário Geral

Gil Nadais

ABIMOTA SUSPENDE GRANDE PRÉMIO

Logo ABIMOTA LEA

A ABIMOTA - Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins, enquanto entidade promotora do Grande Prémio ABIMOTA, decidiu suspender a realização desta clássica do do ciclismo nacional. Em conjunto remetemos na íntegra o comunicado veiculado por esta associação.

Comunicado:

Depois de uma análise profunda e na sequência da manutenção da suspensão das provas do calendário velocipédico nacional, até 31 de maio, pela Federação Portuguesa de Ciclismo, inserido no esforço nacional de contenção da pandemia do COVID 19, a ABIMOTA decidiu suspender a realização da prova na data para que estava programada, 10 de junho.

Entende a organização da prova que a data prevista está muito próxima da data limite de quarentena atualmente em vigor e uma prova com a dimensão do 41.º Grande Prémio ABIMOTA que, a partir de Lisboa, percorreria grande parte da Região Centro poderia trazer riscos que, de forma alguma entende serem de assumir, quando o que se solicita a todos é contenção e isolamento social.

A ABIMOTA não pode deixar de agradecer a todas as Autarquias e Patrocinadores que se tinham já associado ao evento e deseja que todos possam passar esta fase rapidamente e, com boa saúde, nos encontremos todos, num futuro próximo para, noutros moldes, levar a cabo o 41.º Grande Prémio ABIMOTA. 

A ABIMOTA, enquanto Associação Empresarial do Setor das Duas Rodas, lembra que as deslocações de bicicleta para o trabalho promovem o isolamento social, a saúde, o bem estar físico e protegem o ambiente.

O Secretário Geral - Gil Nadais

GP ABIMOTA final4ºet Arquivo 40º GP ABIMOTA - Junho 2019

A ABIMOTA solicitou e o Governo concordou

Lojas e oficinas de bicicletas podem continuar abertas.

A ABIMOTA congratula o Governo pela alteração introduzida na lista de negócios abertos durante o período de Estado de Emergência, integrado no combate ao COVID19.

Após publicação do Decreto 2-B/2020 de 02 de Abril,em Diário da República, o Governo introduziu "os estabelecimentos de comércio, manutenção ou reparação" de bicicletas na lista de negócios que se vão poder manter em funcionamento durante a vigência do Estado de Emergência, de acordo com o plano de combate ao COVID 19.

“O Governo português foi sensível aos argumentos apresentados e incluiu as lojas e oficinas ligadas ao setor das duas rodas, na lista de actividades fundamentais para a economia durante este período.” Referiu Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA.

"Esta decisão, vai de encontro ao que acontece em outros países, nomeadamente no Norte da Europa, em que há o entendimento que a utilização da bicicleta é uma forma de combater a actual situação de pandemia, pois evita a concentração de pessoas nos transportes públicos, simultaneamente promovendo a boa saúde e forma física.” Referiu ainda a mesma fonte.

Esta alteração é tanto mais importante, na medida em que o setor das duas representou 402.942.434,00 Euros em exportações no ano de 2019.

Bike2

abimotw rodape

Covid 19 provoca aumento de produção de bicicletas e componentes

Nos países da Europa, em que os governos não decretaram a paragem da atividade económica, devido à pandemia do Covid 19, a procura de bicicletas e e-bikes disparou, o que está a provocar uma procura elevada na produção nacional, estando algumas empresas a trabalhar a cem por cento, mantendo estritamente as regras de segurança para conter a propagação do vírus.

A necessidade de novas respostas no que à micro-mobilidade diz respeito, nomeadamente nos mercados centro e norte-europeus está a criar uma enorme pressão nos pontos de venda e como tal também na produção de bicicletas e e-bikes.

O público não confia nos transportes públicos, pois o ato de evitar concentração de pessoas e proximidade social é fundamental para controlar a propagação do novo Coronavirus. Por outro lado o uso, ou mesmo a aquisição do automóvel não se apresenta como opção para deslocações curtas e não só e por isso os mercados, com enfoque na Alemanha, aumentaram significativamente a procura de bicicletas e e-bikes.

Portugal é assim o local óbvio para responder às necessidades do mercado. Cadeias de distribuição curtas, capacidade de produção e a qualidade do produto final, são fatores que provocam e sobretudo aumentam a procura do nosso mercado, enquanto fornecedor.

Segundo Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA, “neste momento o “cluster” das duas rodas tem empresas que, não descurando as preocupações com o combate ao Covid 19, estão a trabalhar a cem por cento da capacidade, para satisfazer a procura que algum mercado exige.”

“A capacidade de resposta e a criatividade das nossas empresas e empresários, está a ser testada e a resposta ao teste está a ser plenamente positiva.” Afirma o dirigente da ABIMOTA, que diz também “não podemos deixar de referir que este é o caso de algumas empresas que exportam para mercados onde as pessoas têm possibilidade de ir trabalhar, porque onde as restrições são maiores, o mercado está fechado e as empresas estão a paralisar”.

 

ABIMOTA photo Day3 

abimotw rodape

Portugal Bike Value a caminho dos Países Baixos

Uma delegação de empresários ligados ao sector da mobilidade suave, liderada pela ABIMOTA, vai estar presente em Utrecht na Holanda, de 28 de Fevereiro a 1 de Março, participando no Bike Motion Benelux.

A presença da delegação portuguesa no Bike Motion Benelux integra-se no programa Portugal Bike Value Empresarial II, co-financiado pelo Portugal 2020, que com esta missão pretende que o setor nacional consolide a presença e reforce a capacidade e principais competências das empresas que produzem em Portugal, nos mercados Europeus.

Este é um dos principais eventos ligados ao sector da bicicleta que ocorrem no BENELUX. Segundo Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA, "Repetimos a nossa presença no Bike Motion Benelux, pois é um evento onde se reúnem na Holandas as principais marcas de bicicletas internacionais para apresentar os novos desenvolvimentos a nível de bicicletas, componentes e acessórios."

Mas mais do que uma reunião de fabricantes, este é um espaço dedicado a experiências e "onde são também apresentados os mais recentes desenvolvimentos em termos de tendências do setor do ciclismo bem como as últimas inovações no uso da bicicleta como meio de transporte." Remata o dirigente da ABIMOTA.

A presença dos empresários portugueses com o Projeto Conjunto de Internacionalização - Portugal Bike Value Empresarial II é uma forma de reforçar a competitividade das PME’s nacionais através da expansão de novos mercados de atuação, em particular no importante mercado do centro e norte da Europa.

Deve-se salientar que há uma tendência do mercado holandês para a adoção das bicicletas elétricas, que também chegou às MTBs (bicicletas de montanha), que estão a acolher um grupo cada vez maior de entusiastas que se encaixam nas características gerais do mercado na tendência de eletrificação que não dá sinais de parar. Este fenómeno reflete-se no volume de negócios, com a venda de bicicletas elétricas urbanas a voltar a aumentar em 60% em Janeiro de 2020, sendo que as e-MTB registaram um crescimento de 30%, no mesmo período. Esta evolução abre novas oportunidades para as empresas industriais portuguesas da mobilidade suave.  

Neste evento participam as seguintes empresas nacionais:, Esmaltina, Incycles, Interbike, Jasil, Miranda, NFTuned, Prototipe, Rodi, Tabor e Unibike.

abimotw rodape

ABIMOTA nas Reuniões Europeias e Normalização de Bicicletas e Ferragens

A ABIMOTA vai, mais uma vez, representar Portugal nas reuniões dos Comités Técnicos de Normalização Europeia relacionados com Bicicletas e Ferragens, em Bruxelas, de 25 a 27 de Março.

Dia vão 25 decorrer as reuniões do Grupo de Trabalho de Ferragens (CEN/TC 33 WG4 – Building hardware) e do Grupo de Trabalho para Cargo-Bikes (CEN/TC 333 WG9 -Cargo bikes). O programa das acções segue no dia 26 com a reunião do Grupo de Trabalho relativo à definição de ensaios para novos materiais (CEN/TC 333 WG8 - Innovative materials used in the manufacturing of bicycles) e termina no dia 27 com a Reunião Plenária do Comité Técnico CEN/TC 333 – Cycles.

No âmbito das Ferragens estas reuniões assumem particular importância, numa altura em que se discute, a nível Europeu, a revisão do Regulamento dos Produtos da Construção (RPC (UE) N.º 305/2011) e os Mandatos Associados, nomeadamente o Mandato M101.

No caso das Bicicletas, destaca-se a elaboração da norma para as Cargo Bikes, a aprovação final da nova norma EN 17406 para a Classificação das Bicicletas, em função da utilização prevista e a nova norma para Bicicletas Elétricas de Montanha (E-MTB) com a norma EN 1704, entre outros assuntos relacionados com a definição de novos ensaios, como por exemplo, ensaios de fadiga para quadros em Fibras de Carbono.

wcf roterdao 3 Arquivo

Sector português das duas rodas no Benelux

Portugal Bike Value visitou a Velofollies, em Kortrijk, na Bélgica, com uma delegação liderada pela ABIMOTA, tendo como objectivos principais divulgar Portugal como centro de produção de bicicletas e e-bikes e a procura de novas oportunidades para as Empresas Nacionais.

Muito público, grande diversidade de oferta e sobretudo um grande potencial para a as marcas nacionais acederem a novos mercados são, nas palavras de Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA os principais pontos a destacar na Velofollies.

“A Velofollies tem uma qualidade que considero bastante superior à média das feiras em que temos participado, com um nível de qualidade de produtos muito elevado. Constatamos uma variedade de oferta bastante grande e uma afluência de publico também enorme… Pode-se dizer que durante o tempo que cá estivemos, tivemos de andar ao sempre ritmo que nos impuseram, porque o espaço de esposição estava mesmo cheio de visitantes. Por isso penso que é um local onde as marcas portuguesas poderão ter uma forte possibilidade de conquistar mercado.”

A Velofollies tornou-se na maior feira de ciclismo do Benelux, fazendo também uma forte aposta na variedade. Este é um certame onde é possível tomar contacto com a maior oferta completa existe no mundo do ciclismo, desde o BMX e mountain bike a bicicletas de corrida, urbanas e eléctricas . Esta oferta é complementada por uma ampla gama de acessórios, roupas, mas é fundamentalmente um espaço de apresentação tendências e troca de ideias sobre a mobilidade suave.

O Velofollies decorreu desde sexta-feira, dia 17 até Domingo, dia 19 de Janeiro passado

22 10 2019 11 44 49 actie 22 10 2019 11 44 50 e bike vogue

abimotw rodape.

 

Portugal Bike Value já está no Benelux

Uma delegação portuguesa, liderada pela ABIMOTA, está participar na maior feira de ciclismo do Benelux, que se realiza desde hoje, sexta-feira dia 17 de Janeiro, até Domingo, em Kortrijk, nos Países Baixos.

A Velofollies tornou-se não só a maior feira de ciclismo do Benelux, mas também na mais variada, onde é possível tomar contacto com a maior oferta completa existe no mundo do ciclismo, desde o BMX e mountain bike a bicicletas de corrida, urbanas e eléctricas . Esta oferta é complementada por uma ampla gama de acessórios, roupas, mas é fundamentalmente um espaço de apresentação tendências e troca de ideias sobre a mobilidade suave.

Segundo Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA, “o sector das duas rodas português está de boa saúde. As empresas estão a crescer em volume de vendas e sobretudo a crescer em termos de valor acrescentado, com as bicicletas eléctricas a impulsionarem as vendas. Esta situação acontece pelo ao bom momento que o sector atravessa, graças a uma nova forma de o encarar, à captação de novos investimentos e à busca de novos mercados.”

A participação de Portugal Bike Value integra-se no plano que a ABIMOTA desenvolve para a promoção do sector no panorama internacional.

“Neste aspecto o Portugal Bike Value tem desempenhado um papel fundamental e esta participação integra-se no plano desenvolvido até ao momento e vai ser a primeira de uma serie de acções a serem desenvolvidas neste ano que se inicia. A nossa presença neste evento é, portanto, a primeira de 2020.” Rematou o Secretário-Geral da ABIMOTA.

HCBSPavillionshots FYXO 5606 Arquivo

abimotw rodape

CONEBI publica comunicado sobre trotinetas eléctricas

A Confederação Europeia da Indústria de Bicicleta (Confederation of European Bicycle Industry) publicou um comunicado, em que define o conceito de veículos e aponta riscos de utilização, que veiculamos na íntegra.

  • Visão global:

1) A Confederação da Indústria Europeia de Bicicleta (CONEBI) é uma associação europeia líder, cujos membros são as associações nacionais da Indústria de Bicicletas da União Europeia. As empresas da União Europeia (EU) são membros das associações nacionais da indústria de bicicletas mencionadas.

2) A CONEBI representa as suas associações de membros - que incluem as indústrias de bicicletas da UE, EPAC’s assistidas e peças e acessórios - para a UE e instituições internacionais. Isso foi conseguido através da manutenção de contactos regulares com os responsáveis ​​políticos e autoridades reguladoras europeias e internacionais, bem como com outros órgãos e associações da indústria que buscam objetivos semelhantes.

3) Embora ainda não exista uma definição padronizada de uma trotineta elétrica, para os fins deste documento, definiremos uma trotineta elétrica como um veículo de duas rodas que é acionado por um motor elétrico. Geralmente é projetado com uma plataformas sobre o qual o utilizador se apoia.

  • Posição:

Como representantes da indústria europeia de bicicletas, respeitamos a legislação da UE e cumprimos os regulamentos e diretivas da UE. Nos termos do regulamento da UE relativo à homologação e fiscalização do mercado de veículos e quadriciclos de duas ou mais rodas (UE N. 168/2013), qualquer veículo com um acelerador que atinja velocidades superiores a 6 km/h deve ser homologado.

O número cada vez maior de acidentes envolvendo o uso não regulamentado de trotinetes elétricas resultou numa opinião pública negativa, o que é evidente nos inúmeros artigos de jornal sobre segurança dos utilizadores vulneráveis ​​da estrada. A indústria europeia de bicicletas manifesta grande preocupação com a situação, devido ao impacto que pode ter na imagem da micro-mobilidade como um todo e, consequentemente, no uso de bicicletas elétricas com auxílio de pedais.

Além disso, existe um equívoco público sobre o que exatamente é uma trotineta elétrica e muitos confundem-nas erroneamente com e-bikes. A CONEBI gostaria de declarar claramente a diferença fundamental entre uma trotineta elétrica e uma e-bike com assistência a pedais (que chamaremos aqui EPAC’s de Ciclos Assistidos Elétricos):

- Uma EPAC é uma bicicleta eletricamente assistida que fornece assistência elétrica ao ciclista apenas enquanto pedala e apenas até uma velocidade de 25 km/h. Possui capacidade máxima do motor de 250 W.

- Uma trotineta elétrica é um motociclo ou ciclomotor elétrico, de duas rodas, sem pedais e a assistência elétrica é ativada simplesmente por meio de um acelerador, independentemente da atividade do condutor. Assim, para uma trotineta elétrica, a assistência elétrica é automática e independente.

Como representante da indústria europeia de bicicletas, a CONEBI pretende evidenciar claramente sua posição e não pode ser responsabilizada por quaisquer problemas decorrentes do uso de trotineta elétrica. A indústria europeia de bicicletas não representa os produtores ou fornecedores de trotinetas elétricas.

  • Preocupações relacionadas com a trotineta elétrica:

1) Qualquer veículo com acelerador que exceda 6 km/h na UE deve ser homologado e ter características de segurança adequadas, se usado na via pública. Atualmente, as trotinetas elétricas não são homologadas.

2) As trotinetas elétricas, dada a sua pequena base de roda, são muito instáveis ​​e, geralmente, em relação à sua velocidade, possuem um sistema de travões inadequado. Consequentemente, os acidentes são frequentes. Além disso, houve incidentes em que o acelerador ficou encravado ou a trotineta elétrica reduziu a velocidade, ou acelerou em excesso de velocidade ou até travou forma autónoma. Algumas mudanças automáticas de velocidade ocorrem devido à localização geográfica de algumas áreas, motivadas pela localização por GPS, que altera os limites de velocidade.

3) O uso de trotineta elétrica em ciclovias cria congestionamento e é perigoso para ciclistas e ciclistas de EPAC´s, já que as trotinetas geralmente excedem 25 km/h e são baseadas apenas no acelerador.

4) Assim, toda a imagem da micro-mobilidade é posta em risco. A partilha e o uso e venda apropriados de bicicletas ficam também em risco, trazendo o perigo de danos significativos ao mercado da indústria de bicicletas.

5) As indústrias europeias de bicicletas e EPAC´s estão comprometidas em produzir veículos de duas rodas seguros, duradouros, sustentáveis ​​e ecológicos, que podem ser reparados e proporcionam uma vida média de vários anos. As bicicletas e EPAC’s podem ser recicladas (incluindo as baterias) e, portanto, fazem parte da economia circular da indústria da UE. Até agora, as trotinetas elétricas são operadas com uma lógica de utilizar e descartar. Temos conhecimento de empresas que, em alguns casos, não mantêm suas frotas, nem as reparam ou reciclam, o que resulta numa pegada ambiental negativa.

