Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.

ABIMOTA nas Reuniões Europeias e Normalização de Bicicletas e Ferragens

A ABIMOTA vai, mais uma vez, representar Portugal nas reuniões dos Comités Técnicos de Normalização Europeia relacionados com Bicicletas e Ferragens, em Bruxelas, de 25 a 27 de Março.

Dia vão 25 decorrer as reuniões do Grupo de Trabalho de Ferragens (CEN/TC 33 WG4 – Building hardware) e do Grupo de Trabalho para Cargo-Bikes (CEN/TC 333 WG9 -Cargo bikes). O programa das acções segue no dia 26 com a reunião do Grupo de Trabalho relativo à definição de ensaios para novos materiais (CEN/TC 333 WG8 - Innovative materials used in the manufacturing of bicycles) e termina no dia 27 com a Reunião Plenária do Comité Técnico CEN/TC 333 – Cycles.

No âmbito das Ferragens estas reuniões assumem particular importância, numa altura em que se discute, a nível Europeu, a revisão do Regulamento dos Produtos da Construção (RPC (UE) N.º 305/2011) e os Mandatos Associados, nomeadamente o Mandato M101.

No caso das Bicicletas, destaca-se a elaboração da norma para as Cargo Bikes, a aprovação final da nova norma EN 17406 para a Classificação das Bicicletas, em função da utilização prevista e a nova norma para Bicicletas Elétricas de Montanha (E-MTB) com a norma EN 1704, entre outros assuntos relacionados com a definição de novos ensaios, como por exemplo, ensaios de fadiga para quadros em Fibras de Carbono.

wcf roterdao 3 Arquivo

Sector português das duas rodas no Benelux

Portugal Bike Value visitou a Velofollies, em Kortrijk, na Bélgica, com uma delegação liderada pela ABIMOTA, tendo como objectivos principais divulgar Portugal como centro de produção de bicicletas e e-bikes e a procura de novas oportunidades para as Empresas Nacionais.

Muito público, grande diversidade de oferta e sobretudo um grande potencial para a as marcas nacionais acederem a novos mercados são, nas palavras de Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA os principais pontos a destacar na Velofollies.

“A Velofollies tem uma qualidade que considero bastante superior à média das feiras em que temos participado, com um nível de qualidade de produtos muito elevado. Constatamos uma variedade de oferta bastante grande e uma afluência de publico também enorme… Pode-se dizer que durante o tempo que cá estivemos, tivemos de andar ao sempre ritmo que nos impuseram, porque o espaço de esposição estava mesmo cheio de visitantes. Por isso penso que é um local onde as marcas portuguesas poderão ter uma forte possibilidade de conquistar mercado.”

A Velofollies tornou-se na maior feira de ciclismo do Benelux, fazendo também uma forte aposta na variedade. Este é um certame onde é possível tomar contacto com a maior oferta completa existe no mundo do ciclismo, desde o BMX e mountain bike a bicicletas de corrida, urbanas e eléctricas . Esta oferta é complementada por uma ampla gama de acessórios, roupas, mas é fundamentalmente um espaço de apresentação tendências e troca de ideias sobre a mobilidade suave.

O Velofollies decorreu desde sexta-feira, dia 17 até Domingo, dia 19 de Janeiro passado

22 10 2019 11 44 49 actie 22 10 2019 11 44 50 e bike vogue

abimotw rodape.

 

Portugal Bike Value já está no Benelux

Uma delegação portuguesa, liderada pela ABIMOTA, está participar na maior feira de ciclismo do Benelux, que se realiza desde hoje, sexta-feira dia 17 de Janeiro, até Domingo, em Kortrijk, nos Países Baixos.

A Velofollies tornou-se não só a maior feira de ciclismo do Benelux, mas também na mais variada, onde é possível tomar contacto com a maior oferta completa existe no mundo do ciclismo, desde o BMX e mountain bike a bicicletas de corrida, urbanas e eléctricas . Esta oferta é complementada por uma ampla gama de acessórios, roupas, mas é fundamentalmente um espaço de apresentação tendências e troca de ideias sobre a mobilidade suave.

