Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.

52º Ralicross de Castelo Branco - Domingo

logo ptrx preto

A Escuderia de Castelo Branco organizou a sexta prova do Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, prova que serviu já para definir alguns dos Campeões de 2018.

Pedro Tiago, António Santos e Pedro Matos, têm já motivos para comemorar, pois são os virtuais campeões da Super Nacional A1.6, dos Super Buggy e dos Supercar. As restantes categorias, só se vão decidir em Sever do Vouga, em 13 e 14 de Outubro próximo.

cbranco pmatos podium O pódium da Supercar, Pedro Matos ao centro 

cbranco ptiago camp Pedro Tiago 

cbranco asantos camp domingo António Santos com a equipa

Super Iniciação

Rafael Rocha (Peugeot 106) terminou a qualificação na frente e dessa forma ganhou a Pole Position. Ao lado partia Rodrigo Correia, que foi segundo nas contas da qualificação.

Na partida foi João Novo (Peugeot 106) quem levou a melhor. Furou desde a segunda linha e colocou-se na frente.

Rodrigo Correia (Peugeot 205) e Rafael Rocha (Peugeot 106) ficavam a lutar pela terceira posição. Rodrigo falhou uma travagem na direita antes da entrada da Joker Lap e perdeu tempo, mas depois o carro de Rafael começava a falhar e Rodrigo Correia recuperava o segundo posto.

João Barroso esteve bem, mas o Fiat Uno não chega para bater os 1.4 mais potentes. Ariana Rodrigues (Peugeot 106) foi a melhor concorrente feminina, na quinta posição final.

cbranco jnovo João Novo (Peugeot 106)

Super Nacional 2RM

Santinho Mendes (Santinho Mendes) dominou as corridas de qualificação e ficou com a tarefa mais facilitada, a partir do momento que Adão Pinto viu a transmissão do Opel Astra ceder. Depois, na corrida, só deu Santinho. Fernando Silva (Seat Ibiza TDI) colocou-se em segundo e tudo ficou mais fácil, quando o motor do Opel Kadet de Nuno Pereira começou a falhar. Pereira foi terceiro.

Supercar

Pedro Matos (Citroen DS3) dominou a jornada e na final venceu com naturalidade, comandando desde a partida.

Joaquim Santos teve que se esforçar. No Sábado uma arvore de cames do motor de Ford Focus cedia, o motor era reparado, mas não estava bom e por isso, defendeu o segundo posto, dentro do possível, mas acabou por ceder para Daniel Pacheco (Subaru Impreza WRX), que simultaneamente comandava a Classe dois. 

Depois era vez de Ademar Pereira (Subaru Impreza WRX), que rodava de forma cautelosa, para que o carro não se calasse de vez, passar para terceiro. Santos entretanto desistia.

cbranco pmatos dom Pedro Matos (citroen DS3)

Super 1600

João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) não deu hipótese na qualificação, em que venceu as quatro corridas.

Depois, na final, acelerou para nova vitória. Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) foi o outro protagonista da prova, partiu bem, assumiu o segundo posto e colocou-se à frente de José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600), que trazia a frente do Peugeot 206 de Joaquim Machado colado à traseira.

Entretanto, António Sousa (Citroen DS3 S1600) passava para quinto. André Sousa cobiçava-lhe a posição, mas à terceira volta o motor do Peugeot 207 S1600 “calava-se”. Sousa ainda conseguia retomar o andamento, mas já era demasiado tarde.

Ricardo Soares, com problemas de caixa de velocidades no Citroen Saxo S1600, era o sexto a cortar a meta.

cbranco ribeiro dom João Ribeiro (Citroen Saxo S1600)

Super Nacional A1.6

A qualificação foi discutida até à bandeirada xadrez e a pole position da final ficou posse de Luís Morais Peugeot 106), que levou a melhor sobre Pedro Tiago (Citroen Saxo) que partia de segundo.

Pedro Tiago (Citroen Saxo) ganhava a final… e que final!

Nuno Magalhães (Peugeot 206) arrancava cedo de mais e por isso teria que cumprir duas ida à Joker Lap, cruzava as linhas do arranque e era penalizado em dez segundos. Ora as “penalidades” que lhe eram impostas colocavam-no definitivamente fora da luta pelo primeiro lugar.

O grupo da frente rodava animado. Ainda na primeira volta Jorge Costela (Citroen Saxo) era tocado e fazia um pião. Luís Morais era outro dos homens da frente, mas perdia a traseira do Peugeot 106, na travagem para uma direita e baixava para quinto.