Bike

abimotw rodape

Fim-de-semana preenchido para a ABIMOTA

No passado fim-de-semana a presença da ABIMOTA dividiu-se entre Porto e Taichung, em dois eventos distintos, mas sempre com a mobilidade suave como pano de fundo.

O programa Portugal Bike Value Empresarial, no âmbito dos seus objectivos, que visam a presença nos mercados internacionais do sector das duas rodas nacional, promovendo as competencias, capacidades e qualidade do produto nacional, esteve presente em Taiwan, onde teve lugar o Taichung Bike Week.

Neste certame a ABIMOTA acompanhou as seguintes empresas: Esmaltina, Incycles, Interbike, Jasil, Miranda, ND Tuned, Prototype, Rodi, Sangal, Tabor e Unibike. 

“Este é um evento direccionado para as empresas e empresários e por isso mesmo a presença de Portugal Bike Value foi fundamental. Estabelecemos inúmeros contactos, quer no sentido de criarmos “pontes” entre produtores e fornecedores nacionais e estrangeiros e também no sentido de captarmos a atenção dos empresários, para o cluster português das duas rodas.” Referiu Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA.

Paralelamente, no Porto, decorreu o Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico, evento que visa promover o novo paradigma de mobilidade e a ABIMOTA, com Portugal Bike Value, esteve presente.

Durante os três dias do evento, que decorreu de 18 a 20 de Outubro, o espaço ABIMOTA foi visitado por um público numeroso, que aproveitou para experimentar as e-bikes presentes.

abimota sahe

abimotw rodape

Portugal Bike Value em França

Iniciou-se hoje, quarta-feira, o Roc d´Azur no parque Natural de Francis Leotard, em Frejus, França, que este ano conta com uma delegação portuguesa, liderada pela ABIMOTA.

Este é um evento com uma forte componente lúdica e desportiva, que se realiza desde 1984 e, prevê-se, que na presente edição junte mais de 20 mil participantes, 300 expositores e 150 mil visitantes.

“Pela sua dimensão e pelo facto de ser em França, um mercado grande importância para Portugal, o Roc d´Azur é um evento fundamental para todos quantos se querem afirmar no mercado. Tem dimensão, tem notoriedade, vão la estar os principais “atores” do mercado internacional e por isso a presença de Portugal Bike Value, é quase obrigatória, diria.” Afirma Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

Esta presença integra-se no Programa Portugal Bike Value II, que visa promover o sector das duas rodas nacional além fronteiras, promovendo a qualidade do produto nacional e captando investimento estrangeiro para Portugal.

O Roc d´Azur vai decorrer até ao próximo Domingo, dia 13.

abimotw rodape

Portugal Bike Value com programa intenso em Outubro

França e Taiwan vão estar na “mira” das empresas nacionais ligadas ao setor das duas rodas, com participações em dois eventos com públicos-alvo diferentes, mas com os mesmos objectivos: desenvolver o sector das duas rodas nacional.

O parque Natural de Frincis Leotard, em Frejus, vai receber o Roc d´Azur, de 9 a 13 de Outubro. Este é um evento com uma forte componente lúdica e desportiva, que se realiza desde 1984 e, prevê-se, que na próxima edição junte mais de 20 mil participantes, 300 expositores e 150 mil visitantes.

“Pela sua dimensão e pelo facto de ser em França, um mercado grande importância para Portugal, o Roc d´Azur é um evento fundamental para todos quantos se querem afirmar no mercado. Tem dimensão, tem notoriedade, vão la estar os principais “atores” do mercado internacional e por isso a presença de Portugal Bike Value, é quase obrigatória, diria.” Afirma Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

No dia 16 de Outubro a delegação portuguesa vai estar em Taipé, onde tem lugar o Taichung Bike Week de 16 a 18 de Outubro. Este é um evento profissional, centrado nos negócios e “mais importante do que a notoriedade é a real possibilidade de se fazerem vendas, estabelecer contactos comerciais e captar investimento para Portugal. Por isso, na perspectiva fundamentalmente empresarial, este é outro dos eventos em que temos que estar.” Remata a mesma fonte.

abimotw rodape

Balanço positivo para Portugal Bike Value no Eurobike

Portugal Bike Value esteve presente na 28ª edição do maior evento mundial ligado à mobilidade suave e às duas rodas, que teve lugar em Friederichshafen, na Alemanha, de quatro a sete de Setembro.

O Eurobike impressiona pelos números: Mais de 1.400 expositores, entre eles destaque para a delegação Portuguesa liderada pela ABIMOTA representando 18marcas e instituições. Presença de 99 países e mais de 60 mil visitantes, entre profissionais (39.834) e fãs de bicicleta (21.240) e 1.345 profissionais ligados aos media. De comum todos têm o interesse pelas novas formas de mobilidade, com a bicicleta à cabeça.

O Eurobike é assim um palco privilegiado para a apresentação das mais recentes inovações tecnológicas, de tendências e todas as novidades do mercado, pois este é um evento que junta desde líderes de mercado internacionais a startups inovadoras. No Eurobike as empresas participantes apresentaram uma ampla seleção de inovações e novas soluções de bicicleta de alta qualidade, com benefícios ambientais e sociais imediatos.

Por tudo isto Portugal, que cada mais se afirma como um protagonista no panorama internacional, tinha que manter uma representação ao nível de um dos principais produtores de bicicletas da Europa.

“O Eurobike é um momento central para o mundo das bicicletas pois desde fabricantes, distribuidores e mesmo algum público, juntam-se em Friederichshafen, para verem as novidades, o que os espera no próximo ano e as oportunidades que se geram no mundo das bicicletas. Por isso, este é um evento incontornável que a ABIMOTA e o Portugal Bike Value fazemos pelo terceiro ano consecutivo num stand conjunto, este ano com uma área muito superior às dos anos passados e que espero possa confirmar, nas contas finais, os indicadores que estamos a reunir, nestes dias de evento.” Afirmou Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA.

Durante a realização do Eurobike, no dia cinco de Setembro, decorreu a acção promocional “A Bite of Portugal”, em que os participantes foram convidados a ter uma experiência gustativa de Portugal e dessa forma estimular um contacto mais próximo e informal com a realidade da indústria portuguesa ligada ao sector das duas rodas.

“Já o afirmei várias vezes e a forma como “A Bite of Portugal” está a decorrer é o melhor exemplo disso. Temos condições únicas para o sector das duas rodas. Temos a experiência assente em mais de 80 anos dedicados ao sector, temos empresários empenhados, que trouxeram as indústrias para o século XXI. Portugal é hoje um “actor” principal no panorama global e é importante que nos possamos dar a conhecer, pois sabemos receber como ninguém, temos uma gastronomia única e um território que importa promover. Acho que todos os presentes estão a ter uma boa experiência, estão de facto a provar um pouco de Portugal, a conhecer a nossa gastronomia, a nossa forma de receber e, claro, os nossos empresários e o sector nacional das duas rodas.” Realçou o Secretário-Geral da ABIMOTA.

Aicep Berlin visitou a feira no dia de inauguração, tendo podido presenciar o excelente momento por que atravessa o sector, em que a bicicleta elétrica parece dominar as atenções.

Segundo comunicado, a Eurobike afirma-se como uma "feira de muito bom nível comercial e organizativo, em que as empresas portuguesas se apresentavam em elevado nível, concentradas no pavilhão de Portugal, organizado pela Abimota. Foi possível reunir com cada uma das participantes, trocando impressões sobre oportunidades futuras, com base na entrada em funcionamento de mais capacidade industrial e inovação de produto, bem como do possível alargamento de expositores a áreas conexas, nomeadamente no vestuário e calçado especializado."

No espaço de Portugal Bike Value, juntamente com a ABIMOTA estiveram presentes 14 empresas associadas, a saber: Unibike; Esmaltina; Polipromotion; ND Tuned; Incycles; Interbike; Jasil; Miranda e Irmão; Polisport; Prototype; Rodi, Sangal, Goldnutrition e Tabor. Juntaram-se ainda as Câmaras Municipais de Águeda, Anadia e Vagos. A ABIMOTA deu igualmente um importante destaque ao LEA – Laboratório de Ensaios da ABIMOTA, estrutura com condições ímpares a nível internacional, para testar e certificar materiais e equipamentos, do sector das duas rodas, ferragens e mobiliário. 

biteofportugal biteofportugal2 A Bite of Portugal, no stand de Portugal Bike Value

aicep Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA, com Miguel Crespo, representante de AICEP Berlim

abimotw rodape

Dia de Portugal no Eurobike

Em Friedrichshafen, na Alemanha, decorre o Eurobike, o maior salão dedicado à mobilidade suave da Europa e um dos três maiores do mundo. Portugal está representado por uma importante delegação ligada ao sector das duas rodas, liderada pela ABIMOTA.

A comitiva portuguesa é constituída por 16 instituições e marcas ligadas ao sector das duas rodas, que estão sedeadas no stand de Portugal Bike Value. Esta representação, a maior de sempre no Eurobike, tem hoje um dia inteiramente dedicado à promoção do território e do sector nacional.

“A Bite of Portugal”, é um evento em que os participantes nacionais, sob a marca Portugal Bike Value, dão a conhecer um pouco melhor, a gastronomia nacional ao público, profissional na sua maioria, de todo o mundo.

De acordo com Gil Nadais, Secretário- Geral da ABIMOTA, “Portugal é um país com condições únicas para o sector das duas rodas. Temos uma experiência sedimentada em mais de 80 anos dedicados ao sector e temos, igualmente, empresários empenhados, que trouxeram as indústrias para o século XXI. Portugal é hoje um “actor” principal no panorama global e é importante que nos possamos dar a conhecer um pouco melhor, pois sabemos receber como ninguém, temos uma gastronomia única e um território que importa promover.”

Actualmente Portugal é um dos três maiores produtores europeus de bicicletas e e-bikes, com uma aposta clara na qualidade e no aumento de valor do produto.

Em 2018 o volume total de exportações do setor ascendeu a € 285.920.273,21 em bicicletas e e-bikes de acordo com os dados do comtrade.un.org, aos quais se devem acrescentar € 77.138.240,00 em componentes de acordo com os dados do INE.

O valor das e-bikes exportadas em 2018 foi cerca de 20% mais alto que valor médio das importadas, tendo ascendido, de acordo com os dados obtidos na Comtrade, a um valor médio de $ 1.513,00(USD).

O Valor das exportações de e-bikes de 2017 para 2018, segundo a mesma fonte, teve uma variação de 164%, atingindo os € 15.611.637,50. 

“É certo que Portugal é hoje aceite no mercado global como um “player” principal, em grande parte graças ao trabalho desenvolvido com a marca Portugal Bike Value e ao empenho de empresários e instituições, mas é claro que temos ainda muita margem de manobra para ampliar a notoriedade do “cluster” português das duas rodas e por isso uma acção como “A Bite of Portugal” é fundamental, pois já provamos do que somos capazes de fazer bem e com esta acção damos a provar algo nosso e igualmente bem feito: a nossa gastronomia e a nossa forma única de receber.” Rematou Gil Nadais.

O Eurobike decorre desde ontem - terça-feira dia 4 de Setembro – até ao próximo sábado, dia sete.

Eurobike2 Eurobike1

abimotw rodape

Portugal Bike Value com programa duplo no Brasil

Uma delegação portuguesa, liderada pela ABIMOTA, vai estar presente no Shimano Fest e no Brasil Cycle Fair, que se realizam em São Paulo.

Durante os próximos dias, a delegação portuguesa vai ter um programa muito preenchido, dividindo-se pelos dois eventos, promovendo a capacidade das empresas portuguesas, o LEA – Laboratório de Ensaios da ABIMOTA e, claro, Portugal como destino de eleição para investidores americanos e sul-americanos, que queiram entrar no mercado Europeu.

O programa vai começar já amanhã, dia 22 de Agosto, com a Brasil Cycle Fair. “É uma Feira de negócios com foco no mercado brasileiro, pronta para atender profissionais das mais diversas áreas do ciclismo e consolidar-se como o maior evento corporativo de negócios ciclísticos na América Latina.” Explica Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

Dia 24 vai abrir portas a décima edição do Shimano Fest o maior festival do segmento na América Latina, um evento muito vocacionado para as famílias, que encontram um local de vivência de experiências, com a bicicleta como “protagonista”.

“Esta deslocação é um passo de grande importância para o setor, que só peca por tardio, pois estamos a tentar uma aproximação a um mercado com um potencial gigantesco, uma porta de entrada para o Mercosul, onde Portugal pode colocar toda a sua experiência e conhecimento. Temos afinidades culturais e a própria língua, que nos colocam na vanguarda para conquista de novos mercados, com um grande potencial.” Refere o Secretário-Geral da ABIMOTA.

gilnadais Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA

abimotw rodape

Portugal Bike Value potencia números impressionantes

Bicicletas, E-bikes e componentes geram mais 700 empregos e prevêem-se crescimentos da ordem dos 300% em 2019.

Portugal Bike Value pretende promover o setor nacional das duas rodas, captando investimento estrangeiro e potenciando a imagem do setor das duas rodas Português, além fronteiras.

Em 2018 o volume total de exportações do setor ascendeu a € 285.920.273,21 em bicicletas e e-bikes de acordo com os dados do comtrade.un.org, aos quais se devem acrescentar € 77.138.240,00 em componentes de acordo com os dados do INE.

O valor das e-bikes exportadas em 2018 foi cerca de 20% mais alto que valor médio das importadas, tendo ascendido, de acordo com os dados obtidos na Comtrade, a um valor médio de $ 1.513,00(USD).

O Valor das exportações de e-bikes de 2017 para 2018, segundo a mesma fonte, teve uma variação de 164%, atingindo os € 15.611.637,50. 

Por comparação com o período homólogo de 2018, as perspectivas para 2019 apontam para que o valor dispare, tendo em conta as projeções retiradas de uma amostragem realizada junto de Associados da ABIMOTA, que apontam para um crescimento acima dos 300% no numero de unidades a produzir.

Em 2018 o emprego ascendeu a cerca de 1900 postos de trabalho diretos e 5900 indiretos, valores que foram já ultrapassados no presente ano, em que o setor emprega 2481 pessoas, ou seja um crescimento da ordem dos 43%.

abimotw rodape

UCI RECONHECE TESTES DA ABIMOTA

A União Ciclista Internacional (UCI) recentemente reconheceu o LEA – Laboratório de Ensaios da ABIMOTA, para a realização de testes de bicicletas de alta competição.

O reconhecimento por parte da UCI dos testes realizados no LEA é fruto da elevada credibilidade que este laboratório granjeou na comunidade internacional, graças à aposta que a ABIMOTA tem vindo a fazer neste equipamento, para dar resposta às necessidades dos seus clientes e associados.

“Com o objectivo de dar resposta aos desafios que são colocados pelos seus clientes, a ABIMOTA viu reconhecida a sua capacidade técnica para realizar testes em componentes para bicicletas que cumpram os elevados requisitos da UCI e que são utilizadas pelos maiores desportistas mundiais.” Segundo fonte da ABIMOTA.

O reconhecimento por parte da UCI permite à ABIMOTA entrar no “clube” restrito das instituições que a nível mundial testam e certificam os equipamentos desportivos para alta competição.

“Os ensaios da UCI visam analisar a resistência e segurança das bicicletas e seus componentes a utilizar em competição. Para responder à necessidade do cliente a ABIMOTA equipou-se com os meios adequados e viu o seu esforço reconhecido porque entrou num patamar da competição desportiva para o qual nunca tinha sido chamada.” Reforçou a mesma fonte.

Este é um momento significativo que abre caminho para que seja possível dar resposta às necessidades de desenvolvimento de produtos de outras marcas e de outros componentes para o ciclismo de alta competição e não só, que em Portugal encontra um ecossistema particularmente favorável para o seu desenvolvimento. 

lab_motores_e_veiculos_1.jpg

abimotw rodape

Portugal Bike Value no maior evento europeu de mobilidade

A Eurobike volta a ter lugar em Friederichshafen, na Alemanha, este ano de quatro a sete de Setembro. Tal como tem acontecido nos últimos anos uma delegação portuguesa, liderada pela ABIMOTA, vai estar presente no espaço Portugal Bike Value.

A Eurobike é considerada como o evento líder da bicicleta e da mobilidade a nível mundial. É o ponto de encontro anual que junta comércio, indústria e os media, pois é aqui que são apresentadas as últimas tendências e tecnologias que estão em voga na mobilidade, com especial destaque para o sector das duas rodas.

Num espaço em que visitantes profissionais e expositores têm a oportunidade única e privilegiada de manter contactos e fazer negócios, o Portugal Bike Value vai ocupar um espaço com mais de 700m2, que alberga 16 marcas nacionais, numa amostra do melhor que Portugal produz. Na delegação inclui-se ainda o LEA – Laboratório de Ensaios da ABIMOTA, com natural enfoque nos testes e certificações ligados à bicicleta.

O LEA – Laboratório de Ensaios da ABIMOTA, foi recentmente reconhecido pela União Ciclista Internacional (UCI) para a realização de testes de bicicletas de alta competição.

O reconhecimento por parte da UCI dos testes realizados no LEA é fruto da elevada credibilidade que este laboratório granjeou na comunidade internacional, graças à aposta que a ABIMOTA tem vindo a fazer neste equipamento, para dar resposta às necessidades dos seus clientes e associados.