Segundo Gil Nadais, Secretário-Geral da ABIMOTA, “o sector das duas rodas português está de boa saúde. As empresas estão a crescer em volume de vendas e sobretudo a crescer em termos de valor acrescentado, com as bicicletas eléctricas a impulsionarem as vendas. Esta situação acontece pelo ao bom momento que o sector atravessa, graças a uma nova forma de o encarar, à captação de novos investimentos e à busca de novos mercados.”

A participação de Portugal Bike Value integra-se no plano que a ABIMOTA desenvolve para a promoção do sector no panorama internacional.

“Neste aspecto o Portugal Bike Value tem desempenhado um papel fundamental e esta participação integra-se no plano desenvolvido até ao momento e vai ser a primeira de uma serie de acções a serem desenvolvidas neste ano que se inicia. A nossa presença neste evento é, portanto, a primeira de 2020.” Rematou o Secretário-Geral da ABIMOTA.

HCBSPavillionshots FYXO 5606 Arquivo

abimotw rodape

CONEBI publica comunicado sobre trotinetas eléctricas

A Confederação Europeia da Indústria de Bicicleta (Confederation of European Bicycle Industry) publicou um comunicado, em que define o conceito de veículos e aponta riscos de utilização, que veiculamos na íntegra.

  • Visão global:

1) A Confederação da Indústria Europeia de Bicicleta (CONEBI) é uma associação europeia líder, cujos membros são as associações nacionais da Indústria de Bicicletas da União Europeia. As empresas da União Europeia (EU) são membros das associações nacionais da indústria de bicicletas mencionadas.

2) A CONEBI representa as suas associações de membros - que incluem as indústrias de bicicletas da UE, EPAC’s assistidas e peças e acessórios - para a UE e instituições internacionais. Isso foi conseguido através da manutenção de contactos regulares com os responsáveis ​​políticos e autoridades reguladoras europeias e internacionais, bem como com outros órgãos e associações da indústria que buscam objetivos semelhantes.

3) Embora ainda não exista uma definição padronizada de uma trotineta elétrica, para os fins deste documento, definiremos uma trotineta elétrica como um veículo de duas rodas que é acionado por um motor elétrico. Geralmente é projetado com uma plataformas sobre o qual o utilizador se apoia.

  • Posição:

Como representantes da indústria europeia de bicicletas, respeitamos a legislação da UE e cumprimos os regulamentos e diretivas da UE. Nos termos do regulamento da UE relativo à homologação e fiscalização do mercado de veículos e quadriciclos de duas ou mais rodas (UE N. 168/2013), qualquer veículo com um acelerador que atinja velocidades superiores a 6 km/h deve ser homologado.

O número cada vez maior de acidentes envolvendo o uso não regulamentado de trotinetes elétricas resultou numa opinião pública negativa, o que é evidente nos inúmeros artigos de jornal sobre segurança dos utilizadores vulneráveis ​​da estrada. A indústria europeia de bicicletas manifesta grande preocupação com a situação, devido ao impacto que pode ter na imagem da micro-mobilidade como um todo e, consequentemente, no uso de bicicletas elétricas com auxílio de pedais.

Além disso, existe um equívoco público sobre o que exatamente é uma trotineta elétrica e muitos confundem-nas erroneamente com e-bikes. A CONEBI gostaria de declarar claramente a diferença fundamental entre uma trotineta elétrica e uma e-bike com assistência a pedais (que chamaremos aqui EPAC’s de Ciclos Assistidos Elétricos):

- Uma EPAC é uma bicicleta eletricamente assistida que fornece assistência elétrica ao ciclista apenas enquanto pedala e apenas até uma velocidade de 25 km/h. Possui capacidade máxima do motor de 250 W.

- Uma trotineta elétrica é um motociclo ou ciclomotor elétrico, de duas rodas, sem pedais e a assistência elétrica é ativada simplesmente por meio de um acelerador, independentemente da atividade do condutor. Assim, para uma trotineta elétrica, a assistência elétrica é automática e independente.

