Rali Serras de Fafe - Sábado

Tempos e classificações em: cnr.cronobandeira.com

José Pedro Fontes e Inês Ponte levaram o Citroen DS3 R5 à vitória, numa prova recheada de surpresas e animação.

Frio e chuva não foram obstáculo para uma grande abertura do Campeonato Nacional de Ralis e da Taça de Ralis FPAK de Terra 2016. O público compareceu em força e não é para menos, pois a lista de inscritos reunida pelo Demoporto, clube organizador, prometia um dos melhores campeonatos de ralis de sempre… e pelos vistos confirma-se.

Declarações finais de José Pedro Fontes, vencedor do Rali Serras de Fafe:

"Foi um excelente início de campeonato. Fico muito feliz por ter vencido aqui, com uma lista de inscritos tão forte. Vários pilotos mereciam esta vitória, tiveram um andamento muito bom. Além disso, foi um rali muito difícil, muita chuva, muito nevoeiro e os pisos estavam muito traiçoeiros, mas tivemos sempre um ritmo forte."

"Acho um justo prémio para toda a nossa equipa e para os nossos patrocinadores. Temos feito um trabalho muito profissional, sério e estamos muito felizes!"

“Os ralis são uma paixão enorme em Portugal... há pessoas que passam frio e chuva para nos verem, é muito gratificante e o espetáculo que tentamos dar é para elas!”

rali serras de fafe 06 rali serras de fafe 02 José Pedro Fontes/Inês Ponte - Citroen DS3 R5  

rali serras de fafe 03 Pedro Meireles/Mário Castro - Skoda Fábia R5 

rali serras de fafe 04 Miguel Campos/Carlos Magalhães - Skoda Fábia R5 

rali serras de fafe 05 Carlos Vieira/Jorge Carvalho - Ford Fiesta R5  

rali serras de fafe 07 Ricardo Moura/António Costa - Ford Fiesta R5 

rali serras de fafe 01 Diogo Gago/Paulo Babo - Peugeot 208 R2 

rali serras de fafe 08 José Barbosa/Ricardo Barbosa - Mitsubishi Lancer EVO X

Fotos por Zoom Motorsport

Montim 3 – Vitória de José Pedro Fontes

José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroen DS3) venceram a última classificativa da prova, com menos um segundo e duas décimas que Miguel Campos e Carlos Magalhães (Skoda Fábia R5), os segundos mais rápidos no troço e arrumaram a seu favor as contas finais do Rali Serras de Fafe.

Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fábia R5) tinham o segundo posto praticamente assegurado antes desta classificativa, não valia a pena arriscar, pois seria praticamente impossível ganharem quase um segundo por quilómetro a Fontes para vencerem.

Miguel Campos e Carlos Magalhães (Skoda Fábia R5) ficaram com o mais baixo do pódium e não fora o problema de direcção, certamente teriam outra palavra para darem no final da prova.

Miguel Barbos e Miguel Ramalho (Skoda Fábia R5) foram os quartos mais rápidos, mantendo a subida de nível competitivo que os caracterizou na última secção, mas na geral terminaram em quintos, atrás de Carlos Martins e Daniel Amaral (Citroen DS3), que nas duas primeiras secções tinham amealhado uma vantagem que lhes permitia gerir o final da prova com conforto.

Nas duas rodas motrizes assistimos a uma vitória de Diogo Gago e Hugo Magalhães (Peugeot 208 R2) com uma vantagem de cinco minutos e 36, sobre Paulo Neto e Vítor Hugo (Citroen DS3 RT3 MAX).  A diferença nos tempos finais não espelha a luta que existiu nesta categoria.

Na produção não foi muito diferente. José e Ricardo Barbosa (Mitsubishi Lancer EVO X) venceram com uma vantagem confortável (8m 36,60s) sobre Marco Reis e Nuno Carvalhosa  (Mitsubishi Lancer EVO X).

Luílhas 3 – Fontes consolida vantagem

Nova vitória para José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroen DS3), que ganham mais um segundo exacto a Paulo Meireles e Mário Castro. Desta forma a distância acumulada dos dois primeiros é de sete segundos e duas décimas.

Miguel Campos e Carlos Magalhães (Skoda Fábia R5) são terceiros quer no troço, quer na geral.

Miguel Barbosa e Miguel Ramalho fazem o quarto tempo e reduzem 1,30s à distância que os separa de Carlos Martins e Daniel Amaral (Citroen DS3).

Fernando Peres e José Pedro Silva (Ford Fiesta R5) rodam com o sexto tempo e parece confirmar-se que preferem rodar nestes últimos troços. 

Lameirinha 2 – Fontes mais rápido

José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroen DS3) ganham mais um troço, com o tempo 10m 34,70s. Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fábia R5) são segundos, com mais 1,60s, mas trazem Miguel Campos e Carlos Magalhães (Skoda Fábia R5) completamente colados a escassas duas décimas.

Em termos de geral Fontes consegue dilatar a vantagem sobre Meireles, Campos encolhe a diferença para os da frente, mas a 1m 01s, só com muita sorte, ou muito azar dos dois primeiros poderá almejar melhor do que o mais baixo do pódium.