O reconhecimento por parte da UCI permite à ABIMOTA entrar no “clube” restrito das instituições que a nível mundial testam e certificam os equipamentos desportivos para alta competição.

“Os ensaios da UCI visam analisar a resistência e segurança das bicicletas e seus componentes a utilizar em competição. Para responder à necessidade do cliente, a ABIMOTA equipou-se com os meios adequados e viu o seu esforço reconhecido porque entrou num patamar da competição desportiva para o qual nunca tinha sido chamada.” Segundo Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

Este é um momento significativo que abre caminho para que seja possível dar resposta às necessidades de desenvolvimento de produtos de outras marcas e de outros componentes para o ciclismo de alta competição e não só, que em Portugal encontra um ecossistema particularmente favorável para o seu desenvolvimento. 

Dados económicos

“Atualmente Portugal é o segundo país da Europa que mais bicicletas exporta, referenciado como país de destino para a instalação de novas empresas neste sector, dando continuidade ao esforço que tem sido desenvolvido e que permitiu a instalação em Portugal de grandes montadores mundiais que estão a procurar o nosso país para montar bicicletas e desenvolver os seus centros de operação.” De acordo com declarações do Secretário-Geral da ABIMOTA.

Em 2018 o volume total de exportações do setor ascendeu a € 285.920.273,21 em bicicletas e e-bikes de acordo com os dados do comtrade.un.org, aos quais se devem acrescentar € 77.138.240,00 em componentes de acordo com os dados do INE.

O valor das e-bikes exportadas em 2018 foi cerca de 20% mais alto que valor médio das importadas, tendo ascendido, de acordo com os dados obtidos na Comtrade, a um valor médio de $ 1.513,00(USD).

O Valor das exportações de e-bikes de 2017 para 2018, segundo a mesma fonte, teve uma variação de 164%, atingindo os € 15.611.637,50. 

Por comparação com o período homólogo de 2018, as perspectivas para 2019 apontam para que o valor dispare, tendo em conta as projeções retiradas de uma amostragem realizada junto de Associados da ABIMOTA, que apontam para um crescimento acima dos 300% no numero de unidades a produzir.

Em 2018 o emprego ascendeu a cerca de 1900 postos de trabalho diretos e 5900 indiretos, valores que foram já ultrapassados

Marcas participantes e “A Bite of Portugal”

No espaço Portugal Bike Value, durante a realização do Eurobike, à ABIMOTA e ao LEA, juntam-se mais 14 marcas e empresas associadas da ABIMOTA, a saber: Esmaltina; Goldnutrition; Incycles; Interbike; Jasil; Miranda & Irmão; ND Tuned; Polipromotion; Polisport; Prototype; Rodi, Sangal, Tabor e Unibike.

Durante o evento, no dia cinco de Setembro, vai decorrer a ação promocional “A Bite of Portugal”, em que os participantes vão ser convidados a ter uma experiência gustativa de Portugal e estimular um contacto mais próximo e informal com a realidade da indústria portuguesa ligada ao sector das duas rodas.

Hoje em dia, Portugal é um importante destino para o setor de produção de duas rodas. O país oferece excelentes condições de fabricação: uma força de trabalho especializada, empreendedores comprometidos e fábricas equipadas com tecnologia de ponta. Por outro lado Portugal é abençoado com bom tempo, excelente gastronomia e uma maneira única e muito amigável para receber os visitantes. No dia cinco de Setembro os vistantes do Eurobike, vão poder tomar conhecimento destas realidades, no stand de Portugal Bike Value.

Bike2 Bike

abimotw rodape

Lisboa vai acolher Velo City

A principal conferência mundial para de promoção do uso das duas rodas e meios de mobilidade suave, que está a decorrer em Dublin, vai ter lugar na capital portuguesa em 2021.

Dublin acolhe até ao próximo dia 28 de Junho o Velo City, que este ano tem como tema “cycling for the ages”, que numa tradução livre poderá ser interpretado como “de bicicleta para o futuro”. No fórum discute-se a tecnologia, o território, a mobilidade e, claro, os impactos que o sector das duas rodas tem, vai ter e receber num futuro que “está mesmo ao virar da esquina”.

Portugal Bike Value, enquanto marca que comunga destes valores e que fundamentalmente os promove, é um interveniente activo no evento, com presença de um stand e de uma delegação liderada pela ABIMOTA, que integra também uma delegação de Lisboa.

“A presença do Velo City em Lisboa é, antes de mais, uma grande oportunidade para o sector das duas rodas e simultaneamente fruto do trabalho desenvolvido pelo Portugal Bike Value. Há já uma tradição de acolher eventos de primeira importância para o sector, como foi, por exemplo o World Cycling Forum em 2017 e este é mais um passo deste caminho que o sector das duas rodas está a percorrer, reforçando a sua reputação internacional. Em 2021 vamos ter entre nós alguns dos principais líderes de opinião e agentes globais do sector das duas rodas e da mobilidade suave.” Refere Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

A presença do Portugal Bike Value integra-se na estratégia de acompanhamento e monitorização internacional do sector, dos modelos de utilização da bicicleta, com vista a adequar o sector nacional às urgências do mercado.

abimotw rodape

Portugal Bike Value no Velocity

Dublin vai acolher a principal conferência mundial das duas rodas e mobilidade suave, de 25 a 28 de Junho e a capacidade industrial portuguesa vai estar representada.

Velo-City é a cimeira global anual da Federação Europeia de Ciclismo (ECF). Este é um evento itinerante, acolhido por cidades em que a mobilidade suave, as infra-estruturas, inovações ligadas à bicicleta, segurança e as mudanças sociais e culturais impulsionadas pelo ciclismo em escala global, são preocupação.

Em Dublin, os delegados e expositores serão agentes envolvidos na área de tecnologia, saúde, mudança de comportamento, políticas urbanas e de infra-estruturas, mobilidade e nos transportes em geral.

Portugal Bike Value, enquanto marca que comunga destes valores e que fundamentalmente os promove, vai ser um interveniente activo no evento, com presença de um stand e de uma delegação liderada pela ABIMOTA.

“Mais uma vez a estratégia de reforçar a imagem de Portugal como fornecedor de produto e capacidade produtiva e de aumentar o reconhecimento da sofisticação e inovação do sector nacional, de reforçar as vantagens de Portugal como destino de investimento para as marcas internacionais, é a linha de desenvolvimento fundamental, que os programas Portugal Bike Value, Mobilidade Suave e definem e por isso a presença no Velo City.” Refere Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

Juntamente com Portugal Bike Value vai estar uma delegação representando Lisboa, cidade que vai receber este evento em 2021.

abimotw rodape

GP ABIMOTA - 4ª Etapa

Topo GPAbimota

Gotzon Martin vence GP ABIMOTA

Pedro Andrade ganhou a derradeira etapa da prova sobre a meta, depois de 174 quilómetros disputados em condições difíceis, com chuva e vento a dificultarem o desempenho dos ciclistas.

 

GP ABIMOTA final4ºet JF2 9191 JF2 9176

Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB

A etapa das praias foi uma total surpresa, com um “volte face” final, pois quando tudo parecia indicar que Patrick Videira, da  Fortunna/Maia, tinha a prova na mão, Pedro Andrade, da Vito/Feirense/PNB, roubou-lhe os louros da etapa nos últimos 200 metros dos 174,35 quilómetros disputados.

Gotzon Martin, da Equipo Euskadi foi o homem da prova. “Aproveitou a boleia” de Andrade e seguiu para o segundo posto da etapa, a dois segundos do vencedor e dessa forma bateu o Camisola Amarela, António Angulo Sampedro da Efapel, que tinha dominado as etapas anteriores, mas ficou a 53 segundos do basco nas contas finais do GP ABIMOTA.

Em termos de equipas a Vito/Feirense/PNB fez uma tirada irrepreensível, que a levou à vitória na etapa e, sobretudo, na prova. As principais adversárias não tiveram sorte, ao perderem alguns dos seus homens da frente. Foi o caso da Efapel, que viu Pedro Paulinho abandonar na sequência de uma queda colectiva, ao quilómetro 27 e da W52/FC Porto, que perdeu Raúl Alarcon Garcia, por saída de estrada, ao quilómetro 153, já na descida para Águeda, onde terminou a etapa.

Na etapa quem recolheu mais pontos foi Pedro Andrade, da Vito/Feirense/PNB, mas a vitória nos pontos foi posse de António Angulo Sampedro, que dessa forma teve uma espécie de prémio de consolação.

Patrick Videira, da Fortunna/Maia, foi o vencedor do prémio da montanha, depois de uma etapa sempre corrida na cabeça da prova.

Nas Metas Volantes a vitória foi de David de la Fuente Rasilla, da Aviludo/Louletano. Elias Daniel Tello Volbaran, da Kuota – Construcciones Paulino, venceu a Geral Encarnada, Jorge Magalhães, de W52/FC Porto, venceu a Geral Juventude; na Geral Autarquias Daniel Freitas acabou em primeiro e David Ribeiro teve igual desempenho na Geral Bolinhas.

DECLARAÇÕES NO FINAL

JF1 6098 Vencedor do GP ABIMOTA - Martin Gotzon

"Sinto muita felicidade, muita alegria, foi uma etapa muito dura e ainda me custa a acreditar. Havia muita competiçao e executei uma fuga com gente que colaborou e tinha um companheiro na fuga que deu tudo por mim e para chegar à meta tive que dar tudo para conseguir os 15 segundos que necessitava para conseguir vencer."

Vencedor da Etapa - Pedro Andrade
"Sinto-me muito feliz, pois é o meu primeiro ano como Sub23, tendo ainda apenas 19 anos e nunca tinha pensado vencer neste primeiro ano, um ano mais de adaptação, uma etapa e consegui logo vencer a última deste Grande Prémio ABIMOTA, com esta chegada mítica a Águeda."
 
Diretor da Prova - Vital Almeida 
"Correu bem, desportivamente houve muita competição, tivemos o azar de algumas quedas, alguns corredores tiveram que ir para o hospital, felizmente tenho a  informação que não é nada de grave, mas houve competição, competição até ao fim que é o mais importante."
 
Secretário geral da Abimota - Gil Nadais 
"Esta etapa teve duas partes distintas, uma parte em que as curvas atingiram grande velocidade, também não tinha grandes dificuldades, que é a parte que nós chamamos das "praias", depois tivemos uma segunda parte muito mais interessante com algumas fugas, mas o ciclismo é isto e acho que temos aqui uma verdadeira festa do ciclismo."
 
Presidente da Camara Municipal de Águeda - Jorge Almeida
"Hoje, por exemplo, tívemos aqui o tri Challenge, que também está ligado ao desporto de duas rodas, com centenas e centenas de participantes e acabou ao bocadinho e depois temos a chegada do ABIMOTA que é a 40ª edição, em todas as suas edições, naturalmente a Abimota está cediada em Águedae acaba sempre em Águeda, é tradição e este ano aconteceu com bastante brilho, mesmo apesar deste tempo ameaçar alguma chuva, temos esta mole imensa de pessoas, que mostra o quanto as pessoas de Águeda gostam do ciclismo."
"Águeda terra das duas rodas, das bicicletas, faz juz a isso e temos o ABIMOTA, mas à quinze dias tivemos aqui o grande prémio anicolor, ou seja este mesmo 
pelotão, teve aqui também numa chegada e no próximo fim de semana temos uma prova do nacinal de Enduro, tivemos aqui o mundial de Motocross e depois vamos ter, durante o mês de Julho o Agite Águeda, quer dizer que Águeda não pára." 

GP ABIMOTA Podio final GP ABIMOTA 1 JF1 5563

  • Fotografias de: João Fonseca

Ao quilómetro 153 aconteceram cinco quedas no mesmo local, o que segundo elementos da caravana, que se defrontaram com dificuldades no mesmo ponto, indica que as condições de aderência do piso estariam degradadas.

Na sequência da queda, Raúl Alarcon Garcia foi o ciclista que saiu mais combalido da situação. O homem da W52/FC Porto foi assistido pela equipa médica da prova no local e evacuado para o hospital, para observações, onde se confirmou uma fractura da clavícula direita. Os restantes ciclistas apenas tiveram escoriações.

A organização dirige votos de pronto restabelecimento aos atletas.

DESCRIÇÃO DA ETAPA

A chuva e o vento marcaram a quarta etapa do 40º GP ABIMOTA. A derradeira etapa é conhecida como a etapa das praias e teve partida em Anadia e chegada a Águeda, num total de 174,35 Km´s. Durante a tirada foram disputadas a Meta Autarquias em Ílhavo ao Km 64,90; Duas Metas Volante em Mira ao Km 27,50 e em Águeda (Km 99,40). Foram ainda disputadas duas Metas de Montanha, em Sever do Vouga ao Km 136,40 e nas Talhadas ao Km 147,5. Meta Bolinhas em Albergaria-a-Velha ao Km 118,60. A etapa terminou às 17,00 horas na Av. 25 de Abril em Águeda.

Dada a partida simbólica para a quarta etapa às 11h55m.

Km 8. pelotão compacto, com algumas tentativas de fuga anuladas.

Km 13: ataque de José Ferreira - W52/FC Porto, anulado de seguida.

Km 27 (antes da Meta Volante de Mira): queda colectiva.

Meta Volante de Mira, ao Km 27,5 vencida por Oscar Ferrandis Pelegri - Vito/Feirense/PNB, seguido de Oscar Hernandez - Aviludo/Louletano e de Márcio Barbosa - Aviludo/Louletano.

Desistência de Pedro Paulinho - Efapel, por queda. 

Km 31: pelotão compacto.

Km 58: algumas tentativas de fuga esporádicas, rapidamente anuladas pelo pelotão. 

Km 64: fuga de sete corredores: Rafael Lourenço - UD Olivieirense/Inoutbuild; Daniel Freitas - Miranda/Mortágua; David de la Fuente Rasilla - Aviludo/Louletano; Diogo Duarte - Sicasal/Constantinos; Steven Calderón - Kuota - Construcciones Paulino; Leangel Linarez Meneses Kuota - Construcciones Paulino; Gonçalo Leaça - LA Aluminios/LA Sport.  Tomas Amstrong - Kuota - Construcciones Paulino, juntou-se à cabeça da corrida. Contagem ao pelotão de 15 segundos.

Meta Autarquias de Ílhavo, ao Km 64,95, vencida por Daniel Freitas - Miranda/Mortágua; Rafael Lourenço - UD Olivieirense/Inoutbuild foi segundo e Gonçalo Leaça - LA Aluminios/LA Sport foi terceiro.

Km 69: pelotão anula fuga.

Km 85: fuga de onze ciclistas: Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB; David Ribeiro - LA Aluminios/LA Spot; Hélder Gonçalves - UD Olivieirense/Inoutbuild; Francisco Preira - JV Perfis/Gondomar Cultural; Jokim Aramburu - Equipo Euskadi; Steven Calderón - Kuota - Construcciones Paulino; Oscar Sanchez Caballero - Kuota - Construcciones Paulino; Patrick Videira - Fortunna/Maia; Raúl Alarcon Garcia - W52/FC Porto; João Barbosa - Vito/Feirense/PNB; Gotzon Martin - Equipo Euskadi. Contagem ao pelotão 45 segundos.

Km 89: contagem ao pelotão 1m 28s.

Km 92: média horária de 46Km/h. Contagem ao pelotão 2m 20s.

Km 93: contagem ao pelotão 2m 33s.

Km 96: contagem ao pelotão 2m 35s.

Meta Volante de Agueda, ao Km 99,40, vitória de Gotzon Martin - Equipo Euskadi seguido de Jokim Aramburu - Equipo Euskadi e  Steven Calderón - Kuota - Construcciones Paulino.  Contagem ao pelotão 2m 40s.

David de la Fuente Rasilla - Aviludo/Louletano, será o virtual vencedor das Metas Volantes.

Km 103: contagem ao pelotão 2m 47s. Desistências de Luís Fernandes - Aviludo/Louletano, Afonso Gonçalo - Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar e Oscar Hernandez - Aviludo/Louletano.

Km 108: contagem ao pelotão 2m 55s.

Km 110: queda de Tiago Leal - Miranda/Mortágua. O ciclista abandonou a prova.

Km 111: contagem ao pelotão 2m 05s.

Km 115: contagem ao pelotão 2m35s.

Meta Bolinhas de Albergaria-a-Velha, ao Km 118, 65, ganha por David Ribeiro - LA Alumínios/LA Sport; Hélder Gonçalves - UD Oliveirense/Inoutbuild foi segundo e Jokim Aramburu - Equipo Euskadi, foi terceiro.

O vencedor virtual das Metas Bolinhas, será David Ribeiro - LA Alumínios/LA Sport.

Km 119: contagem ao pelotão 3m 12s.

Km 126: contagem ao pelotão 4m 05s.

Km 133: David Ribeiro - LA Alumínios/LA Sport, Jokim Aramburu - Equipo Euskadi, Francisco Pereira - JV Perfis/Gondomar Cultural, Oscar Sanchez Caballero - Kuota - Construcciones Paulino e Steven Calderón -  Kuota - Construcciones Paulino atrasam-se e perdem o contacto com a cabeça de corrida.

Na cabeça da corrida ficam: Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB; Hélder Gonçalves - UD Olivieirense/Inoutbuild;Jokim Aramburu - Equipo Euskadi; Patrick Videira - Fortunna/Maia; Raúl Alarcon Garcia - W52/FC Porto; João Barbosa - Vito/Feirense/PNB; Gotzon Martin - Equipo Euskadi.