Pedro Tiago (Citroen Saxo) andava na frente e ai terminava a corrida. Tiago Ferreira (Peugeot 106) era quem lucrava mais com a penalização de Magalhães e subia para o segundo lugar final, à frente de Leonel Sampaio Citroen Saxo). Nuno Magalhães ainda terminava em quarto, na dianteira de Benjamim Sousa (Citroen Saxo).

cbranco ptiago Pedro Tiago (Citroen Saxo)

Super Buggy

Ludgero Santos (Toniauto) teve direito a Pole Position, empatado em pontos com Rui Godinho (SB PG), que ganhou por duas vezes na qualificação, mas na terceira corrida ficou atrás de António Santos.

Depois, na final, Ludgero foi para frente e deixou António Santos e Rui Godinho a discutirem o segundo posto. Entretanto, Nelson Barata colava-se a Toniauto de Santos e ganhava-lhe a posição.

Rui Godinho, sem pressão, ganhava tempo ao líder e Nelson Barata e António Santos, ficavam a discutir a posição restante do pódium. Nesta luta seria Barata que levava a melhor.

Arménio Santos (GRT MXG) cumpria as voltas da corrida com problemas mecânicos até ser o quinto a cortar a meta.

Kartcross

Jorge Gonzaga (ASK EVO 18) detinha a Pole Position para final. Venceu a qualificação, que teve três vencedores distintos nas três corridas, mas as contas finais foram-lhe favoráveis.

Depois, na final, Gonzaga ganhou de novo, após uma das mais espectaculares corridas dos últimos tempos.

José Mota (Semog Bravo) arrancou como um tiro e colocou-se na primeira posição. Logo atrás tinha Jorge Gonzaga, que por sua vez trazia Pedro Rosário (Semog Bravo ER) a rodar parachoques com parachoques.

Mais atrás, na curva um, um toque deixava Pedro Palma (Semog Bravo) fora de prova.

O trio da frente destacava-se de Daniela Godinho que liderava o segundo pelotão, que integrava Fábio Machado (ASK) e Mário Rato (Semog Revolution SR).

Entretanto os homens da frente apanhavam Vítor Santiago (Semog Bravo), que apesar de estar prestes a ser dobrado e receber bandeiras azuis, defendeu a posição como se do líder se tratasse.

As idas à Jokes Lap foram assim decisivas e no regresso à pista, Pedro Rosário não conseguia evitar um toque com José Mota. Mota ficava pelo caminho Rosário fazia uma prova de garra e partia em perseguição de Jorge Gonzaga.

Nas duas últimas voltas, os homens da frente protagonizaram uma luta intensa, pela primeira posição. Jorge Gonzaga a defender o primeiro posto, o Campeão em título, Rosário, a dar o tudo por tudo para vencer. Ao cortar da meta o homem do ASK levou a melhor.

Pelo meio, Mário Rato furou até terceiro, seguido por Daniela Godinho, uma mulher de armar que pôs todos os outros em respeito e venceu o troféu feminino.

Fábio Machado e Pedro Rabaço fecharam o grupo dos seis da frente.

 cbranco joca Jorge Gonzaga (ASK EVO 18)

52º Ralicross de Castelo Branco - Sábado

logo ptrx preto trans

A pista do Lanço Grande recebe este fim-de-semana, a sexta jornada do Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, numa organização da Escuderia de Castelo Branco. 

Esta tarde, Sábado, foram disputados treinos e as primeiras corridas de qualificação

Super Iniciação

Quando parecia que João Novo tinha a corrida na mão, um capotanço colocava-o fora de prova. O Peugeot 106 ficava com mau aspecto, mas não era mais do que chapa amolgada.

Rafael Rocha (Peugeot 106) ficou com o caminho aberto para vencer, seguido pelo “roockie” João Barroso (Fiat Uno).

Rodrigo Correia (Peugeot 205) ficava pelo caminho, com uma transmissão partida, tal como Ariana Rodrigues (Peugeot 106).

Na segunda corrida a sorte de Correia foi oposta, ganhou com vantagem, tendo desta vez a má sorte batido à porta do Peugeot de Rafael Rocha, com problemas de caixa. João Barros ficou com caminho livre para ser segundo.

Super Nacional 2RM

Santinho Mendes (Opel Astra) venceu, depois de uma luta muito interessante com Adão Pinto (Opel Astra), que só ficou resolvida quase no final, depois de Pinto ter ido à Joker Lap.