Carlos Martins e Daniel Amaral (Citroen DS3) são os quartos à frente de Miguel Barbosa e Miguel Ramalho (Skoda Fábia R5).

Diogo Gago e Hugo Magalhães (Peugeot 208 R2) lideram nas duas rodas motrizes, agora com uma vantagem confortável sobre Paulo Moreira e Marco Macedo (Skoda Fábia R2).

Os espanhóis Pepe Lopez e Rodrigo Sanjuan desistiram a pós terminarem Montim, com problemas mecânicos no Peugeot 208 R2.

José e Ricardo Barbosa (Mitsubishi Lancer EVO X) são os melhores na Produção. Manuel Inácio e Fábio Vasquez ficaram fora desta luta na classificativa anterior. 

Montim 2 – Campos de novo ao ataque

Miguel Campos e Carlos Magalhães (Skoda Fábia R5) voltam à carga a assinam mais uma vitória num troço. Batem Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fábia R5) por 3,10s.

José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroen DS3) rodam em 6m 12,90s, seis segundos e seis décimas mais lento do que os líderes, mas chega para manter a primeira posição à geral, com uma vantagem de 4,60s sobre, justamente Meireles e Castro.

O terceiro posta da geral é de Miguel Campos e Carlos Magalhães, à frente Miguel Barbosa e Miguel Ramalho (Skoda Fábia R5), que entretanto também tinham feito o quarto tempo na classificativa.

Os cinco da frente são encerrados por Carlos Martins e Daniel Amaral (Citroen DS3).

Paulo Meireles e Marcos Gonçalves não saíram do parque fechado, devido a problemas num cubo de roda do Skoda Fábia R5.

Declarações no final da primeira secção da segunda etapa:

José Pedro Fontes

"Durante a manhã correu bem e a prova disso é que estamos à frente no final da secção. À tarde, vamos ver como corre e vamos fazer os possíveis para manter a posição."

Ricardo Moura

"Infelizmente hoje foi um dia muito diferente de ontem. Tivemos um furo que nos prejudicou bastante nos últimos cinco quilómetros da classificativa e nos fez perder muita da vantagem que tínhamos. Depois na Lameirinha partimos a transmissão e tivemos que abandonar. Lideramos o Rali desde a primeira classificativa até termos desistido."

Fernando Peres

"No troço da Lameirinha demos um toque. Numa travagem o carro escorregou ao reduzir numa zona muito estreita, tinha uma pedra e partimos um braço da direcção. Conseguimos chegar aqui, conseguimos substituir e vamos tentar fazer os últimos quatro troços para rodarmos."

Carlos Vieira

"Íamos bem, sem correr riscos e quando chegamos à parte dos ganchos a descer Luílhas batemos numa pedra na saída e capotamos, mas continuamos. O carro estava bom na mesma, mas passados 2 km o carro desligou-se."

Taça Ralis FPAK Terra

A terceira e última passagem por Montim ditou a vitória para José Merceano e Francisco Pereira no Mitsubishi EVO VIII, conseguindo um total de 1h 38m 25,30s na soma das dez provas especiais.

No segundo lugar do pódio fica Luis Mota e Alexandre Ramos (Mitsubishi EVOII) com 2m 12.90s de distancia para o vencedor.

Foram 33,50 segundos de diferença para o quarto lugar, que garantiram o acesso ao pódio do Mitsubishi EVO VII, comandado pela dupla Manuel Pereira e Adriano Pereira.

A fechar a lista dos 5 mais rápidos: Eugénio Madureira e António Duarte ao volante do Mitsubishi Carisma GT e António Oliveira e Jorge Antunes no Peugeot 205 GTI, com 1:45:52.70 e 1:47:26.90, respectivamente.

A Mitsubishi preencheu os 3 lugares do pódio no arranque da Taça Ralis FPAK Terra no Rali Serras de Fafe com a chuva e as várias avarias a complicarem o trabalho para os pilotos, mas a proporcionarem um excelente espetáculo para o público.

Luílhas 2 – ao rubro

Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fábia R5) entram ao ataque e fazem o melhor tempo na classificativa: 10m 20,60s. José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroen DS3) cedem 3,30s, mas não perdem a liderança do rali, em que detêm uma vantagem de 8,10s sobre, justamente, Pedro Meireles e Mário Castro.

Miguel Campos e Carlos Magalhães debatem-se com um problema na direcção assistida do Skoda Fábia R5 e perdem um minuto e onze segundos para os líderes. Caem para terceira posição da geral.

Paulo Meireles e Marcos Gonçalves (Skoda Fábia R5) fazem a terceira melhor marca do troço, estão agora na quarta posição da geral.

Miguel Barbosa e Miguel Ramalho (Skoda Fábia R5) fazem o quarto tempo, parecem mais  adaptados ao carro e à realidade dos ralis. Recorde-se que Barbosa faz aqui a estreia neste tipo de provas depois de passar pelo todo-o-terreno e pela velocidade.