Meta de Montanha de terceira categoria em Sever do Vouga, ao Km 136,40, vencida por Patrick Videira - Fortunna/Maia; no segundo posto João Barbosa - Vito/Feirense/PNB; Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB, foi terceiro.

Km 142: Patrick Videira - Fortunna/Maia isola-se na frente. O segundo grupo é agora constituído por: Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB; Raúl Alarcon Garcia - W52/FC Porto; João Barbosa - Vito/Feirense/PNB; Gotzon Martin - Equipo Euskadi e Rodrigo Caixas - LA Alumínos/LA Sport.

Meta de Montanha de segunda categoria em Talhadas, ao Km 147,55, vencida por João Barbosa - Vito/Feirense/PNB; Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB foi segundo, seguido por Gotzon Martin - Equipo Euskadi.

Km 148: contagem ao pimeiro grupo intermédio 1m 41s: Contagem ao segundo grupo intermédio 2m 50s, constituído por Hélder Gonçalves - UD Olivieirense/Inoutbuild e Aitor Bugarin - Supermercados Frois. Contagem ao pelotão 5m 01s.

Km 152: contagem ao segundo grupo, composto por João Barbosa - Vito/Feirense/PNB; Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB; Raúl Alarcon Garcia - W52/FC Porto e Gotzon Martin - Equipo Euskadi é de 2m 03s. 

Km 153: queda de Raúl Alarcon Garcia - W52/FC Porto

Km 160: contagem ao grupo intermédio 1m 32s.

Km 163: contagem ao grupo intermédio 1m 26s.

Km 164: contagem ao pelotão 2m 52s.

Km 170: Patrick Videira - Fortunna/Maia, isolado na frente com 54 segundos de vantagem sobre o segundo grupo.

Final: Vitória na etapa ao sprint de Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB

RESUMO PROVISÓRIO DAS CLASSIFICAÇÕES

INDIVIDUAL NA ETAPA

1

7

ANDRADE Pedro

CDF

4:09:40

2

154

MARTIN Gotzon

EUS

a 2

3

112

VIDEIRA Patrick

FOR

   m.t.

4

6

BARBOSA João

CDF

   m.t.

5

161

TELLO VOLBARAN Elias Daniel

KUO

a 56

6

62

MENDES José

STA

a 58

7

32

BARBIO António

LAA

a 1:00

8

72

LOURENÇO Rafael

UIO

a 1:02

9

42

FREITAS Daniel

MIR

   m.t.

10

82

FONTE César

W52

   m.t.

11

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

   m.t.

12

44

VEGA MERODIO Sergio

MIR

   m.t.

13

4

DEL PINO CORROCHANO Jesus

CDF

   m.t.

14

51

BENTA João

RPB

   m.t.

15

174

NORIEGA GOMEZ Diego

FRO

   m.t.

GERAL INDIVIDUAL

1

154

MARTIN Gotzon

EUS

13:13:22

2

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

a 53

3

82

FONTE César

W52

a 1:03

4

86

MAGALHÃES Jorge

W52

a 1:07

5

62

MENDES José

STA

a 1:14

6

32

BARBIO António

LAA

a 1:16

7

25

SILVA Bruno

EFP

a 1:19

8

44

VEGA MERODIO Sergio

MIR

a 1:25

9

41

SANCHO Hugo

MIR

   m.t.

10

51

BENTA João

RPB

a 1:28

11

161

TELLO VOLBARAN Elias Daniel

KUO

a 1:31

12

4

DEL PINO CORROCHANO Jesus

CDF

   m.t.

13

72

LOURENÇO Rafael

UIO

a 1:34

14

6

BARBOSA João

CDF

a 1:49

15

174

NORIEGA GOMEZ Diego

FRO

a 2:01

EQUIPAS NA ETAPA

1

1

VITO/FEIRENSE/PNB (P

CDF

12:30:04

2

5

MIRANDA/MORTÁGUA (PO

MIR

a 2:02

3

9

W52/FC PORTO (POR)

W52

a 4:04

4

18

SUPERMERCADOS FROIZ

FRO

   m.t.

5

8

UD OLIVEIRENSE/INOUT

UIO

a 4:59

GERAL EQUIPAS

1

1

VITO/FEIRENSE/PNB (P

CDF

39:23:47

2

9

W52/FC PORTO (POR)

W52

a 3:40

3

18

SUPERMERCADOS FROIZ

FRO

a 4:34

4

8

UD OLIVEIRENSE/INOUT

UIO

a 5:02

5

5

MIRANDA/MORTÁGUA (PO

MIR

a 12:21

PONTOS NA ETAPA

1

7

ANDRADE Pedro

CDF

25

2

154

MARTIN Gotzon

EUS

20

3

112

VIDEIRA Patrick

FOR

16

4

6

BARBOSA João

CDF

14

5

161

TELLO VOLBARAN Elias Daniel

KUO

12

GERAL PONTOS

1

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

50

2

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

39

3

85

CAMPOS Francisco

W52

36

4

7

ANDRADE Pedro

CDF

25

5

82

FONTE César

W52

23

GERAL MONTANHAS

1

112

VIDEIRA Patrick

FOR

26

2

163

CALDERON Steven

KUO

12

3

6

BARBOSA João

CDF

8

GERAL METAS VOLANTES

1

17

DE LA FUENTE RASILLA David

AVL

8

2

13

BARBOSA Márcio

AVL

6

3

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

5

GERAL ENCARNADA Equipa de Clube

1

161

TELLO VOLBARAN Elias Daniel

KUO

2

174

NORIEGA GOMEZ Diego

FRO

3

147

SALGUEIRO Carlos

SIC

GERAL JUVENTUDE

1

86

MAGALHÃES Jorge

W52

2

72

LOURENÇO Rafael

UIO

3

6

BARBOSA João

CDF

GERAL AUTARQUIAS

1

42

FREITAS Daniel

MIR

8

2

72

LOURENÇO Rafael

UIO

8

3

61

MACHADO Tiago

STA

5

GERAL BOLINHAS

1

34

RIBEIRO David

LAA

10

2

31

LEAÇA Gonçalo

LAA

5

3

75

GONÇALVES Hélder

UIO

4

 

rodape GPABIMOTA

GP ABIMOTA - 3ª etapa

Topo GPAbimota

António Angulo Sampedro mantém-se de amarelo

O corredor da Efapel venceu a terceira etapa, a mais longa do GP ABIMOTA, disputada hoje, Sábado 22 de Junho, entre Almeida e Vouzela, num total de 185,3 quilómetros.

GP ABIMOTA Fim3etapa  GP ABIMOTA percurso2  GP ABIMOTA Pódio

 

 

 

 

 

Foi uma etapa decidida sobre a meta, com o pelotão a rodar compacto nos últimos metros da tirada.

Um grupo de 14 corredores isolou-se nos primeiros quilómetros, mantendo-se o pelotão com diferenças a oscilarem entre os dois e os três minutos, com a Equipo Euskadi a liderar. Foi assim nos primeiros 40 quilómetros, altura em que a Aviludo/Louletano passou para a frente do pelotão.

Com a etapa sensivelmente a meio aconteceram outras tentativas de fuga, que foram prontamente anuladas.

O primeiro sinal sobre o desfecho da etapa aconteceu ao quilómetro 153, quando o Camisola Amarela, António Angulo Sampedro da Efapel, e o Camisola Bolinhas, Gonçalo Leaça da LA Alumínios/LA Sport, se isolaram na cabeça do pelotão com 25 segundos de avanço.

Mais uma vez a reacção do pelotão anulou a fuga. Equipo Euskadi e W52/FC Porto discutiam a liderança e o grupo rodava compacto nos últimos quilómetros da prova.

Quase com a meta à vista, Sampedro lançou o ataque, levando Francisco Campos e Cesar Fonte, ambos da W52/FC Porto no encalço. Óscar Pelegri Ferrandis da Vito/Feirense/PNB foi o quarto homem deste grupo, que cortou a meta separado por menos de um segundo.

GP ABIMOTA Asistencia

A 60 quilómetros da chegada, antes da entrada em Mangualde, António Angulo Sampedro sofreu uma queda que o atrasou, pois teve que ser assistido, mas nem isso o impediu de lançar o ataque, que lhe deu a vitória na etapa e lhe reforçou a posição de liderança.

A W52/FC Porto mantém o comando entre as equipas. O prémio da montanha foi vencido por Steven Calderón; David de la Fuente Rasilla foi o melhor nas Metas Volantes; Tiago Machado detém a Camisola Xadrês; Jorge Magalhães é o melhor na Geral Juventude; David Ribeiro veste a Camisola Bolinhas e Carlos Salgueiro veste de encarnado.

GP ABIMOTA percurso1 GP ABIMOTA Tunel Almeida

Declarações no final

JF1 3675Diretor da Prova - Vital Almeida

"Correu bem, foi muito competitiva, era uma etapa que à partida, não trazia grandes dificuldades, mas o tempo, o vento o sobe e desce, criaram algumas dificuldades aos corredores."
"Penso que o sobe e desce fez alguns estragos durante a etapa e esta última parte, é muito técnica que exigiu muito aos corredores porque é sempre a descer, muito complicada, 20 km a descer, requer grande atenção e era muito exigente."
 
JF1 5017Vencedor e Camisola Amarela - António Angulo Sampedro
"Sabíamos que teríamos de lutar pelo resultado máximo, estou muito contente e agradecido à equipa."
"Quando saí da curva à esquerda, vi que estava a passar os corredores da Vito e estava a ganhar vantagem, então percebi que era possível (ganhar) e é uma sensação incrível."
 
Segundo lugar - Francisco Campos
"Quando a equipa está bem e quando as sensações são boas é sempre de esperar um bom resultado."
"A equipa espera sempre o lugar mais alto do pódio, não foi possivel mas continuamos na luta."
"Foi uma etapa bastante difícil, com muito vento, em que a colocação fazia parte do prato do dia e aqui no final, a chegada era bastante dura e quem trouxesse
mais forças, iria discutir a etapa."
"A equipa vai recuperar bem e amanha estamos na luta."
 
Presidente CM Vouzela - Rui Miguel Ladeira Pereira
"Em primeiro lugar, para nós é um grande motivo de orgulho e satisfação acolher os 40 anos do Grande Prémio Abimota, um grande prémio que promove a bicicleta e o desporto há 40 anos e vir acabar esta terceira etapa a Vouzela, nesta data redonda, para nós é um motivo de orgulho e satisfação."
"O envolvimento, a competência, que é todos os dias imprimido na organização e as pessoas que lideram o processo e tenho que relevar a questão do Gil Nadais, a questão do João Miranda em particular e o Vital Almeida, são pessoas que desde a primeira hora que lançaram o desafio ao município de Vouzela e nós demonstramos toda a disponibilidade e a prova está aqui."
"Quero agradecer a toda a organização, a todos os que se envolveram, também naturalmente aos colaboradores do município, aos bombeiros voluntários de Vouzela, a toda a toda a organização e em particular a estes três amigos, o João Miranda, o Vital Almeida e o Gil Nadais, que foram inexcediveis e portanto já lhes lancei o desafio, para que nos próximos anos possamos continuar, aqui em Vouzela, a ter o 41º, 42º e por aí fora, Grande Prémio ABIMOTA.

 

Foi disputada a terceira etapa do 40º GP ABIMOTA, que ligou Almeida a Vouzela num total de 185, 3 Kms. Nesta etapa, a mais longa da prova, a primeira Meta Volante aconteceu em Vilar Formoso ao Km 15,90. Na Guarda (Km 65,10) teve lugar a Meta Autarquias e juntaram-se ainda três contagens de Montanha ao KM 36,20 na EN16, em Chãs de Tavares ao Km 118,80 e em Pindela de Silgueiros, ao Km 146,20. O final da etapa aconteceu em Vouzela, junto à Câmara Municipal, pelas 17,00 horas. Alinharam 111 ciclistas. 

  • Descrição da etapa

Ataque da W52/FC Porto. 14 ciclistas em fuga.

Km 12: cabeça da corrida constituída por: Steven Calderón - Kuota - Construcciones Paulino; Marcelo Salvador - Sicasal/Constantinos; Ibai Azurmendi - Equipo Euskadi; Tiago Machado - Sporting /Tavira; Rodrigo Caixas - LA ALuminios/LA Sport; Francisco Garcia Rus - Aviludo/Louletano; Marvin Scheulen - LA Aluminios/La Sport; Jesus del Pino Corrochano - Vito/feirense/PNB; Oscar Hernandez - Aviludo/Louletano; Fabricio Ferrari Barceló - Efapel; Márcio Barbosa - Aviludo/Louletano; Angel Lourenzo Sanches Rebollido - W52/FC Porto; João Guerreiro - Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar. Pelotão a 26 segundos.

Meta Volante de Vilar Formoso, ao Km 15,9. ganha por Márcio Barbosa - Aviludo/Louletano, seguido por Dzmitry Zhihunou - Equipo Euskadi e Oscar Hernandez - Aviludo/Louletano.

Km 19: contagem ao pelotão: três minutos.

Km 27: contagem ao pelotão: 2m 25s.

Km 35: contagem ao pelotão: 2m50s.

Meta de Montanha de terceira categoria ao Km 36,2, na E.N. 16, vencida por Francisco Garcia Rus - Aviludo/Louletano. Patrick Videira - Fortunna/Maia, foi segundo, seguido por Steven Calderón - Kuota/Construcciones Paulino. Pelotão a três minutos.

Primeira hora de corrida, cumpridos 40 quilómetros.

Km 42: Aviludo/Louletano comanda o pelotão. A distância à cabeça da corrida é de 3m 42s. 

Km 50: contagem ao pelotão de 2m 52s. Fernando Faria - Fortunna/Maia abandonou. 

Km 58: na cabeça da corrida rolam: Jesus del Pino Corrochano - Vito/Feirense/PNB; Márcio Barbosa - Aviludo/Louletano; Oscar Hernandez - Aviludo/Louletano; Francisco Garcia Rus - Aviludo/Louletano; Fabricio Ferrari Barcelo - Efapel; Marvin Scheulen - LA Aluminios/LA Sport; Rodrigo Caixas - LA Aluminios/LA Sport; Tiago Machado - Sporting/Tavira;  Angel Lourenzo Sanches Rebollido - W52/FC Porto; João Guerreiro - Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar; Patrick Videira - Fortunna/Maia; Dzmitry Zhihunou - Equipo Euskadi; Steven Calderón - Kuota/Construcciones Paulino. Distância ao pelotão: 2m 40s.

Abandonos de Hugo Nunes - Radio Popular/Boavista e de Leonel Coutinho - Aviludo/Louletano.

Km 65: gera-se um grupo intermédio, constituído por: Marvin Scheulen - LA Aluminios/LA Sport; Francisco Garcia Rus - Aviludo/Louletano; Ibai Azurmendi - Equipo Euskadi; Jokin Aramburu - Equipo Euskadi.

Meta Autarquias na Guarda, ao Km 65.1, vencida por Tiago Machado - Sporting/Tavira, seguido de Gonçalo Leaça - LA Alumiínios/LA Sport e Francisco Garcia Rus - Aviludo/Louletano, respectivamente.

Km 66: O grupo intermédio volta a unir-se à cabeça da corrida. 

Km 68: ataque de Tiago Machado - Sporting/Tavira e Gonçalo Leaça - LA Alumínios/LA Sport.

Km 84: cabeça da corrida constituída por: Jesus del Pino Corrochano - Vito/feirense/PNB; Márcio Barbosa - Aviludo/Louletano; Fábio Costa - UD Oliveirense/Inoutbuild; Francisco Garcia Rus - Aviludo Louletano; Fabricio Ferrari Barceló - Efapel; Marvin Scheulen - LA Aluminios/LA Sport;  Rodrigo Caixas - LA Alumínios/LA Sport; Tiago Machado - Sporting/Tavira; Angel Lourenzo Sanches Rebollido - W52/FC Porto; Patrick Videira - Fortunna/Maia;  Ibai Azurmendi - Equipo Eukadi; Dzmitry Zhihunou - Equipo Euskadi; Steven Calderón - Kuota/Construcciones Paulino. Pelotão a 2m 10s.

Km 90: abandono de Quévin Sequeira - Jorbi Team/José Maria Nicolau

Km 91: contagem ao pelotão: 1m 28s. 

Km 92: Marvin Scheulen - LA Aluminios/LA Sport atrasou-se face à cabeça da corrida e foi alcançado pelo pelotão.

Km 93: desistência de Luís Camacho - ACDC Trofa/Trofense 

Km 96: grupo da frente alcançado pelo pelotão. Abandono de João Guerreiro - Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar.

Km 104: fuga de: Diogo Duarte - Sicasal/Constantinos; Cristian Mota Perez - Miranda/Mortágua; Oscar Sanchez Caballero - Kuota/Construcciones Paulino;  Jokin Aramburu - Equipo Euskadi; Fabricio Ferrari Barceló - Efapel; David Livramento - Sporting/Tavira; Oscar Hernandez - Aviludo/Louletano; Filipe Cardoso - Vito/Feirense/PNB; Francisco Campos - W52/FC Porto. Pelotão a 12 segundos.