Terceiro e quarto postos, respectivamente para Nuno Pereira (Opel Kadet) e Fernando Silva (Seat Ibiza TDi).

Na segunda corrida, Santinho Mendes venceu, com Fernando Silva em segundo e Nuno Pereira em terceiro. Adão Pinto ficou pela segunda volta, com problemas mecânicos no Opel.

Super Nacional A1.6

A vantagem de 4,4 segundos de Nuno Magalhães (Peugeot 206) sobre Américo Sousa (Citroen Saxo) não espelha a forma como as duas mangas de qualificação da A1.6 foram disputadas, com corridas intensas, discutidas até à bandeirada final.

Feitas as contas das duas mangas, já vimos quem foram os primeiros, e nas posição seguintes ficaram Jorge Costela (Citroen Saxo), Tiago Ferreira (Peugeot 106) e Pedro Tiago (Citroen Saxo).

Pedro Tiago ganhou a segunda corrida, com um segundo de vantagem sobre Luís Morais. Mais uma corrida repleta de emoção pautou o final da jornada, em que após as contas Américo Sousa foi terceiro, com Tiago Ferreira a meio segundo. Vitor Sousa foi o quinto.

Cbranco A16 sabado Luís Morais (Peugeot 106 GTi)

Super 1600

A primeira corrida teve duas mangas, ambas com sabor a final, mas feitas as contas, foi João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) quem levou a melhor, com uma vantagem de 4,4 segundos sobre Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) - mudam os protagonistas, mas os tempos são semelhantes entre as duas 1600.

Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600) venceu a segunda manga, mas nas contas das corridas foi terceiro, à frente de António Sousa (Citroen DS3 S1600). André Sousa (Peugeot 207 RC S1600) foi o quinto.

Supercar

Pedro Matos (Citroen DS3) venceu e teve a tarefa facilitada, quando Joaquim Santos tinha que levantar o pé, com problemas no Ford Focus. A classe dois foi bem mais discutida, mas Ademar Pereira levava a melhor sobre Daniel Pacheco, numa espécie de troféu monomarca de Subarus Impreza WRX.

Super Buggy

Rui Godinho (SB PG) venceu a primeira corrida de qualificação, com uma vantagem de oito segundos sobre Ludgero Santos (Toniauto), que até tinha partido bem, mas uma saida de pista ligeira colocou-o em segundo.

António Santos (Toniauto) foi terceiro, à frente de Nelson Barata (Toniauto Powernb) e de Arménio Rodrigues.

Kartcross

Mário Rato (Semog Bravo Revolution SR) dominou, o que quer dizer que levou a melhor sobre Jorge Gonzaga (ASK EVO), por meio segundo (!). Mas se a diferença entre ambos é curta, ainda o mais curta para o terceiro, Pedro Rosário (Semog Bravo ER), que terminou a duas décimas de ser segundo. O “top” cinco fechou com Luís Almeida (Semog Bravo ER) e Pedro Rabaço (HSPort).

cbranco kartcross sabado Mário Rato (Semog Evolution ER)

Castelo Branco regressa no próximo fim-de-semana

logo ptrx preto

O Complexo de desportos motorizados do Lanço Grande vai receber a sexta prova do PTRX, que reúne mais de meia centena de pilotos.

A Escuderia de Castelo Branco lançou o desafio e 51 concorrentes aceitaram-no, pelo que se prevê um fim-de-semana bem animado, para marcar o regresso do Ralicross à pista albicastrense.

Esta é a penúltima prova do PTRX e os campeonatos ou estão por decidir, ou estão completamente ao rubro, no que a pontuações diz respeito. Vamos a ver:

Nas duas provas que faltam disputar há 86 pontos para distribuir e há uma pontuação para deitar fora, em alguns casos poderá ser definido o campeão na próxima prova, mas será difícil. Vejamos:

Na Super Iniciação Rafael Rocha comanda com 26 pontos de vantagem sobre Rodrigo Correia, ainda não temos Campeão e muito dificilmente o campeonato se resolverá na próxima prova. Pelo meio, João Novo ainda "espreita" uma hipótese.

Na Super 1600 as coisas estão semelhantes. João Ribeiro tem uma vantagem de 15 pontos sobre José Eduardo Rodrigues e este é daqueles casos que certamente só em Sever vai ficar fechado e Rodrigues só tem a ganhar em vencer.

