Francisco Mora entre os melhores em Zolder

O primeiro contacto de Francisco Mora com o Campeonato TCR do Benelux encerrou com uma ida ao pódium.

“O meu primeiro contacto com o circuito aconteceu na quinta-feira. Não conhecia Zolder e preocupei-me fundamentalmente em aprender e adaptar-me ao circuito, sempre com o objectivo de ser rápido.” Começou por recordar o piloto da Maia.

“Arranquei bem na primeira corrida e rapidamente estava no grupo da frente.” Francisco Mora partiu de nono e nas primeiras cinco voltas ganhou quatro posições, depois de duas ultrapassagens “de antologia” a Amaury Richard e a Lémeret, que viria a terminar na quarta posição.

No entanto a quinta volta seria madrasta para as aspirações nacionais: “senti a traseira a soltar-se de repente, não sei se fui tocado, e não consegui evitar o pião.” Recorda o piloto nortenho que assim caiu para nono.

A segunda corrida foi uma prova totalmente de garra, em que Francisco Mora esteve em modo “full attack”.

“O meu objectivo era tentar ganhar o maior número de posições logo no início. Fiz uma boa partida e logo na primeira volta ganhei duas posições e consegui subir para terceiro.” Começa por recordar Francisco Mora.

A prova teve um ritmo duríssimo, com Mora a ser sempre uma sombra do segundo, mas a ter que se defender dos ataques dos quartos classificados. “Só mesmo na segunda metade da corrida é que o pelotão partiu, o que me permitiu fazer o resto sem ter que me preocupar em olhar pelo retrovisor. Tentei sempre chegar a segundo, mas já não foi possível.”

“Acho que fizemos duas provas excepcionais, num campeonato super-competitivo como este (Benelux n.d.r.). Foi pena o pião na primeira corrida, que nos impediu de ir duas vezes ao pódium, mas acho que o mais importante foi ter-me divertido e ter conseguido evoluir como piloto.” Rematou Francisco Mora.

IMG 0980 Francisco Mora (Arquivo)