Km 106: pelotão alcança os fugitivos.

Km 109: abandono de António Gomez - Radio Popular/Boavista.

Equipo Euskadi mantém-se na frente do pelotão.

Meta de montanha de terceira categoria, na EN 16, ao KM 111,8 vencida por Steven Calderón - Kuota/Construcciones Paulino. Júlio Gonçalves - JB Perfis/Gondomar Cultural foi segundo e Bruno Silva, Efapel terceiro.

Km 114: abandonos de João Campos e de Francisco Duarte, ambos da Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar.

Km 119: Fuga de Hélder Gonçalves - UD Oliveirense/Inoutbuild; Diego Lopez - Equipo Euskadi; Cristian Mota Perez - Miranda/Mortágua; David Ribeiro - LA Alumínios/LA Sport. Pelotão a 20 segundos.

Km 123: o Camisola Amarela, António Angulo Sampero - Efapel, sofre uma queda.

Meta Bolinhas em Mangualde ao Km 124,5 vencida por David Ribeiro - LA Alumínios/LA Sport. Cristian Mota Perez - Miranda/Mortágua foi segundo, seguido por Hélder Gonçalves - UD Oliveirense/Inoutbuild.

Km 129: a contagem ao pelotão é de 1m 15s.

Km 142: contagem ao pelotão é de 57s.

Meta de Montanha de terceira categoria em Pindela de Silgueiros ao Km 146,2, vencida por David Ribeiro - LA Alumínios/LA Sport; Hélder Gonçalves - UD Oliveirense/Inoutbuild foi segundo e Tiago Machado - Sporting/Tavira terceiro.

Steven Calderón - Kuota/Construcciones Paulino comanda a classificação provisória da Montanha.

Km 153: o Camisola Amarela, António Angulo Sampedro - Efapel, e o Camisola Bolinhas, Gonçalo Leaça - LA Alumínios/LA Sport, isolam-se na cabeça do pelotão com 25 segundos de avanço.

Km 164: cabeça da prova com 30 segundos de vantagem sobre o pelotão.

Km 167: um grupo de fugitivos constituído por Marcos Jurado Rodriguez - Efapel; Maikel Alonso - Equipo Euskadi; Filipe Cardoso - Vito/Feirense/PNB; César Fonte - W52/FC Porto, alcançou a cabeça da corrida, que integra agora seis corredores.

Km 174: intermédios a 25 segundos da cabeça da corrida e pelotão a 32 segundos. Euskadi e W52/FC Porto a discutirem a liderança do pelotão.

Km 179: pelotão alcança cabeça da corrida e segue compacto.

Chegada: o Camisola Amarela, António Angulo Sampedro - Efapel corta a meta em primeiro.

Resultados Provisórios no final da 3ª Etapa

RESUMO PROVISÓRIO DAS CLASSIFICAÇÕES

INDIVIDUAL NA ETAPA

1

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

4:40:34

2

85

CAMPOS Francisco

W52

   m.t.

3

82

FONTE César

W52

   m.t.

4

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

   m.t.

5

51

BENTA João

RPB

   m.t.

6

2

CARDOSO Filipe

CDF

   m.t.

7

25

SILVA Bruno

EFP

   m.t.

8

61

MACHADO Tiago

STA

   m.t.

9

32

BARBIO António

LAA

   m.t.

10

22

JURADO RODRIGUEZ Marcos

EFP

   m.t.

11

86

MAGALHÃES Jorge

W52

   m.t.

12

71

FERNANDES Venceslau

UIO

   m.t.

13

153

AZURMENDI Ibai

EUS

   m.t.

14

151

ALONSO Mikel

EUS

   m.t.

15

23

FERRARI BARCELO Fabricio

EFP

   m.t.

GERAL INDIVIDUAL

1

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

9:03:33

2

82

FONTE César

W52

a 10

3

87

CARVALHO António

W52

a 14

4

86

MAGALHÃES Jorge

W52

   m.t.

5

84

SANCHEZ REBOLLIDO Angel Lorenzo

W52

   m.t.

6

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

a 15

7

151

ALONSO Mikel

EUS

a 16

8

25

SILVA Bruno

EFP

   m.t.

9

22

JURADO RODRIGUEZ Marcos

EFP

   m.t.

10

153

AZURMENDI Ibai

EUS

   m.t.

11

154

MARTIN Gotzon

EUS

   m.t.

12

23

FERRARI BARCELO Fabricio

EFP

   m.t.

13

61

MACHADO Tiago

STA

a 21

14

2

CARDOSO Filipe

CDF

a 25

15

32

BARBIO António

LAA

   m.t.

EQUIPAS NA ETAPA

1

9

W52/FC PORTO (POR)

W52

14:01:42

2

3

EFAPEL (POR)

EFP

   m.t.

3

16

EQUIPO EUSKADI

EUS

   m.t.

4

15

SICASAL/CONSTANTINOS

SIC

   m.t.

5

18

SUPERMERCADOS FROIZ

FRO

a 12

6

1

VITO/FEIRENSE/PNB (P

CDF

a 13

7

8

UD OLIVEIRENSE/INOUT

UIO

   m.t.

8

7

SPORTING/TAVIRA (POR

STA

a 21

9

17

KUOTA - CONSTRUCCION

KUO

a 34

10

5

MIRANDA/MORTÁGUA (PO

MIR

a 10:25

GERAL EQUIPAS

1

9

W52/FC PORTO (POR)

W52

26:53:19

2

3

EFAPEL (POR)

EFP

a 2

3

16

EQUIPO EUSKADI

EUS

   m.t.

4

1

VITO/FEIRENSE/PNB (P

CDF

a 24

5

8

UD OLIVEIRENSE/INOUT

UIO

a 27

6

7

SPORTING/TAVIRA (POR

STA

a 28

7

15

SICASAL/CONSTANTINOS

SIC

a 30

8

18

SUPERMERCADOS FROIZ

FRO

a 54

9

17

KUOTA - CONSTRUCCION

KUO

a 1:04

10

5

MIRANDA/MORTÁGUA (PO

MIR

a 10:43

PONTOS NA ETAPA

1

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

25

2

85

CAMPOS Francisco

W52

20

3

82

FONTE César

W52

16

4

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

14

5

51

BENTA João

RPB

12

GERAL PONTOS

1

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

45

2

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

39

3

85

CAMPOS Francisco

W52

36

4

2

CARDOSO Filipe

CDF

18

5

82

FONTE César

W52

17

GERAL MONTANHAS

1

163

CALDERON Steven

KUO

12

2

34

RIBEIRO David

LAA

6

3

16

GARCIA RUS Francisco

AVL

6

GERAL METAS VOLANTES

1

17

DE LA FUENTE RASILLA David

AVL

8

2

13

BARBOSA Márcio

AVL

5

3

74

COSTA Fábio

UIO

1

GERAL XADRES

1

61

MACHADO Tiago

STA

5

2

72

LOURENÇO Rafael

UIO

5

3

42

FREITAS Daniel

MIR

3

GERAL JUVENTUDE

1

86

MAGALHÃES Jorge

W52

2

74

COSTA Fábio

UIO

3

72

LOURENÇO Rafael

UIO

GERAL ENCARNADA Equipa de Clube

1

147

SALGUEIRO Carlos

SIC

2

161

TELLO VOLBARAN Elias Daniel

KUO

3

143

SILVA Daniel

SIC

GERAL BOLINHAS

1

34

RIBEIRO David

LAA

5

2

31

LEAÇA Gonçalo

LAA

5

3

45

MOTA PEREZ Cristian

MIR

3

 

rodape GPABIMOTA

GP ABIMOTA - 2ª etapa

Topo GPAbimota

António Angulo Sampedro veste de amarelo

Vitória ao sprint de Oscar Pelegri Ferrandis na segunda etapa do 40º GP ABIMOTA, que ligou Ourém a Mortágua, numa extenção de 170.3Km. 

António Angulo Sampedro - Efapel cortou a meta em nono lugar, depois de 170 quilómetros muito disputados, em que os nove primerios terminaram separados por menos de um segundo. Oscar Pelegri Ferrandis Vito/Feirense, foi o homem do dia ao vencer a etapa sobre a meta, com forte oposição de Francisco Campos - W52/FC Porto, que cortou quase lado a lado. A W52/FC Porto manteve o comando da prova, por equipas.

A etapa foi dominada, no início, por um grupo de seis corredores - Thomas Armstrong - Kuota/Construcciones Paulino; Pedro Lopes - UD Olivieirense/Inoutbuilt; Pedro Pinto - Miranda/Mortágua; Gonçalo Leaça - LA Aluminios/LA SPort; Bjorn Thurau - Vito/Feirense/PNB; Hugo Nunes - Rádio Popular/Boavista; Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB - que nunca conseguiram um vantagem sólida sobre o pelotão, que foi encabeçado, a maior parte do tempo, pela Equipo Euskadi. 

Os últmos dez quilómetros foram decisivos. David de la Fuente Rasilla - Aviludo Louletano lançava o ataque, seguido por Hugo Nunes - Radio Popular/Boavaista, que rodava completamente colado. De seguida era a vez António Barbio - LA Alumínios/La Sport se destacar, mas não por muito tempo.

Nos últimos quilómetros os homens da W52/FC Porto lançaram o ataque, que os levava a bater os espanhóis da Equipo Euskadi na cabeça do pelotão. Francisco Campos - W52/FC Porto, forçou, mas não chegou para vencer, levando Mikel Alonso - Equipo Euskadi na peugada.

 GP ABIMOTA 2etapa vence GP ABIMOTA 2etapa GP ABMOTA podium

Declarações no final

Diretor da Prova - Vital Almeida

 "(A segunda etapa) foi bem disputada, houve fuga, houve competição e uma chegada ao Sprint. A prova contou com dificuldades e esta ultima montanha, não veio facilitar nada os atletas mas houve competição que é o mais importante. Para amanha esperamos uma etapa muito idêntica a esta, com competição e uma chegada ao sprint".
 
JF1 3925 Camisola amarela - Antonio Angulo Sampedro
 
"Sabiamos que a parte final ia ser muito nervosa, porque havia alguns ressaltos e uma descida muito rápida até à meta, primeiro foi uma fuga e ganhou-se 
tempo, coloquei-me logo atrás da Equipo Euskadi, que fez um bom trabalho, no final saímos muito rápido e graças à equipa cheguei aqui em condições de conseguir a vitória e pronto, ficamos com a camisola amarela e agora é ver se a mantemos".
 
JF1 3701 Vencedor da etapa - Oscar Pelegri Ferrandis
 
"De inicio foi dificil, porque não sabiamos se ia haver uma fuga, não sabiamos o que haviamos de fazer e afinal sim, foi uma fuga que valeu ao Porto. A Equipo Euskadi passou a controlar, e então eu já sabia que queriam acabar ao sprint".
"Pela nossa parte era guardar todas as forças possiveis e na ultima subida era estar na linha da frente. A equipa conseguiu que tanto eu, como o Filipe, entrássemos todos á frente e o Filipe ajudou-me muito no ultimo quilómetro... eu só tive que sprintar e levantar os braços."
"Treinei bem. Esta volta é mais de sprinter, para corredores mais rápidos, então tive a esperança, depois da vitória geral do ano passado, de que iria aqui ganhar uma etapa pelo menos e faremos todos os possiveis para tentar ganhar à geral mas será complicado"´
  • Descrição da etapa 

A partida oficial foi dada às 12h30, em Ourém. Após 8,65Km´s realizou-se a primeira Meta de Montanha, Fátima/Ourém, uma contagem de terceira categoria, que foi ganha por Patrick Videira - Fortunna/Maia, seguido por Steven Calderón - Kuota - Construcciones Paulino e Hugo Sancho - Miranda/Mortágua.

A Meta Autarquias do dia teve lugar em Ourém ao Km 24.6 e teve a seguinte classificação:

1º Rafael Lourenço - UD Olivierense/Inoutbuild
2º Daniel Freitas - Miranda/Mortágua
3º Márcio Barbosa - Aviludo/Louletano

Ao Km 44,10 teve lugar a Meta Bolinhas, com vitória para Gonçalo Leça - LA Alumínios/La Sport, seguido por Hugo Nunes - Rádio Popular/Boavista e Bjorn Thurau - Vit/Feirense/PNB.

A segunda Meta Montanha desta etapa foi em Zambujal – Alvaiázere (Km 52,2) teve a seguinte classificação:

1º Hugo Nunes – Rádio Popular/Boavista

2º Bjöm Thurau – Vito/Feirense/PNB

3º David de la Fuente Rasilla – Aviludo/Louletano

A cabela da prova estava ocupada por Thomas Armstrong - Kuota/Construcciones Paulino;  Pedro Lopes - UD Olivieirense/Inoutbuilt; Pedro Pinto - Miranda/Mortágua; Gonçalo Leaça - LA Aluminios/LA SPort; Bjorn Thurau - Vito/Feirense/PNB; Hugo Nunes - Rádio Popular/Boavista; Pedro Andrade - Vito/Feirense/PNB

Ao Km 80 a Euskadi estava na cabeça do pelotão. O grupo fugitivo tinha uma vantagem de 2m10s, sobre o pelotão. A média horária até este momento era de 40Km/h.

 A Meta Volante do Lousã (KM 100,55) teve a seguinte clssificação:

1º Hugo Nunes - Rádio Popular/Boavista

2º David de la Fuente Rasillas - Aviludo/Louletano

3º Thomas Armstrong - Kuota Construcciones/Paulino

Aos 100 Km´s a vantagem para o pelotão era de 2m 05s.

A média horário subiu, estando em 42Km/h, ao quilómetro 120.

Ao Km 131 a cabeça da corrida era constituída por: BjornThurau - Vito/Feirense/PNB; David de la Fuente - Aviludo/Louletano; Francisco Garcia Rous - Aviludo Louletano.

Km 139, Gonçalo Inácio foi apanhado pelo pelotão, que estava a 2m15 da cabeça da corrida. Euskadi mantém comando do pelotão.

Km 147, o pelotão recuperava distância para a cabeça da corrida e estava a dois minutos.

Km 150, o pelotão estava a 50s da cabeça da corrida.

Bjorn Thurau perdeu o contacto com a cabeça da corrida ao Km155, sendo integrado no pelotão. A cabeça de corrida era agora constituída por David de la Fuente Rasilla - Aviludo Louletano e Hugo Nunes -Rádio Popular/Boavista.

A Meta Volante de Mortágua, ao Km160 cumpria-se com quatro horas de corrida. Foi vencida por David de la Fuente Rasilla - Aviludo Louletano; seguido por Hugo Nunes - Radio Popular/Boavaista, completamente colado e Bjorn Thurau - Vito/Feirense/PNB era terceiro.

Ao Km 165 António Barbio - LA Alumínios/La Sport destacava-se. Marcos Jurado Rodriguez - Efapel era o fugitivo e colocava-se a seis segundos.A W52/FC Porto colocava-se na dianteira do pelotão.

FInal. Km 170,3. Vitória ao sprint de Oscar Pelegri Ferrandis - Vito/Feirense/PNB, seguido por António Angulo Sampedro - Efapel e Francisco Campos - W52/FC Porto. A camisola amarela é posse de António Angulo Sampedro - Efapel 

RESUMO PROVISÓRIO DAS CLASSIFICAÇÕES

INDIVIDUAL NA ETAPA

1

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

4:14:12

2

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

   m.t.

3

85

CAMPOS Francisco

W52

   m.t.

4

151

ALONSO Mikel

EUS

   m.t.

5

42

FREITAS Daniel

MIR

   m.t.

6

74

COSTA Fábio

UIO

   m.t.

7

166

LINAREZ MENESES Leangel

KUO

   m.t.

8

2

CARDOSO Filipe

CDF

   m.t.

9

14

HERNANDEZ Oscar

AVL

   m.t.

10

147

SALGUEIRO Carlos

SIC

   m.t.

11

61

MACHADO Tiago

STA

   m.t.

12

25

SILVA Bruno

EFP

   m.t.

13

15

PEREZ MARTIN Juan Ignacio

AVL

   m.t.

14

11

FERNANDES Luís

AVL

   m.t.

15

82

FONTE César

W52

   m.t.

GERAL INDIVIDUAL

1

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

4:23:09

2

82

FONTE César

W52

a 4

3

87

CARVALHO António

W52

   m.t.

4

81

ALARCON GARCIA Raul

W52

   m.t.

5

86

MAGALHÃES Jorge

W52

   m.t.

6

84

SANCHEZ REBOLLIDO Angel Lorenzo

W52

   m.t.

7

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

a 5

8

151

ALONSO Mikel

EUS

a 6

9

25

SILVA Bruno

EFP

   m.t.

10

154

MARTIN Gotzon

EUS

   m.t.

11

152

ARAMBURU Jokin

EUS

   m.t.

12

153

AZURMENDI Ibai

EUS

   m.t.

13

22

JURADO RODRIGUEZ Marcos

EFP

   m.t.

14

23

FERRARI BARCELO Fabricio

EFP

   m.t.

15

61

MACHADO Tiago

STA

a 11

EQUIPAS NA ETAPA

1

9

W52/FC PORTO (POR)

W52

12:42:36

2

2

AVILUDO/LOULETANO (P

AVL

   m.t.