Nos Supercar Pedro Matos, tem 42 pontos de vantagem sobre Joaquim Santos e por isso, o homem da Bompiso certamente que tudo fará para atrasar a decisão, se bem que a vantagem de Matos seja significativa. Já na Divisão 2 dos Supercar, Ademar Pereira pode fazer uma prova sem sobresaltos.

Descansado, mas não muito, poderá estar também Pedro Tiago na Super Nacional A 1.6. Venceu as cinco corridas anteriores e o pleno na próxima prova poderá deixá-lo, então sim, descansado.

Em situação semelhante vai estar também certamente António Santos, que tem uma vantagem de 39 pontos, sobre Arménio Rodrigues. Isto é tanto mais significativo, na medida em que cada prova atribui uma pontuação máxima de, justamente, 39 pontos. Para dificultar as contas, teremos a presença do sempre favorito Ludgero Santos, na prova da Escuderia.

Bem, estivemos a ver os casos difíceis, vamos ver os casos “impossíveis”:

Super Nacional 2RM: Adão Pinto e Santinho Mendes estão separados por quatro pontos. Fernando Silva está a 31 e José Sousa a 43, o que ainda serve para complicar mais as contas, pois têm possibilidades, mesmo que matemáticas.

“Pior” ainda está o Kartcross, em que Pedro Rosário tem dois pontos de vantagem sobre Jorge Gonzaga e Luís Almeida está a 29 pontos. Mário Rato tem possibilidades matemáticas, recorde-se que no caso dos Kartcross, tal como nos Super Buggy, os pontos disponíveis nas duas provas que faltam, são 78.

Promessa de um grande fim-de-semana de corridas, já em 22 e 23 de Setembro, os próximos Sabado e Domingo.

montlegre ribeiro domingo2 Arquivo PTRX Montalegre 2018

 

Ralicross de Sever do Vouga com nova data

logo ptrx preto

O Vouga Sport Clube necessitou de adiar a prova uma semana, a pedido de grande parte dos pilotos de Ralicross.

Treze e 14 de Outubro é a nova data para a prova de Sever do Vouga, que pontua para o Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, o PTRX.

A alteração deve-se aos pedidos de vários pilotos, que manifestaram desagrado pelo facto de apenas disporem de duas semanas para prepararem os carros. A prova estava inicialmente prevista para seis e sete de Outubro, mas essa data separava a jornada de Sever em duas semanas, face à prova de Castelo Branco, que se vai realizar já em 22 e 23 de Setembro.

A FPAK entendeu as razões apresentadas e por esse facto autorizou a alteração de datas.

A prova de encerramento do PTRX vai passar assim para 13 e 14 de Outubro.

sever capotanco a16 1

Ralicross de Lousada II - Domingo

logo ptrx preto

No regresso do PTRX a Lousada houve um pouco de tudo. Chuva, trovoada, um calor tórrido, toques, piões, capotanços e muita adrenalina à mistura. Foram disputadas cerca de 60 corridas divididas pelo Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy.

Câmara Municipal não falta à chamada

Pedro Machado, Presidente da Câmara de Lousada e entusiasta do desporto automóvel foi uma das figuras presentes entre o público presente no traçado da Costilha. “Não poderia faltar a mais uma edição do Campeonato. O desporto automóvel está mais do que enraizado na cultura do concelho e só temos que o continuar a promover a a apoiar. O Clube Automóvel de Lousada está mais uma vez de parabéns, bem como todos os pilotos”, referiu o edil de Lousada.

Pedro Machado Pedro Machado - Presidente da C. M. Lousada

Super Iniciação

Rafael Rocha, em Peogeot 106 XSI fechou a jornada de Lousada como começou, a vencer. Ganhou a primeira corrida, recorde-se que decorreu à chuva e depois a final. Rodrigo Correia foi segundo e Gonçalo Macedo conseguiu o terceirto lugar do pódio. Menos sorte teve João Novo, que apesar de ter vencido três das quatro corridas de fim-de-semana, viu o seu trabalho ficar comprometido na segunda volta da final, com o Peugeot 106 a deixar de colaborar.

LousadaII iniciacao Partida Super Inciação

Super Nacional 2 RM

Nuno Magalhães venceu em casa, numa final que parecia estar destinada a Santinho Mendes ou a Adão Pinto. Estes últimos começaram por marcar o andamento, mas Magalhães nunca os perdeu de vista e as trocas de posições, fruto da Joker Lap, ditariam a vitória ao piloto do Ford Escort, seguido de Santinho Mendes e Adão Pinto. José Sousa foi quarto e Fernando Pinto levou o Seat Ibiza TDi, o único Diesel do pelotão ao quinto posto. Andreia Sousa, aos comando do Toyota Starlet 1.4 reclamou o sexto posto e a melhor classificação no feminino.

