Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.

Rally Serras de Fafe - Sábado

Cabeçalho rali 18

O Campeonato de Portugal de Ralis arrancou em Fafe, com a realização do Rally Serras de Fafe, organizado pelo DEMOPORTO – Clube de Desportos Motorizados do Porto.

A prova é marcada pelos regressos do Bi-Campeão Mundial de Produção, Armindo Araújo; pelo regresso do Campeão Nacional, José Pedro Fontes e do veterano José Carlos Macedo.

Alinharam 86 equipas, divididas pela Taça de Ralis Norte (16 participantes), Campeonato Norte de Ralis (32 participantes) e Campeonato de Portugal de Ralis, Troféu Ibérico de Ralis e Taça da Europa de Ralis (38 participantes). Destaque-se ainda que alinharam 21 R5´s, os automóveis mais competitivos do panorama europeu.

serras fafe barbosa sabado  serras fafe barbosa voo Miguel Barbosa/Hugo Magalhães (Skoda Fábia R5) - Foto Aifa

  •  Lameirinha 1

Ricardo Moura e António Costa (Ford Fiesta R5) começaram com o andamento habitual nesta prova, ou seja a disputar o primeiro posto e a assinar o melhor tempo, com 10m 13,90s, o que corresponde a uma média de 87,5 Km/h e bateram Miguel Barbosa e Hugo Magalhães (Skoda Fábia R5) por 1,1 segundos.

Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fábia R5) foram terceiros, a 9,50s e “seguraram” Armindo Araújo e Luís Ramalho (Hyundai i20 R5), por duas décimas de segundo. Ricardo Teodósio e José Teixeira (Ford Fiesta R5), encerraram o grupo dos cinco da frente.

Carlos Vieira e Jorge Carvalho, ficaram sem pressão de gasolina no Hyundai i20 e desceram até ao Confurco com o carro desligado, o que os fez perder algum tempo.

Pedro Antunes e Jorge Gonçalves (Peugeot 208 R2) fazem o 15º tempo da geral, com 11m 07.10s e foram os mais rápidos das duas rodas motrizes.

Desistências

Elias Barros e Paulo Silva tiveram uma aterragem violenta após o segundo salto, o que motivou a desistência.

José Carlos Macedo e Luís Lisboa (Ford Fiesta R5) capotaram o carro ficou na estrada, numa zona estreita no meio da classificativa motivou a interrupção da prova.

Ruben Moura e Jorge Carvalhosa (Peugeot 208 R2) saíram de estrada após o segundo salto.

  • Luílhas 1

Miguel Barbosa e Hugo Magalhães (Skoda Fabia R5) bateram Ricardo Moura e António Costa (Ford Fiesta R5) por 4,8 segundos e passaram para a frente do rali, com uma vantagem de 3,70 segundos. 

Armindo Araújo e Luís Ramalho (Hyundai i20 R5) fizeram o terceiro tempo, passando a ocupar igual posição na classificação geral, a 23,90 segundos dos líderes, mas por sua vez, com uma vantagem de 30 centésimas sobre Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fabia R5).

O Campeão Nacional em título, Carlos Vieira, navegado por Jorge Carvalho (Hyundai i20 R5), capotou, perdeu tempo, mas pode retomar o andamento. Após a classificativa estavam em oitavos da geral.

Ricardo Teodósio e José Teixeira (Ford Fiesta R5) saíram de estrada e desisitiram.

Disse Carlos Vieira após as duas primeiras classificativas:

"Na primeira classificativa nos ficamos sem pressão de gasolina e perdemos muito tempo na zona do Confurco... tivemos que descer tudo com o carro desligado. Depois lá em baixo, fizemos um resert e o carro voltou a pegar. Arrancamos e em Luinhas acabamos por capotar no ultimo gancho à direita e tivemos que esperar por gente, puseram-nos direitos e nós arrancamos... Pronto estamos a 56s, ainda é bom!"

  • Lameirinha 2

Ricardo Moura e António Costa (Ford Fiesta R5) ganharam a classificativa, com uma vantagem de 7,10 segundos sobre Miguel Barbosa e Hugo Magalhães (Skoda Fábia R5). A dupla do Ford regressou à liderança da prova, agora com uma vantagem de 3,40 segundos.

Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fábia R5) fizeram o terceiro tempo, cederam 10,40 segundos para os homens da frente. Ficavam a 30,90 segundos do primeiro posto nas contas da geral.

José Pedro Fontes e Paulo Babo (Citroen DS3 R5) assinaram o quarto tempo, à frente de João Barros e Jorge Henriques (Ford Fiesta R5) e reduziram a diferença para os homens do Ford, para 7,20 segundos.

Armindo Araújo e Luís Ramalho viram o motor do Hyundai perder potencia e cumpriram a classificativa em ritmo lento, perderam 43,40 segundos para os líderes de uma assentada.

Carlos Vieira e Jorge Carvalho (Hyundai i20 R5) estão definitivamente em maré de azar. Furaram e os 56,70 segundos perdidos para os primeiros são disso exemplo.

  • Luílhas 2

Ricardo Moura e António Costa (Ford Fiesta R5) voltaram a assinar o melhor tempo e dilataram a diferença para Miguel Barbosa e Hugo Magalhães (Skoda Fábia R5), para 7,50 segundos.

José Pedro Fontes e Paulo Babo (Citroen DS3 R5) têm vindo a aumentar de ritmo e agora fizeram o terceiro tempo, à frente de Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fábia R5). Os homens do Skoda mantêm a terceira posição à geral, mas têm Fontes e Babo, agora a 18,30 segundos.

Carlos Vieira e Jorge Carvalho, desta vez sem problemas no Hyundai i20, assinaram o quarto tempo da classificativa.

João Barros e Jorge Henriques (Ford Fiesta R5), em termos de contas à geral, consolidaram o quinto posto da geral, tanto mais que Armindo Araújo e Luís Ramalho se mantiveram em ritmo lento, com o motor do Hyundai a pura e simplesmente se recusar a andar.

Nas Duas rodas motrizes Pedro Antunes e Jorge Gonçalves (Peugeot 208 R2) mantêm-se como os mais rápidos, terminaram a segunda ronda na 12ª posição e imiscuíram-se nas lutas dos R5´s.

Daniel Nunes e Rui Raimundo (Peugeot 208 R2), afirmaram-se como a principal oposição. Pelo meio ficou o Hyundai i20 R5 de Manuel Castro e Luís Costa.

Paulo Neto e Vitor Hugo (Citroen DS3 R3T) eram os melhores classificados do grupo RC3, à frente de Miguel Correia e Pedro Alves (Renault Clio R3).

Disseram os primeiros, após a dúpla passagem por Lameirinha e Luilhas:

Ricardo Moura

"A avaliar pelos últimos anos, o rally ainda vai no inicio. Temos passado sempre o primeiro dia na frente do rally e sinceramente quero ver para querer, portanto tenho que me  manter assim concentrado."

"Acho que vai ser... está a se um rally extremamente duro... duríssimo! Eu nem quero imaginar aquelas zonas Luilhas onde vamos, se Deus quiser, passar quatro vezes... agora já o carro saia dos trilhos, saía o volante das mãos, imagino como vai ser se chegarmos lá amanhã. Vai ser muito duro mesmo. O carro tem se portado bem, pouco grip em alguns momentos... mas isso foi com toda a gente... é muito duro e espero que os pilotos e as mecânicas aguentem... vai ser duro."

Miguel Barbosa

"Fizemos numa boa sessão de testes antes desta prova e temos vindo a trabalhar bastante também no novo sistema de notas, sinto-me bastante confiante e o trabalho com o Hugo tem sido também bastante proveitoso. Entramos com um ritmo forte, sentimo-nos confiantes com o carro, não arriscamos em demasia e portanto estamos satisfeitos obviamente com os resultados."

"Este é o ano em que, no fundo, queremos lutar pelo titulo, estamos a fazer por isso. Agora já sabia que nos troços da noite ia ser um bocadinho mais complicado para mim, mas pronto tudo bem perdemos aqui um bocadinho, estamos a sete segundos da liderança... portanto tudo em aberto."