3

1

VITO/FEIRENSE/PNB (P

CDF

   m.t.

4

3

EFAPEL (POR)

EFP

   m.t.

5

16

EQUIPO EUSKADI

EUS

   m.t.

6

17

KUOTA - CONSTRUCCION

KUO

   m.t.

7

8

UD OLIVEIRENSE/INOUT

UIO

   m.t.

8

7

SPORTING/TAVIRA (POR

STA

   m.t.

9

15

SICASAL/CONSTANTINOS

SIC

   m.t.

10

5

MIRANDA/MORTÁGUA (PO

MIR

   m.t.

GERAL EQUIPAS

1

9

W52/FC PORTO (POR)

W52

12:51:37

2

3

EFAPEL (POR)

EFP

a 2

3

16

EQUIPO EUSKADI

EUS

   m.t.

4

7

SPORTING/TAVIRA (POR

STA

a 7

5

1

VITO/FEIRENSE/PNB (P

CDF

a 11

6

8

UD OLIVEIRENSE/INOUT

UIO

a 14

7

5

MIRANDA/MORTÁGUA (PO

MIR

a 18

8

2

AVILUDO/LOULETANO (P

AVL

a 21

9

6

RADIO POPULAR/BOAVIS

RPB

   m.t.

10

17

KUOTA - CONSTRUCCION

KUO

a 30

PONTOS NA ETAPA

1

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

25

2

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

20

3

85

CAMPOS Francisco

W52

16

4

151

ALONSO Mikel

EUS

14

5

42

FREITAS Daniel

MIR

12

GERAL PONTOS

1

1

PELEGRI FERRANDIS Oscar

CDF

25

2

21

ANGULO SAMPEDRO Antonio

EFP

20

3

85

CAMPOS Francisco

W52

16

4

151

ALONSO Mikel

EUS

14

5

42

FREITAS Daniel

MIR

12

GERAL MONTANHAS

1

112

VIDEIRA Patrick

FOR

6

2

53

NUNES Hugo

RPB

6

3

163

CALDERON Steven

KUO

4

GERAL METAS VOLANTES

1

17

DE LA FUENTE RASILLA David

AVL

8

2

53

NUNES Hugo

RPB

8

GERAL SPRINTS

1

72

LOURENÇO Rafael

UIO

5

2

42

FREITAS Daniel

MIR

3

3

13

BARBOSA Márcio

AVL

1

GERAL JUVENTUDE

1

86

MAGALHÃES Jorge

W52

2

152

ARAMBURU Jokin

EUS

3

5

RICO Raul

CDF

GERAL ENCARNADA Equipa de Clube

1

147

SALGUEIRO Carlos

SIC

2

161

TELLO VOLBARAN Elias Daniel

KUO

3

143

SILVA Daniel

SIC

GERAL METAS BOLINHAS

1

31

LEAÇA Gonçalo

LAA

5

2

53

NUNES Hugo

RPB

3

3

3

THURAU Björn

CDF

1

 

 

rodape GPABIMOTA

40º GP ABIMOTA - 1ª etapa

Topo GPAbimota

Raúl Alarcon Garcia, o primeiro "Camisola Amarela"

A W52/FC Porto venceu o contrarrelógio que abriu a 40ª edição do GP ABIMOTA, disputado esta tarde na zona do Campo Grande, em Lisboa.

GP ABIMOTA CR1 GP ABIMOTA CR2 GP ABIMOTA Tunel

Às 15,00 horas foi dada a partida para o 40º GP ABIMOTA, com a realização do contrarrelógio do Campo Grande, em Lisboa. A prova foi disputada em duas voltas a um circuito de 3,9 quilómetros, perfazendo 7,80 quilómetros, que foram vencidos pela W52/FC Porto, com o tempo de 9m 01s. Raúl Alarcon Garcia rolou em nove minutos exactos, tendo sido o mais rápido no circuito.

JF1 1651

A Equipo Euskadi afirmou-se como principal adversária da W52/FC Porto, tendo rodado em mais dois segundos que os vencedores, ou seja, com o tempo de 9m 03s. A Efapel atingiu o terceiro posto, com o mesmo tempo que a Euskadi.

GP ABIMOTA GarciaDisse o vencedor - Raúl Alarcon Garcia

"Correu muito bem para nós. Vencemos o contrarrelógio por equipas e estamos bem, estamos cinco ciclistas da equipa em boa forma e vamos ver como vão ser as etapas seguintes."

"Há que ver como vai ser amanhã, não há muita margem para as outras equipas e vamos tentar manter a camisola, nem que seja na equipa... que seja eu ou um coelga meu."

GP ABIMOTA VitalDisse o Director da Prova - Vital Almeida

"Foi interessante, a prova realizou-se como previamos. Foi discutida ao segundo, havia duas equipas com dois segundos de diferença o que é muito interessante."

"As etapas vão ser um bocadinho duras, há equipas em que o corpo já parte em vantagem, têm vários corredores com o melhor tempo, mas isso faz parte do ciclismo."

O GP ABIMOTA vai ter a segunda etapa disputada amanhã, sexta-feira dia 21 de Junho, entre Ourém e Mortágua, num total de 170,30Km´s. A partida vai ser dada às 12h25m. A etapa tem Contagens de Montanha, aos 8,65 em Fátima e aos 52,20 Km´s no Zambujal. Metas Volante na Lousã (100,55Kms) e Mortágua (150.60) onde, de seguida tem lugar o final da etapa. Meta Autarquias em Ourém aos 24,6 Kms e Meta Bolinhas em Freixianda aos 44,1 Kms.

  •  Fotos de: João Fonseca

4ª Taça de Portugal Jogos Santa Casa de Paraciclismo

Às 13,00 horas foi dada a partida para a 4ª Taça de Portugal Jogos Santa Casa de Paraciclismo, disputada no circuito do contrarrelógio de abertura do 40º GP ABIMOTA, com uma extenção de 3,9 Km´s. A prova teve a duração de uma hora mais três voltas, tendo sido disputadas dez categorias de Ciclismo Adaptado. A prova teve a participação de 27 atletas. 

Os vencedores foram:

  • Categoria C1: Bernardo Vieira, com o tempo de 1h 23m 16,867s
  • Categoria C2: Telmo Pinão, com 1h 26m 16s
  • Categoria C3: Paulo Teixeira, com 1h 19m 16s
  • Categoria C4: João Monteiro, com 1h 23m 16s
  • Categoria C5: Manuel Ferreira, com 1h 18m 39s
  • Categoria D: João Marques, com 1h 18m 30s
  • Categoria H3: João Pinto, com 1h 24m 19s
  • Categoria H4: Flávio Pacheco, com 1h 22m 32s
  • Categoria H5: Luís Costa, com 1h 22m 32s
  • Categoria Fe: Filomena Oliveira, com 1h 27m 46s 

 

 

rodape GPABIMOTA

Falta uma semana!

GPA2019

O Grande Prémio ABIMOTA, que comemora a 40ª edição, tem partida marcada em Lisboa, na próxima quinta-feira, dia 20 de Junho.

O 40º Grande Prémio ABIMOTA vai ter a participação de 18 equipas, das categorias Elite e Sub-23, que vão disputar quatro etapas, num total de mais de 500 quilómetros, distribuídos da seguinte forma.

  • 1ª Etapa:

A partida vai ser dada no dia 20 de Junho, no Campo Grande, para um contrarrelógio, num circuito que vai até ao Campo Pequeno e regressa à partida, totalizando 7,80 Km´s

  • 2ª etapa:

No dia 21 de Junho e vai ligar Ourém a Mortágua, num total de 170.3Km.

Tem uma Contagem de Montanha, aos 8,65 em Fátima e aos 52,20 Km´s no Zambujal. Metas Volante na Lousã (100,55Kms) e Mortágua (150.60) onde, de seguida tem lugar o final da etapa. Meta Autarquias em Ourém aos 24,6 Kms e Meta Bolinhas em Freixianda aos 44,1 Kms

  • 3ª etapa:

No dia 22 de Junho vai ser disputada a etapa que liga Almeida a Vouzela num total de 185, 3 Kms.

Meta Volante em Vilar Formoso ao Km 15,90. Na Guarda (Km 65,10) vai ter lugar a Meta Autarquias e juntam-se ainda três contagens de Montanha ao KM 36,20 na EN16, no Alto de Castelo Mendo, em Chãs de Tavares (118,80Km´s) e Pindelo de Silgueiros, ao Km 146,20. A Meta Bolinhas está localizada em Mangualde ao KM 124,5. O final da etapa vai acontecer em Vouzela.

  • 4ª etapa

A derradeira etapa disputa-se em 23 de Junho e é conhecida como a etapa das praias. Partida de Anadia e chegada a Águeda, num total de 174,35 Km´s.

Meta Autarquias em Ílhavo ao Km 64,90; Duas Metas Volante em Mira ao Km 27,50 e em Agueda (Km 99,40). São disputadas ainda duas Metas de Montanha, em Sever do Vouga ao Km 136,40 e nas Talhadas ao Km 147,5. Meta Bolinhas em Albergaria-a-Velha ao Km 118,60.

Final na Av. 25 de Abril em Águeda.

Está prevista a participação de 18 equipas: 15 portuguesas e três espanholas. A saber: Rádio Popular/Boavista; Miranda/Mortágua; W52/FC Porto; JORBI/Team José Maria Nicolau; Aviludo/Louletano/Uli; Sporting CP/Tavira; ACDC Trofa/Trofense; JV Perfis/Gondomar Cultural; EFAPEL; UD Oliveirense/INOUTBUILD; Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar; SICASAL/Constantinos; LA Alumínios/LA Sport; Vito-Feirense-PNB e Fortunna/Maia. De Espanha vêm a Kuota/Construcciones Paulino; Fundación Euskadi e Supermercados Froiz.

Em discussão vão estar oito camisolas:

Camisola Bolinhas - Geral Metas Bolinhas - Patrocinada por Ribeiro Escala

Camisola Xadrez – Geral Meta Autarquias - Patrocinada pela Lechler

Camisola Branca – Geral da Juventude – Patrocinada pelo Turismo do Centro de Portugal

Camisola Encarnada – Melhor Corredor de Equipa de Clube - Patrocinada pela SRAM

Camisola Rosa – Geral de Metas Volantes – Patrocinada Grupo M Rodrigues

Camisola Azul – Geral Meta de Montanha – Patrocinada por Navarra

Camisola Verde – Geral por Pontos – Patrocinada pela Pecol

Camisola Amarela – Geral – Patrocinada pela Miranda

Responsabilidade social

Antes do Contrarrelógio do Campo Grande, que marca o arranque do 40º GP ABIMOTA, vai-se realizar a 4ª Prova da Taça de Portugal em Paraciclismo. 

Desta forma a ABIMOTA contribui para o desenvolvimento do ciclismo adaptado, para cidadãos portadores de deficiência, oferecendo condições de competição excelentes aos praticantes da modalidade.

GPAbimota2018 Arquivo - Chegada GP ABIMOTA 2018

Portugal Bike Value “pretende aumentar a capacidade de exportação de veículos de duas rodas”

Uma missão portuguesa liderada pela ABIMOTA participou no World Cycling Forum, em Roterdão, nos passados dias quatro e cinco de Junho, promovendo a indústria nacional das duas rodas e mobilidade suave.

O World Cycling Forum reúne os principais agentes internacionais da indústria e serviços ligados ao desporto e à mobilidade, com especial enfoque nas duas rodas. Desta vez, Roterdão na Holanda foi a cidade escolhida e a ABIMOTA esteve presente, representado o sector nacional, promovendo a marca Portugal Bike Value, projecto co-financiado pelo Compete 202, no âmbito do programa Portugal 2020.

Segundo o Secretário-Geral da ABIMOTA, Gil Nadais, “o World Cycling Forum é um dos maiores acontecimentos mundiais de equipamentos para desporto genericamente e em concreto na vertente das duas rodas e, por isso, a ABIMOTA não poderia deixar de estar presente e o Portugal Bike Value naturalmente também, porque se se discutem os grandes problemas, temos que acompanhar as tendências, temos que saber por onde é que vão e como tal, faz todo o sentido estar e participar, para podermos transmitir aos nossos associados quais são as alterações, que certamente vão acontecer, quais as linhas de desenvolvimento, para que eles se preparem para o que aí vem.”

Portugal Bike Value esteve em foco, com uma mostra de produtos que espelham o que de bom se faz por cá, apelidada de Portugal Bike Value Fest.  Esta iniciativa só foi possível graças ao apoio das marcas portuguesas, Miranda, Gelu, Bobyke, Rodi, Eleven, Tabor e Esmaltina. Por outro lado o PBV também constou do programa de conferencias do World Cycling Fórum  com a apresentação e discussão do potencial industrial português para aproveitar o mercado emergente da Micromobilidade.

“Estamos aqui para dar continuidade ao que apresentamos, nas linhas de desenvolvimento do Portugal Bike Value. Um dos grandes objectivos é promover a indústria portuguesa, como fornecedora de qualidade, Portugal como um polo de referência para a indústria das duas rodas e da mobilidade suave e também mostrar o que Portugal tem de melhor para oferecer à indústria internacional. A nossa capacidade produtiva é da maior qualidade, é reconhecida e por isso só temos de demonstrar a quem está neste acontecimento aquilo que fazemos, para poderem dar continuidade a aquilo que sido feito até este momento, que é aumentar a nossa capacidade de exportação de veículos de duas rodas.” Rematou o Secretário-Geral da ABIMOTA.

A promoção do World Cycling Forum, está a cargo da WFSGI - World Federation of the Sporting Goods Industry, organismo mundial que reúne os fabricantes e distribuidores de artigos ligados às duas rodas, que é o único organismo oficialmente reconhecido pelo Comité Olímpico Internacional (COI) como representante da indústria dentro da Família Olímpica.

wcf roterdao 2 1 wcf roterdao 2 2 wcf roterdao 3

 

abimotw rodape

GP ABIMOTA na estrada já no dia 20

 GPA2019

A clássica do ciclismo de estrada nacional, que comemora 40 edições, foi apresentada no dia 3 de Junho, Dia Mundial da Bicicleta, no Centro de Artes de Águeda.

O 40º Grande Prémio ABIMOTA vai ter a participação de 18 equipas, das categorias Elite e Sub-23, que vão disputar quatro etapas, num total de quase 550 quilómetros, prevendo-se que esta seja uma das melhores edições de sempre.

JF1 2971 JF2 9845

A abertura do evento foi realizada pelo presidente da Direcção da ABiMOTA, João Miranda, que começou por "agradecer a todos os que vão, sob as mais diversas formas, fazer com que esta festa do ciclismo continue a ser um marco para o panorama velocipédico nacional e afirmação do sector das duas rodas português. Este ano o Grande Prémio ABiMOTA completa 40 edições, é para nós uma data especial e por isso decidimos também assinalá-lo de uma forma especial."

Realçou o trabalho desenvolvido por "muitos que têm como pagamento um muito obrigado", para que o GP ABIMOTA seja o sucesso que é. Fez igualmente menção à exposição que "dá a conhecer alguns objectos e factos que ao longo destes 40 anos têm marcado o Grande Prémio. Assim, com a colaboração da Câmara Municipal de Águeda, vai ficar patente neste Centro de Artes uma exposição." 

João Miranda realçou ainda o conjunto de micro-vídeos "40 anos, 40 histórias" que está a ser publicado nas redes sociais da ABIMOTA e que vai ficar patente no site abimota.pt.

JF1 2849 João Miranda, Presidente da ABIMOTA

O desenolar da prova

Um contrarrelógio, por equipas, vai marcar o arranque desta edição, festiva pelas suas 40 edições, a ser disputado em Lisboa, na zona do Campo Grande, já no próximo dia 20 de Junho.

No dia seguinte – 21 de Junho - o pelotão vai ter a primeira etapa entre Ourém e Mortágua. Dia 22 a partida vai ser dada em Almeida seguindo a caravana até Vouzela. No dia 23, vai disputada uma etapa com partida em Anadia e chegada, que é como quem diz final de festa, em Águeda.

Está prevista a participação de 18 equipas: 15 portuguesas e três espanholas. A saber: Rádio Popular/Boavista; Miranda/Mortágua; W52/FC Porto; JORBI/Team José Maria Nicolau; Aviludo/Louletano/Uli; Sporting CP/Tavira; ACDC Trofa/Trofense; JV Perfis/Gondomar Cultural; EFAPEL; UD Oliveirense/INOUTBUILD; Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar; SICASAL/Constantinos; LA Alumínios/LA Sport; Vito-Feirense-PNB e Fortunna/Maia. De Espanha vêm a Kuota/Construcciones Paulino; Baque Team e Supermercados Froiz.

O Director de Prova, Vital Almeida, começou por realçar o “espirito de família de todos quanto participam no GP ABIMOTA, pois é deste esprito que gostamos e isso para nós é o mais importante. Portanto, a todo quantos fazem parte desta família: o meu muito obrigado.”

Vital Almeida realçou ainda que “vamos colaborar com a Taça de Portugal de para-ciclismo. É uma forma de podermos apoiar atletas que de outra maneira não teriam forma de competir. A taça vai acontecer em Lisboa, no mesmo percurso em que vai ser disputado o contrarrelógio que marca o arranque do 40º GP ABIMOTA.”