Carlos Martins e Daniel Amaral (Citroen DS3 R5) entram nos cinco primeiros.

Nas duas rodas motrizes mantém-se a luta luso-espanhola dos Peugeot 208 R2. Pepe Lopez e Rodrigo Sanjuan têm agora uma vantagem de quatro segundos e 90, sobre Diogo Gago e Hugo Magalhães.

Manuel Inácio e Fábio Vasquez (Subaru Impreza) continuam na frente da Produção, com uma margem confortável de 3m 38,20s sobre José Barbos e Ricardo Barbosa (Mitsubishi Lancer EVO X).

Lameirinha 1 – desistências na frente

Reviravolta na cabeça da prova. Ricardo Moura e António Costa ficam pelo caminho, devido a um problema na transmissão do Ford Fiesta R5, na sequência de um furo.

Miguel Campos e Carlos Magalhães (Skoda Fábia R5) ficam agora na liderança, mas José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroen DS3) estão a um 1,70s, depois de assinarem o melhor tempo na classificativa, com 10m 26,60 segundos.

Paulo Meireles e Marcos Gonçalves (Skoda Fabia R5) assinam o quarto tempo na classificativa e detêm igual posição na geral.

Carlos Martins e Daniel Amaral (Citroen DS3) sobem para a quinta posição, que até aí era posse de Fernando Peres e José Pedro silva (Ford Fiesta R5). A equipa da Peres Competições perdeu cinco minutos e 37 segundos, na sequência de um toque que lhe danificou a direcção do Fiesta.

Montim 1 – duas décimas entre Campos e Fontes

Miguel Campos e Carlos Magalhães (Skoda Fabia R5) voltam a assinar o melhor tempo, desta vez a réplica vem de José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroen DS3), ficam a duas décimas dos líderes e são terceiros à geral.

No somatório dos tempos Ricardo Moura e António Costa (Ford Fiesta R5) lideram, a vantagem sobre Campos e Magalhães é agora um segundo e meio.

Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fábia R5) mantêm a quarta posição à frente de Fernando Peres e José Pedro Silva (Ford Fiesta R5).

Carlos Vieira e Jorge Carvalho terminam aqui a prova, após o capotanço do Citroen DS3 R5.

Luílhas 1 - 2,40 segundos separam os dois primeiros.

Miguel Campos e Carlos Magalhães (Skoda Fabia R5) começaram bem e assinaram o melhor tempo em Luílhas 1, com 10m 15,40s. Dessa forma, aproximam-se mais da liderança à geral, são segundos e de uma assentada ganharam 11,40s a Ricardo Moura e António Costa (Ford Fiesta R5), que se quedaram pela quinta melhor marca na classificativa, mas mantêm a primeira posição da classificação geral.

Pedro Meireles e Mário Castro (Skoda Fabia R5) fazem o segundo melhor tempo, com mais duas décimas de segundo do que Campos e assim ganham 4,40s aos seus principais adversários, José Pedro Fontes e Inês Ponte (Citroen DS3).

Fernando Peres e José Pedro Silva (Ford Fiesta R5) fecham o grupo dos cinco mais, quer na classificativa, quer na geral.

Na Produção Manuel Inácio e Fábio Vasquez são os mais rápidos e dessa forma passam para a 14ª posição da geral, com uma vantagem de 10 segundos sobre Vítor Ribeiro e Valter Cardoso (Mitsubishi Lancer EVO IX), os principais adversários nesta luta.

Nas duas rodas motrizes o domínio continua a ser espanhol e a luta continua bem acesa. Pepe Lopez e Rodrigo Sanjuan (Peugeot 208 R2) são os mais rápidos, ganham mais 4,70s a Diogo Gago e Hugo Magalhães (Peugeot 208 R2). A diferença entre ambos é agora de 16,90 segundos.

Carlos Vieira e Jorge Carvalho (Citroen DS3 R5) desistem na sequência de uma saída de estrada, sem consequências para a equipa.

Taça FPAK Ralis de Terra

José Merceano e Francisco Pereira (Mitsubishi EVO VIII) mantêm a posição conseguida na Lameirinha 1 com 1:00:46.50 com apenas meio minuto de diferença do Mitsubishi EVO VII de Luis Mota e Alexandre Ramos.

Eugénio Madureira e António Duarte (Mitsubishi Carisma GT) trocam de posição com Manuel Pereira e Adriano Pereira e assumem a terceira posição na segunda passage em Luinhas.

O quinto lugar é garantido por Helder Miranda e Rui Teixeira ao volante de um Seat Ibiza com 1:04:34.50, 24 segundos mais lento do que a equipa Manuel Pereira.

João Barros desiste no final da primeira etapa

João Barros e Jorge Henriques (Ford Fiesta R5) desistiram com problemas de caixa no Parque de Assistência no final da 1ª Etapa em Fafe. Recordamos que João Barros tinha terminado ontem a 2ª Classificativa com o tempo de 15m 35,30s que o colocava na 6ª posição no final da etapa.