  • Fafe Street Stage

Duas passagens pelo traçado criado nas ruas de Fafe, concluíram o primeiro dia de competição. Uma classificativa em “toada” de festa, com alguns milhares de espectadores a emoldurarem a prova.

Miguel Barbosa e Hugo Magalhães (Skoda Fábia R5) aproveitaram para recuperar a liderança da prova. Tal facto deveu-se fundamentalmente graças ao tempo canhão da primeira passagem (1m 34,40s) e ao facto de ter voltado a assinar a melhor marca da segunda volta.

Ricardo Moura e António Costa (Ford Fiesta R5) aparentemente adoptaram um ritmo mais cauteloso e isso custou-lhes terminar o dia no segundo posto a 1,60 segundos e com tudo a ficar em aberto para o segundo dia.

Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fábia R5) mantiveram a terceira posição da geral, mas José Pedro Fontes e Paulo Babo (Citroen DS3 R5) aproveitaram para ganhar mais três segundos.

João Barros e Jorge Henriques (Ford Fiesta R5) terminaram o dia no quinto posto.

Carlos Vieira e Jorge Carvalho e Armindo Araújo e Luís Ramalho estiveram na luta pelos lugares da frente, provando que podem andar rápido, desde que os Hyundai não dêem problemas. O tempo perdido nas classificativas anteriores impede-os de ir mais longe. No caso de Armindo é sexto e Vieira oitavo, pelo meio ficava a equipa espanhola Alexandre Villanueva e Oscar Sanchez em Skoda Fábia R5.

  • Taça FPAK de Ralis

Ricardo e Carlos Matos (Mitsubishi Lancer EVO IX) dominaram o primeiro dia de competição, venceram todos os troços e fecharam as contas do dia com uma vantagem de 1m 55,70 segundos sobre a concorrência.

O segundo posto foi bem mais disputado. Pedro Sá e Leandro Pereira (Mitsubishi Lancer EVO IX) começaram por ser segundos, mas na classificativa seguinte cediam para Luís Mota e Alexandre Ramos (Mitsubishi Lancer EVO VI). Mas nesta mesma luta entravam Fernando Teotónio e Ricardo Domingos (Mitsubishi Lancer EVO VII) e José Merceano e Francisco Pereira (Mitsubishi Lancer EVO VIII).

Com final do dia Fernando Teotónio e Ricardo Domingos acabariam por levar a melhor. Batiam Merceano e Pereira por dez segundos, que assim baixavam para terceiros.

Nas duas roas motrizes, Manuel Martins e Rui Vilaça (Peugeot 206 Gti) foram sedimentando a vantagem que os colocava na sexta posição da geral, sendo os primeiros “não-Mitsubishi”.

A liderança dos 4X2 não foi fácil, João Vieira e Bruno Abreu (Peugeot 206 Gti) e João Castela, navegado pelo espanhol Maikel Rodriguez num bem mais recente Peugeot 208 R2, estiveram também na luta.

  • Campeonato Norte de Ralis

Fernando Peres e José Pedro Silva (Mitsubishi Lancer EVO IX) dominaram a prova desde o início e parece mesmo que optou por gerir a vantagem no fim do dia, que se cifrava em 6,30 segundos, sobre Márcio Marreiros e Rui Serra (Mitsubishi Lancer EVO IX).

O segundo posto foi muito disputado. Carlos Fernandes e Valter Cardoso (Mitsubishi Lancer EVO VI) decidiram que não iam facilitar em nada e Marreiros e Serra, só após a segunda passagem pela Fafe Street Stage conseguiam garantir a vice liderança, embora ainda tenham perdido mais seis décimas, para os homens do EVO VI.

Tiago Almeida e Ricardo Pinto (Mitsubishi Lancer EVO IX) e Gaspar Pinto e Bernardo Gusmão (Mitsubishi Lancer EVO VI) completaram o grupo dos cinco da frente.

António Oliveira e Luís Boica (Peugeot 205 Gti) comandavam nas duas rodas motrizes, no fundo num lugar a que nos habituaram a andar. No entanto Rui Mendes e Bruno Pedrosa (Toyota Corolla Gti) rodaram bem perto no início, mas acabaram por ceder 1m 06s, para a equipa do Peugeot.

 

 

rodape rali 18