JF1 2935 Vital Almeida, Director de Prova

Seguiu-se a descrição das quatro Etapas:

  • 1ª Etapa:

A partida vai ser dada no dia 20 de Junho, no Campo Grande, para um contrarrelógio, num circuito que vai até ao Campo Pequeno e regressa à partida, totalizando 4,00 Km´s

  • 2ª etapa:

No dia 21 de Junho e vai ligar Ourém a Mortágua, num total de 170.3Km .

Tem uma Contagem de Montanha, aos 8,65 em Fátima e aos 52,20 Km´s no Zambujal. Metas Volante na Lousã (100,55Kms) e Mortágua (150.60) onde de seguida tem lugar o final da etapa.

  • 3ª etapa:

No dia 22 de Junho vai ser disputada a etapa que liga Almeida a Vouzela num total de 185, 3 Kms.

Meta Volante em Vilar Formoso ao Km 15,90. Na Guarda (Km 65,10) vai ter lugar a Meta Autarquias e juntam-se ainda três contagens de Montanha ao KM 36,20 na EN16, em Chãs de Tavares (118,80Km´s) e Pindelo de Silgueiros, ao Km 146,20. O final da etapa vai acontecer em Vouzela.

  • 4ª etapa

A derradeira etapa disputa-se em 23 de Junho e é conhecida como a etapa das praias. Partida de Anadia e chegada a Águeda, num total de 174,35 Km´s.

Meta Autarquias em Ílhavo ao Km 64,90; Duas Metas Volante em Mira ao Km 27,50 e em Agueda (Km 94,40). São disputadas ainda duas Metas de Montanha, em Sever do Vouga ao Km 136,40 e nas Talhadas ao Km 147,5. Meta Bolinhas em Albergaria-a-Velha ao Km 118,60.

Final na Av. 25 de Abril em Águeda.

  • Camisolas que vão ser disputadas:

Camisola Bolinhas - Geral Metas Bolinhas - Patrocinada por Ribeiro Escala

Camisola Xadrez – Geral Meta Autarquias - Patrocinada pela Lechler

Camisola Branca – Geral da Juventude – Patrocinada pelo Turismo do Centro de Portugal

Camisola Encarnada – Melhor Corredor de Equipa de Clube - Patrocinada pela SRAM

Camisola Rosa – Geral de Metas Volantes – Patrocinada Grupo M Rodrigues

Camisola Azul – Geral Meta de Montanha – Patrocinada por Navarra

Camisola Verde – Geral por Pontos – Patrocinada pela Pecol

Camisola Amarela – Geral – Patrocinada pela Miranda

Delmino Pereira, em representação da Federação Portuguesa de Ciclismo, realçou a importância da data da apresentação, pois três de Junho é o Dia Mundial da Bicicleta. “Há ainda muitos jovens que não sabem andar de bicicleta e é muito importante que a aprendizagem e a formação seja uma realidade.” Encerrou com uma nota de parabéns ao GP ABIMOTA e à sua organização, a ABIMOTA.

JF1 2997 Delmino Pereira, Presidente da FPC

Homenagem a Alves Barbosa

Durante a apresentação foi realizada uma homenagem a Alves Barbosa. Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA, usou da palavra, tendo realçado que “falar de Alves Barbosa é contar a história do ciclismo Português. O atleta, o homem, a figura incontornável, com um elemento comum em todas as suas dimensões: Respeito. O respeito que conquistou, junto dos companheiros de equipa, o respeito que os adversários lhe tinham, o respeito que mereceu junto de atletas, dirigentes, o respeito com que sempre tratou todos e que sempre de todos mereceu.”

Juntaram-se à cerimónia, o Presidente da ABIMOTA, João Miranda e um dos fundadores do GP ABIMOTA, Júlio Dinis Saraiva, que entregaram uma camisola amarela, com o nome da Alves Barbosa, à viúva, Dr.ª Rosa Barbosa.

JF1 2908

Exposição 40 Anos GP ABIMOTA

Está patente na Galeria do Centro de Artes de Águeda a exposição que recorda alguns dos melhores momentos do ciclismo nacional.

Bicicletas de ontem e de hoje, troféus, camisolas, em suma, um conjunto de memórias inestimáveis para a história do ciclismo, com especial destaque para o GP ABIMOTA, foi inaugurada logo após a apresentação da prova.

Para recordar as 40 melhores histórias do GP ABIMOTA, sugerimos a visita a: https://www.facebook.com/pg/gpabimota/videos

JF1 3017 

A exposição está patente na Galeria do Centro de Artes de Águeda, na Rua Joaquim Valente Almeida, nº 30 3750-154 Águeda.

Portugal Bike Value no World Cycling Forum

A ABIMOTA vai deslocar-se a Roterdão, cidade que vai acolher o principal fórum mundial ligado à bicicleta, em quatro e cinco de Junho.

O World Cycling Forum vai reunir os principais agentes internacionais da indústria e serviços ligados às duas rodas, desta vez em Roterdão na Holanda e a ABIMOTA vai estar mais uma vez presente, representado o sector nacional, promovendo o Portugal Bike Value, projecto co-financiado pelo Portugal 2020.

A promoção do World Cycling Forum, está a cargo da WFSGI - World Federation of the Sporting Goods Industry, organismo mundial que reúne os fabricantes e distribuidores de artigos ligados às duas rodas e o único organismo oficialmente reconhecido pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) como representante da indústria dentro da Família Olímpica.

A WFSGI é uma associação independente, sem fins lucrativos, formada por marcas ligadas ao desporto e lazer, fabricantes, fornecedores, federações, associações industriais e comerciais e todos os negócios relacionados à indústria de artigos ligados às duas rodas.

A ABIMOTA mais uma vez lidera uma missão, em que os objectivos são comuns aos de missões prévias, pretendendo reforçar a posição de Portugal pela qualidade dos produtos que fabrica, encontrar novos mercados para a indústria das duas rodas portuguesa e captar novos actores para o mercado nacional.

A estratégia delineada pelos projectos Portugal Bike Value, Mobilidade Suave I e II passa por quatro pontos fundamentais:

Reforçar a imagem de Portugal como fornecedor de produto e capacidade produtiva.

Aumentar o reconhecimento da sofisticação e inovação do sector nacional.

Reforçar as vantagens de Portugal como destino de investimento em novas unidades de produção para as marcas de renome internacional. 

Afirmar Portugal no panorama da produção internacional de elevada qualidade.

Estes pontos reforçam a importância da presença portuguesa neste fórum mundial.

“Com a presente deslocação a este evento, o maior fórum mundial do sector Portugal tem voz junto dos principais actores e assim pretendemos reforçar a posição Portuguesa.” Refere Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

Este evento vai poder ser acompanhado em:  https://www.facebook.com/Abimota01/

IMG 4310 Arquivo  

abimotw rodape

Portugal Bike Value na China

Uma missão integrada no programa Portugal Bike Value II, co-financiado pelo Portugal 2020, está a participar no Chine Cycle Show, em Xangai, de seis a nove de Maio.

A ABIMOTA mais uma vez lidera uma missão, em que os objectivos são comuns aos de missões prévias, pretendendo reforçar a posição de Portugal pela qualidade dos produtos que fabrica, encontrar novos mercados para a indústria das duas rodas portuguesa e captar novos actores para o mercado nacional.

A estratégia delineada pelos projectos Portugal Bike Value, Mobilidade Suave I e II passa por quatro pontos fundamentais:

  • Reforçar a imagem de Portugal como fornecedor de produto e capacidade produtiva.
  • Aumentar o reconhecimento da sofisticação e inovação do sector nacional.
  • Reforçar as vantagens de Portugal como destino de investimento em novas unidades de produção para as marcas de renome internacional. 
  • Afirmar Portugal no panorama da produção internacional de elevada qualidade.

Estas pontos reforçam a importância da presença portuguesa no evento chinês, “pois Xangai está durante os próximos dias no epicentro do maior mercado do mundo, um mercado fundamental para as duas rodas são e é em Xangai que se encontram os principais fabricantes, compradores e distribuidores, da área das duas rodas e mobilidade suave, a nível global.” Remata Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

gilnadais Gil Nadais, Secretário-geral da ABIMOTA (foto: arquivo)

Um evento a acompanhar em: https://www.facebook.com/Abimota01/

abimotw rodape

 

Portugal Bike Value ruma à Austrália

Uma missão integrada no programa Portugal Bike Value II, co-financiado pelo Portugal 2020, está de partida para Melbourne, onde vai participar no Handmade Bicycle Show Australia 2019, de 26 a 28 de Abril, próximos.

Os objectivos desta missão liderada pela ABIMOTA são comuns aos de missões prévias e tem como objectivo reforçar a posição de Portugal pela qualidade dos produtos que fabrica, encontrar novos mercados para a indústria das duas rodas portuguesa e captar novos actores para o mercado nacional.

A escolha do certame australiano “integra-se na estratégia delineada pelos projectos Portugal Bike Value, Mobilidade Suave I e II e assim reforçar a imagem de Portugal como fornecedor de produto e capacidade produtiva. Pretende-se também aumentar o reconhecimento da sofisticação e inovação do sector, assim como, reforçar as vantagens do nosso país como destino de investimento em novas unidades de produção para as marcas de renome internacional e a participação este evento, pela forma como se afirma no panorama da produção internacional de elevada qualidade, torna-se para nós fundamental.” Refere Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA.

Esta estratégia é reforçada pela ideia de base da organização do Handmade Bicycle Show Australia, quando afirma que este evento “é o local ideal para ver os últimos trabalhos e ideias dos artesãos no auge do seu negócio e para falar com eles, um a um.”

Um evento para acompanhar em: https://www.facebook.com/Abimota01/

HCBSPavillionshots FYXO 5517 HCBSPavillionshots FYXO 5606 Fotos de: Handmade Bicycle Show Australia 

abimotw rodape

Taiwan com balanço muito positivo para a ABIMOTA

A ABIMOTA esteve presente no Taipe Cycle, uma das maiores feiras mundiais ligada à bicicleta que decorreu em Taiwan de 28 a 30 de Março.
 
O Taipé Cycle teve a participação da ABIMOTA e de sete empresas portuguesas. Rodi, Miranda, Polisport, Bobike e a Fjbikes, com presença física  e a Avantisbike e a Unibike em missão de prospecção.
 
Para a ABIMOTA a participação foi francamente positiva, de acordo com as palavras de Gil Nadais, Secretário Geral desta associação.
 
"O balanço que a ABIMOTA faz é o balanço das empresas que estiveram aqui presentes e pelas conversas que tivemos com eles foi um certame muito positivo com a oportunidade de fazer inúmeros contactos. Houve oportunidade de estabelecer novos negócios e isso para os associados da ABIMOTA obviamente que é positivo."
 
"No que concerne à ABIMOTA, também estabelecemos muitos contactos, com o objectivo de haver uma maior aproximação com algumas congéneres desta parte do mundo e estamos convencidos que vamos obter os frutos mais tarde colher, daquilo que foi feito neste período em que aqui estivemos." Rematou o Secretário Geral da ABIMOTA.
GilNadais Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA
abimotw rodape

Portugal Bike Value no Taipei Cycle

A ABIMOTA está presente numa das maiores feiras mundiais ligada à bicicleta, onde participam sete empresas Portuguesas, quatro com presença física (Rodi, Miranda, Polisport, Bobike e a Fjbikes) e duas em missão de prospeção (Avantisbike e  Unibike).

A presença nacional no Taipei Cycle, realizado em Taipé, Taiwan,  integra-se no programa Portugal Bike Value II, co-financiado pelo Portugal 2020.

Esta participação, na sequência do trabalho já realizado, tem como objectivo reforçar a posição de Portugal pela qualidade dos produtos que fabrica, encontrar novos mercados para a indústria das duas rodas portuguesa e captar novos atores para o mercado nacional.

Na agenda da ABIMOTA, representada pelo seu Secretário Geral, Gil Nadais. destaca-se a ação de prospeção para captação de novos mercados, a captação de investimento para Portugal e ainda a busca de novos equipamentos para reforçar o Laboratório de Ensaios da ABIMOTA (LEA), com o objectivo de o dotar de novas competências e maior competitividade internacional, na realização e testes e certificações para o setor.

As empresas Portuguesas: Rodi, Miranda, Polisport e Bobike, participam no Taipei Cycle, quatro standes, em que apresentam as principais novidades e argumentos para a conquista de novos clientes.

Como nota de curiosidade, realcem-se as presenças de Fritz Jou, um dos grandes produtores de bicicletas eléctricas a nível mundial e detentor da portuguesa FJbikes e do “gigante americano” SRAM, um dos top três mundiais, que além de também possuir instalações industriais em Portugal, tem também na gestão de toda a sua área industrial das fábricas asiáticas, um português.

IMG 4266Taipei Nangang Exhibition Center

gilnadais Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA

abimotw rodape

Portugal Bike Value ruma a Oriente

Portugal Bike Value II, iniciativa co-financiada pelo Compete 2020, é uma marca portuguesa que pretende promover o setor da bicicleta nacional e vai ter a segunda ação internacional no Taipei Cycle Show, em Taiwan.

A dimensão e importância global dos mercados orientais fazem com que Taipei Cycle Show seja um evento incontornável, para qualquer marca que se pretende afirmar no mercado internacional.

Assim, a presença da ABIMOTA, que assenta na experiência e nos resultados obtidos com o programa prévio, Portugal Bike Value, pretende continuar a reforçar e expandir a notoriedade do setor da mobilidade suave Português nos mercados externos, através da promoção além fronteiras da indústria nacional, focando-se nos na capacidade produtiva existente e na captação de investimento estrangeiro para Portugal.

Alem de reforçar a imagem de Portugal como fornecedor de produto e capacidade produtiva, pretende-se também aumentar o reconhecimento da sofisticação e inovação do setor, assim como, reforçar as vantagens do nosso país como destino de investimento em novas unidades de produção para as marcas de renome internacional.

Portugal Bike Value II advém de uma estratégia delineada pelos projetos Portugal Bike Value, Mobilidade Suave I e II e como conceito continua a ser uma referência na imprensa nacional e internacional.

Com este programa, de que a presente ação é exemplo, pretende-se manter o desenvolvimento dos três eixos estratégico fundamentais:

 1 - Promover internacionalmente as empresas nacionais e respetivos produtos e soluções tecnológicas;

2 - Promover Portugal como fornecedor de capacidade produtiva, reforçando junto das principais marcas internacionais as atividades OEM e Nearshoring;

3 - Promover Portugal como destino de investimento em novas unidades de produção, reforçar a captação de investimento estrangeiro aliado ao conhecimento, mão de obra qualificada, benefícios estatais e outros e proximidade ao maior mercado de consumo de bens e serviços do setor da Mobilidade Suave.

Taipei Cycle Show vai decorrer em Taipé, capital de Taiwan, de 27 a 30 do corrente mês de Março.

abimotw rodape

Taiwan na “mira” das bicicletas portuguesas

Taipei Cycle Show vai receber uma delegação de empresários portugueses ligados ao sector das duas rodas, liderados pela ABIMOTA.

A presença da delegação portuguesa no Taipei Cycle Show, que vai decorrer em Taipé,  integra-se no programa Portugal Bike Value Empresarial II, co-financiado pelo Portugal 2020, que com esta missão pretende que o sector dê mais um passo para demonstrar no mercado global,  a capacidade e principais competências das empresas que produzem em Portugal.

Taipei Cycle Show é um dos principais eventos mundiais ligados ao sector da bicicleta, onde se encontram os principais actores do fabrico e distribuição de equipamentos, acessórios e, claro, bicicletas.

Nas palavras de Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA, “a presença portuguesa, num certame com a importância do Taipei Cycle Show é obrigatória para continuar a afirmar Portugal como um país com uma indústria das 2 rodas que se afirma pela qualidade dos produtos que fabrica, mas também como um destino para o investimento dos empresários de Taiwan que pretendam entrar no mercado no mercado Europeu, através da criação de empresas ou de parcerias com empresas Portuguesas. Portugal e a ABIMOTA não podem deixar de ter uma forte presença neste certame onde as oportunidades de negócio são elevadas."

Taipei Cycle Show vai decorrer em Taipé, capital de Taiwan, de 27 a 30 do corrente mês de Março. 

gil nadis bikemotion Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA - Foto arquivo 

abimotw rodape

ABIMOTA leva Portugal Bike Value além fronteiras

A iniciativa Portugal Bike Value II, cofinanciada pelo Compete 2020, é uma marca portuguesa que pretende promover o setor da bicicleta nacional, tem este fim-de-semana a primeira ação internacional no Bike Motion Benelux, em Ultrecht, na Holanda.

O Bike Motion Benelux, um dos mais importantes eventos ligados ao sector da bicicleta na Europa, arranca hoje (sexta-feira um de Março) em Ultrecht na Holanda, com a presença da ABIMOTA, que assente nos resultados obtidos com o programa prévio, Portugal Bike Value I, pretende continuar a reforçar e expandir a notoriedade do setor da mobilidade suave Português nos mercados externos, através da promoção internacional da industria nacional, focando-se nos produtos e na capacidade produtiva, aliando a captação de investimento estrangeiro para o território nacional.

Alem de reforçar a imagem de Portugal como fornecedor de produto e capacidade produtiva, pretende-se também aumentar o reconhecimento da sofisticação e inovação nacionais, assim como, reforçar as vantagens do nosso país como destino de investimento em novas unidades de produção para as marcas de renome internacional.