Como representante da indústria europeia de bicicletas, a CONEBI pretende evidenciar claramente sua posição e não pode ser responsabilizada por quaisquer problemas decorrentes do uso de trotineta elétrica. A indústria europeia de bicicletas não representa os produtores ou fornecedores de trotinetas elétricas.

  • Preocupações relacionadas com a trotineta elétrica:

1) Qualquer veículo com acelerador que exceda 6 km/h na UE deve ser homologado e ter características de segurança adequadas, se usado na via pública. Atualmente, as trotinetas elétricas não são homologadas.

2) As trotinetas elétricas, dada a sua pequena base de roda, são muito instáveis ​​e, geralmente, em relação à sua velocidade, possuem um sistema de travões inadequado. Consequentemente, os acidentes são frequentes. Além disso, houve incidentes em que o acelerador ficou encravado ou a trotineta elétrica reduziu a velocidade, ou acelerou em excesso de velocidade ou até travou forma autónoma. Algumas mudanças automáticas de velocidade ocorrem devido à localização geográfica de algumas áreas, motivadas pela localização por GPS, que altera os limites de velocidade.

3) O uso de trotineta elétrica em ciclovias cria congestionamento e é perigoso para ciclistas e ciclistas de EPAC´s, já que as trotinetas geralmente excedem 25 km/h e são baseadas apenas no acelerador.

4) Assim, toda a imagem da micro-mobilidade é posta em risco. A partilha e o uso e venda apropriados de bicicletas ficam também em risco, trazendo o perigo de danos significativos ao mercado da indústria de bicicletas.

5) As indústrias europeias de bicicletas e EPAC´s estão comprometidas em produzir veículos de duas rodas seguros, duradouros, sustentáveis ​​e ecológicos, que podem ser reparados e proporcionam uma vida média de vários anos. As bicicletas e EPAC’s podem ser recicladas (incluindo as baterias) e, portanto, fazem parte da economia circular da indústria da UE. Até agora, as trotinetas elétricas são operadas com uma lógica de utilizar e descartar. Temos conhecimento de empresas que, em alguns casos, não mantêm suas frotas, nem as reparam ou reciclam, o que resulta numa pegada ambiental negativa.

Bike

abimotw rodape

Fim-de-semana preenchido para a ABIMOTA

No passado fim-de-semana a presença da ABIMOTA dividiu-se entre Porto e Taichung, em dois eventos distintos, mas sempre com a mobilidade suave como pano de fundo.

O programa Portugal Bike Value Empresarial, no âmbito dos seus objectivos, que visam a presença nos mercados internacionais do sector das duas rodas nacional, promovendo as competencias, capacidades e qualidade do produto nacional, esteve presente em Taiwan, onde teve lugar o Taichung Bike Week.

Neste certame a ABIMOTA acompanhou as seguintes empresas: Esmaltina, Incycles, Interbike, Jasil, Miranda, ND Tuned, Prototype, Rodi, Sangal, Tabor e Unibike. 

“Este é um evento direccionado para as empresas e empresários e por isso mesmo a presença de Portugal Bike Value foi fundamental. Estabelecemos inúmeros contactos, quer no sentido de criarmos “pontes” entre produtores e fornecedores nacionais e estrangeiros e também no sentido de captarmos a atenção dos empresários, para o cluster português das duas rodas.” Referiu Gil Nadais, Secretário Geral da ABIMOTA.

Paralelamente, no Porto, decorreu o Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico, evento que visa promover o novo paradigma de mobilidade e a ABIMOTA, com Portugal Bike Value, esteve presente.

Durante os três dias do evento, que decorreu de 18 a 20 de Outubro, o espaço ABIMOTA foi visitado por um público numeroso, que aproveitou para experimentar as e-bikes presentes.

abimota sahe

abimotw rodape

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

© 2020 Completa Mente - Comunicação e Eventos, Lda. | Design by RMD