 LousadaIISuper Nacional 2RN Nuno Magalhaes Nuno Magalhães (Ford Escort)

Supercar e Super Nacional 4WD

Num fim-de-semana de muito trabalho, Joaquim Santos acabou por levar a melhor sobre Pedro Matos. Os pilotos da Supercar dividiram as vitórias nas quatro corridas da jornada. Porém, na final, mesmo esta “escrita” com algumas trocas de posições, Santos acabou por levar a melhor sobre Pedro Matos que furou e não evitou um pião na súbida para a entrada na meta. Com isto Ademar Pereira, para além de ter o posto garantido na Super Nacional 4WD, ainda acabou por assegurar o segundo posto à geral. José Lameiro, acabou por não conseguir resolver os problemas técnicos do Leon RX e não alinhou neste segundo dia de prova.

LousadaIISuperCars Joaquim Santos Joaquim Santos (Ford Focus) LousadaII4wd Ademar Pereira Ademar Pereira (Subaru Impresa WRX)

Super Nacional A 1.6

O líder do campeonato, Pedro Tiago até nem chegou à final numa posição de destaque, Américo Sousa arrancou melhor e passou para a frente. Entretanto Luís Morais também começou a mostrar serviço e assumiu o comando a meio da corrida. Contudo, Pedro Tiago voltou a aplicar-se e na derradeira volta reclamou o melhor lugar do pódio. Luís Morais conquistou o segundo posto e Sousa fechou o  pódio. Uma final animada, que decorreu num género de duas séries, isto porque o capotanço de Benjamim Sousa no primeiro ensaio obrigou à interrupção da corrida.

LousadaII NA1.6 Super Nacional A 1.6

Super 1600

Na categoria mais competitiva do campeonato, João Ribeiro, em Citroën Saxo não teve “mãos a medir” durante todo o fim-de-semana, apesar de ter sempre conseguido manter-se no comando, nunca teve a vida facilitada. Nas primeiras duas voltas o pelotão rodou compacto, mas com as passagens pela Joker Lap o trio da frente, liderado por Ribeiro começou a destacar-se, seguido de Mário Teixeira e José Eduardo Rodrigues, que por esta ordem fecharam o pódio.

LousadaIISuper 1600 joao Ribeiro João Ribeiro (Citroen Saxo S1600)

Kartcross

A espectacularidade é o ingrediente base dos kartcross. Nas corridas da manhã de domingo, as carambolas, que deixaram de fora parte do pelotão, a juntar ao capotanço de João Matias, animaram o público presente. Pedro Rosário venceu a derradeira corrida, numa prova que foi liderada até à última volta pelo ASK EVO18 de Jorge Gonzaga, mas foi obrigado a abandonar por avaria.  Com isto, a segunda posição foi entregue a Luís Almeida, o que premeia um trabalho muito regular durante toda a jornada. O terceiro posto ficou reservado para José Carlos Pinheiro.

LousadaII Kartcross Kartcross: Pedro Rosário em primeiro

Super Buggy

António Santos e Nélson Barata ambos em chassis Toniauto, discutiram, durante toda a jornada de Lousada o primeiro lugar. Nelson até chegou à final com vantagem. Rodou mesmo na frente, mas na terceira volta António Santos assumiu o comando. Barata viria mesmo a bandonar na subida junto à bancada, permitindo a Arménio Barata, que os seguia à distância, reservar o segundo e último lugar do pódio. 

LousadaIISuper Buggy antonio Santos António Santos (Toniauto TT)

Carga de adrenalina

Em consequência das condições climatéricas que ontem, sábado, se fizeram sentir no Eurocircuito de Lousada, o programa acabou por ser encurtado. Realizou-se apenas a 1ª corrida do Campeonato Nacional de Ralicross, passando o primeira ronda do Karcross e Super Buggy, para hoje, domingo.

Com o S. Pedro mais colaborante e os pilotos a poderem deixar tudo em pista, espera-se um dia pleno de adrenalina. No total, hoje, Lousada vai ser palco de meia centena de corridas... Motivo mais do que suficiente para um dia bem passado na pista da Costilha, onde "elas" não pagam.

Lousada 2 partida s1600