Portugal Bike Value II advém de uma estratégia delineada pelos projetos Portugal Bike Value, Mobilidade Suave I e II e como conceito continua a ter referências na imprensa nacional e internacional.

Com este programa, de que a presente ação é exemplo, pretendem-se manter o desenvolvimentos dos três eixos fundamentais:

1 - Promover internacionalmente as empresas nacionais e respetivos produtos e soluções tecnológicas;

2 - Promover Portugal como fornecedor de capacidade produtiva, reforçando junto das principais marcas internacionais as atividades OEM e Nearshoring;

3 - Promover Portugal como destino de investimento em novas unidades de produção, reforçar a captação de investimento estrangeiro aliado ao conhecimento, mão de obra qualificada, benefícios estatais e outros e proximidade ao maior mercado de consumo de bens e serviços do setor da Mobilidade Suave.

abimotw rodape

ABIMOTA no Bike Motion Benelux

Uma delegação de empresários ligados ao sector da bicicleta, liderada pela ABIMOTA, vai estar presente no próximo fim-de-semana em Utrecht na Holanda.

A presença da delegação portuguesa no Bike Motion Benelux integra-se no programa Portugal Bike Value Empresarial II, co-financiado pelo Portugal 2020, que com esta missão pretende que o setor dê mais um passo para demonstrar, em todos os mercados Europeus,  a capacidade e principais competências das empresas que produzem em Portugal.

Este é um dos principais eventos ligados ao sector da bicicleta que ocorrem no BENELUX. Segundo Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA, "de acordo com a informação recolhida, o Bike Motion Benelux é um evento onde se reúnem as principais marcas de bicicletas internacionais para apresentar os novos desenvolvimentos a nível de bicicletas, componentes e acessórios, para os mercados da Bélgica e Holanda. Em paralelo são também apresentados os mais recentes desenvolvimentos em termos de tendências do setor do ciclismo bem como as últimas inovações no uso da bicicleta como meio de transporte."

A comitiva tem como principal objetivo, estabelecer um primeiro contacto direto com estes mercados e os seus atores, de modo a avaliar a viabilidade de uma presença através de um espaço próprio, em próximas edições. A presença dos empresários portugueses através do Projeto Conjunto de Internacionalização - Portugal Bike Value Empresarial II é uma forma de reforçar a competitividade das PME’s nacionais através da expansão de novos mercados de atuação, em particular no importante mercado holandês.

abimotw rodape

Apresentação de resultados de Portugal Bike Value

A ABIMOTA realiza hoje a Sessão Pública de Apresentação de Resultados do projecto Portugal Bike Value,  às 14,30 horas, no Auditório da ABIMOTA na Borralha, em Águeda.

Portugal Bike Value é uma marca registada da ABIMOTA que pretendeu promover o setor das duas rodas, reforçar o seu potencial de crescimento e peso na economia nacional, com a consequente criação de postos de trabalho e a captação de investimento internacional.

Portugal Bike Value é um projeto desenvolvido pela ABIMOTA e aprovado pelo COMPETE 2020. A iniciativa enquadra-se no SI Ações Coletivas - Promoção Internacional e Captação de Investimento para o setor e teve execução física e financeira ao longo dos anos de 2016 e 2017, sendo a acção o encerramento deste levada a cabo esta tarde.

As duas rodas são cada vez mais um sector de referência para a economia Portuguesa, com mais de 32 mil empregos é ainda de destacar que a Portugal cabem 15% das exportações entre os 29 Estados-membros, o que lhe vale a liderança do ranking europeu.

A sessão vai ter o seguinte programa:

Abertura da sessão às 14,30 horas, pelo Secretário-Geral da ABIMOTA, Dr. João Medeiros

O projeto e a marca vistos pela Sociedade Civil - Prof. Doutor José Carlos Mota (UNIVERSIDADE DE AVEIRO)

O valor do setor: quanto vale e para onde vai? - Paulo Monteiro Rodrigues (Dirigente ABIMOTA) 

PORTUGAL BIKE VALUE – apresentação dos principais resultados - Eng.º Sérgio Ribeiro (Consultor ABIMOTA)  

MESA REDONDA – Com a participação de Empresários do Setor das Duas Rodas

 

Evento: Apresentação de resultados de Portugal Bike Value

Local: Auditório da ABIMOTA - EN 1 – Zona Industrial Sul – Águeda

Data e hora: 19 de Dezembro às 14,30h

rodapé2 abimota

Em Aveiro discute-se o futuro da mobilidade

Até à próxima sexta-feira, dia 23, a ABIMOTA recebe a comissão técnica internacional que vai definir as regras da normalização do setor das duas rodas.

A normalização para a mobilidade nas duas rodas, está na ordem do dia até à próxima sexta-feira, dia 23, no Hotel Meliã em Aveiro, onde meia centena de delgados de onze nacionalidades discutem o futuro do setor. 

Esta reunião é promovida e organizada pela ABIMOTA, enquanto ONS (Organismo de Normalização Setorial) para o setor das duas rodas e Coordenador da Comissão Técnica Nacional CT103 – Bicicletas, por delegação do IPQ – Instituto Português da Qualidade.

Nos dois primeiros dias discute-se a mobilidade elétrica

Actualmente 75% das viagens são feitas em percursos com menos de dez quilómetros e apenas com um utilizador. Ora a eficiência da mobilidade, segundo estudos recentes, deverá passar pela utilização da bicicleta elétrica e Portugal está na linha da frente do setor, em termos internacionais.

Assim, em Aveiro, discutem-se as normas que vão reger a produção, com o objetivo de que o bom desempenho e a segurança sejam garantidas, permitindo que o veículo cumpra cabalmente a função, sem interferir ou receber interferências negativas dos restantes utilizadores da via-pública.

Criação de uma terminologia internacional para o setor

No dia 21, quarta-feira pela manhã, reúne-se um segundo grupo de trabalho com o objetivo de definir a terminologia oficial da bicicleta. Esta reunião será certamente o primeiro passo para que o Português seja integrado, como língua oficial, das normas que vão reger o setor.

Visita a exemplos de sucesso

Na quarta-feira, dia 21, a partir das 13,15 horas vai decorrer uma serie de visitas a empresas líderes nas duas rodas. Os participantes vão assim visitar as instalações do Grupo Polisport, Triangles, RTE, Parque Empresarial do Casarão e o LEA, Laboratório de Ensaios da ABIMOTA.

Preparar os novos desafios do futuro

Na quinta-feira vão ser discutidos os novos procedimentos a implementar para ensaios de conformidade, respondendo aos desafios lançados pelos novos materiais e processos de fabrico.

O último dia, sexta-feira 23, é dedicado à votação e redacção final dos textos emanados pelos diferentes grupos de trabalho.

Esta reunião é mais um ato do trabalho desenvolvido pela ABIMOTA, com o objectivo de colocar Portugal na vanguarda do setor das duas rodas, a nível internacional.

rodapé2 abimota

Aveiro recebe comité mundial do setor das duas rodas

ABIMOTA acolhe o Comité Técnico ISO/TC 149 Cycles de 19 a 23 de Junho.

Sessenta delegados de dez países vão debater as regras de normalização mundiais para o setor das duas rodas.

A ABIMOTA, enquanto ONS (Organismo de Normalização Setorial) para o setor das duas rodas e Coordenador da Comissão Técnica Nacional CT103 – Bicicletas, vai acolher a primeira reunião mundial do Comité Técnico ISO/TC 149 Cycles, realizada em Portugal. O evento vai decorrer em Aveiro, no Hotel Meliã, de 19 a 23 de Junho.

Neste Comité Técnico ISO/TC 149, marcam presença as maiores e mais influentes empresas mundiais no fabrico de componentes e montagem de bicicletas, estando confirmadas as presenças de delegações de dez países e seis dezenas de participantes.

No âmbito da Estratégia de Internacionalização do Setor das Duas Rodas que a ABIMOTA tem vindo a desenvolver, a par dos projetos de Mobilidade Suave que já terminaram e dos projectos Portugal Bike Value e Portugal Bike Value – Conjunto, a ABIMOTA tem em curso o Projeto ONS Mobilidade Suave e Ferragens, na área da normalização, os 3 cofinanciados pelo COMPETE 2020, no âmbito do PORTUGAL 2020..

Durante esta semana de trabalho, os membros do Comité têm agendadas visitas a empresas nacionais de referência no setor das duas rodas, servindo estes momentos de mostra do que de melhor se faz em Portugal.

Junho o mês das duas rodas

O objetivo de colocar Portugal ao mais alto nível internacional, no setor das duas rodas, está a dar passos seguros e Junho é desta forma um mês de primordial importância para a atividade da ABIMOTA e do setor que esta associação representa.

Assim, pela primeira vez os principais agentes do sector nas áreas de produção e distribuição, reuniram-se em Portugal, na Alfândega do Porto, para discutirem os problemas e as soluções futuras para as duas rodas.

O World Cicling Forum, que decorreu em 7 e 8 de Junho, juntou mais de 150 congressistas de 4 continentes e estiveram em discussão temas como o foco no consumidor, produção e distribuição responsáveis e maior rapidez na chegada ao mercado, tema onde Portugal, dada a sua centralidade e a flexibilidade das suas Empresas, aliado à crescente incorporação tecnológica e de inovação, pode ter papel preponderante.

Hoje em dia em Portugal já são produzidas cerca de dois milhões de bicicletas por ano e o setor das duas rodas gera cerca de 7,500 empregos directos e representa 2% do PIB nacional.

Entretanto, de 19 a 23, em Aveiro, vão estar reunidos os principais agentes mundiais do setor das duas rodas, para discutir assuntos ligados à normalização e à produção a nível global. Será o 3º ponto alto deste “louco” mês de Junho, porque entretanto a ABIMOTA está na estrada, com o seu 38º Grande Prémio.

rodapé2 abimota

O Grande Prémio ABIMOTA vai estar na estrada de 15 a 18 do corrente mês de Junho.

O Grande Prémio Abimota vai ser disputado pela 38ª vez, sendo reconhecido como uma referência em termos de promoção do ciclismo. Esta é uma das provas mais antigas do calendário velocipédico nacional e uma das mais carismáticas, apostando nas Classes Elite e Sub-23.

Pela sua ligação à ABIMOTA esta prova é reconhecida publicamente pelo papel que desempenha como promotor do Ciclismo e da prática desportiva, com grande tradição e interesse popular no nosso país, fortalecendo as relações entre pessoas e instituições, que congregam esforços para, ano após ano, poderem levar a bom termo mais uma edição

A 38ª edição do Grande Prémio ABIMOTA conta com quatro etapas:

A partida está marcada para dia 15 de Junho (quinta-feira, feriado) de Proença-a- Nova e termina em Belmonte.

A segunda etapa parte de Penamacor  e termina no Sabugal, na sexta-feira, dia 16.

A terceira etapa, arranca no sábado, dia 17, de Almeida terminando em Manteigas.

No domingo, doa 18, é disputada a quarta e última etapa, que parte de Gouveia e termina em Águeda, cidade que acolhe a ABIMOTA, associação que dá nome à prova e organiza o evento.

A ABIMOTA – Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins, é uma entidade sem fins lucrativos, fundada em 1975 e considerada Instituição de Utilidade Pública, que gere e rege as áreas da normalização, formação e inovação, no sector.

World Cicling Forum arrancou esta manhã na Alfândega do Porto

Destaques:

  • Reunião com participação dos 160 líderes mundiais do sector das duas rodas.
  • Presença dos “Três Mosqueteiros” do sector – Decatlon, European Bycicle Manufacture´s Association (EBMA) e Accel Group.

A Alfândega do Porto acolhe o primeiro Fórum Mundial dedicado ao sector das duas rodas. Hoje e amanhã (quarta-feira, 7 e quinta, 8 de Junho) vão ser discutidos os principais problemas e tendências futuras para o mercado das duas rodas.

O Porto recebe assim os representantes dos 160 líderes mundiais do sector das duas rodas. Durantes dois dias, os trabalhos vão decorrer com o mote “a centralização no consumidor e aumentar a velocidade do mercado”, naquele que é o primeiro comité Mundial das duas rodas.

Portugal faz-se representar pela ABIMOTA, que tem um espaço de 50m2 de exposição, onde estão representadas algumas das PME´s ligadas ao setor e ainda pelos líderes de mercado Polisport, Rodi, Miranda, Ciclo Fapril e Triangles, também associados da ABIMOTA.  

Esta é uma organização conjunta da WFSGI (World Federation Sporting Goods Industry) pelo seu comité de bicicletas, pela BIKE EUROPE - o periódico Europeu ligado ao sector com maior tiragem – e da ABIMOTA, enquanto parceiro nacional do evento, através do projecto e marca Portugal Bike Value.

Os três Mosqueteiros

Decatlon, EBMA e Accel Group, constituem um “núcleo duro”, que defende os interesses Europeus no mercado mundial. Neste evento vão defender leis anti-dumping e de regulamentação de produtos oriundos de outros mercados, com vista a serem mantidos parâmetros de qualidade, segurança e de produção responsável.

4mosqueteiros

Os Três Mosqueteiros, que tal como na obra de Alexandre Dumas são quatro: Moreno Fioravanti (EBMA); Didier Morelle (Decathlon); ; Jeroen Snijders e Marcel Reekers (Accell Group) - Da esquerda para a direita.

wcf2 wcf16

rodapé abimota

 

World Cycling Forum

A Alfândega do Porto vai acolher em 7 e 8 de Junho o primeiro fórum mundial dedicado ao setor das duas rodas.

O World Cycling Forum vai reunir no Porto os principais agentes internacionais da indústria e serviços ligados à bicicleta e ao motociclo. Esta é uma organização conjunta da WFSGI (World Federation Sporting Goods Industry), BIKE EUROPE - o periódico Europeu ligado ao sector com maior tiragem – e da ABIMOTA, enquanto parceiro nacional do evento, através do projecto e marca Portugal Bike Value.

Nesse âmbito, poderá ser visitada uma mostra de produtos ligados ao setor das duas rodas, representativo do melhor que se produz em Portugal e a visita ao certame, no Salão Nobre da Alfândega, é aberta a todos os potenciais interessados em conhecer as potencialidades das duas rodas portuguesas.

“A centralização no consumidor e aumentar velocidade no mercado” vai ser o lema para este primeiro fórum mundial do sector das duas rodas.

Estão inscritas cerca de 160 pessoas, oriundas dos quatro cantos do mundo. Os trabalhos vão decorrer ao longo dos dias 7 e 8, incluindo um cruzeiro pelo Douro, com degustação dos cheiros e sabores portugueses.

A participação da ABIMOTA, enquanto parceiro nacional do evento, só se tornou possível porque viabilizada pelo COMPETE 2020 e PORTUGAL 2020, co-financiada pelo FEDER, através do seu projeto PORTUGAL BIKE VALUE.

rodapé abimota

 

Junho mês das duas rodas

Inicia-se um período de grande actividade na ABIMOTA, que está envolvida em três eventos de grande impacto para todos os agentes envolvidos nos mercados dos motociclos e bicicletas.

A ABIMOTA, é uma entidade sem fins lucrativos, fundada em 1975 e considerada Instituição de Utilidade Pública, que gere e rege as áreas da normalização, formação e inovação, no sector industrial das duas rodas, ferragens, mobiliário e afins.

O dia 1 de Junho marcou o arranque de grande actividade no seio da ABIMOTA, que destaca três eventos de primordial importância para o sector, que decorrem até ao final deste mês.

7 e 8 de Junho – World Cycling Forum – Alfândega do Porto

Fórum de caracter mundial que reúne os principais agentes internacionais ligados ao sector das duas rodas, que este ano se realiza pela primeira vez e tem como lema: “a centralização no consumidor e aumentar velocidade no mercado”.

A organização é da WFSGI (World Federation Sporting Goods Industry) e BIKE EROPE (o periódico europeu de maior tiragem ligado ao setor), sendo a ABIMOTA, através do seu projeto e marca PORTUGAL BIKE VALUE o Parceiro Nacional do Evento.

15 a 18 de Junho – 38º Grande Prémio ABIMOTA – Proença-a-nova, Penamacor, Sabugal

O Grande Prémio ABIMOTA é uma prova de ciclismo de estrada, por etapas, para atletas das categorias Elites e Sub-23. e que este ano conta com quatro etapas. A partida é já no dia 15 de Junho e a prova organizada pela ABIMOTA, vai ser disputada em quatro etapas.

19 a 23 de Junho – ONS – Hotel Meliã de Aveiro

No âmbito da Estratégia de Internacionalização do Setor das Duas Rodas que a ABIMOTA tem vindo a desenvolver, a par dos projetos de Mobilidade Suave que já terminaram e dos projetos Portugal Bike Value e Portugal Bike Value – Conjunto, a ABIMOTA tem em curso o Projeto ONS Mobilidade Suave e Ferragens, na área da normalização.

A ABIMOTA, enquanto ONS (Organismo de Normalização Setorial) para o Setor das Duas Rodas e Coordenador da Comissão Técnica Nacional CT103 – Bicicletas, vai acolher a primeira reunião mundial do Comité Técnico ISO/TC 149 Cycles.

rodapé abimota

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.