40º Ralicross de Sever do Vouga - Sábado

A pista do Alto do Rocário, em Talhadas, Sever do Vouga, acolhe a terceira prova do Campeonato Nacional de Ralicross, Kartcross e Super Buggy.

Entre as novidades desta prova, saúde-se o aparecimento da Super Nacional A 1.6, como categoria autónoma. Até à segunda prova deste ano, esta categoria integrava a Super 1600, mas com a recente adesão de pilotos à Nacional A, foi decidido que correriam à parte e, pelas opiniões recolhidas no paddock, esta medida foi saudada pelos pilotos.

João Fernando Ramos, pivot da RTP e apaixonado de desportos motorizados, faz aqui o baptismo no kartcross, aos comandos de um AG Sport do Team Seraical.

JFR sabado jfr sábado1 João Fernando Ramos (AG Sport)

Kartcross

José Luís Pereira (AG Sport) começou bem, foi o mais rápido dos treinos cronometrados. Levou a melhor sobre José Mota(Semog Bravo) , pela magra margem de 39 centésimas e 668 milésimas sobre Nuno Bastos ASK Evo16).

Mário Rato (Semog) terminou o primeiro dia com uma vitória. Bateu José Luís Pereira (AG Sport) por 1,7 segundos. Nuno Bastos (ASK EVO 16) foi terceiro e assim bateu o Campeão Nacional em Título, Pedro Rosário (Semog Bravo ER). José Mota (Semog Bravo) foi quinto, à frente do outro homem da TransWhite, Luís Almeida (Semog Bravo)

kartcross toque2.rato sever Mário Rato (Semog)

Super Buggy

Ludgero Santos (Toniauto TT) assinou o melhor tempo na primeira sessão de treinos cronometrados, com o tempo de 37,179s. Rafael Teixeira Toniauto TT)ficou o segundo tempo do dia, depois de na segunda sessão se ter afirmado como o mais rápido e Ludgero não ter alinhado depois de ter tido problemas de motor: o Oito em Linha partiu.

António Estêvão arrecadou o terceiro tempo.

Na corrida Ludgero Santos fez como nos habituou: venceu. Rafael Teixeira terminou no segundo posto a 2,8 segundos do Campeão em título. Nelson Barata foi terceiro, à frente de Paulo Godinho ((PG Racing) e António Estêvão (GRT MXG).

IMG 0127 Ludgero Santos (Toniauto TT)

Super Iniciação

Pedro Domingos (Toyota Starlet) foi o mais rápido na sessão de treinos cronometrados, batendo Rodrigo Correia (Peugeot 205) e João Novo (Peugeot 106), respectivamente por 235 e 256 milésimas.

João Novo (Peugeot 106) ganhou a primeira corrida de qualificação. Feitas as contas dos tempos das duas mangas de qualificação, foi Rafael Rocha (Peugeot 106), que foi o vencedor da segunda manga, quem ficou com o segundo posto. Rodrigo Correia (Peugeot 205) terminou o dia em terceiro, à frente Francisco Silva (Citroen Saxo), Pedro Domingos (Toyota Starlet) e de Andreia Sousa (Toyota Starlet).

novo sabado sever João Novo (Peugeot 106)

Super Nacional 2RM

Um segundo separava os sete mais rápidos nos treinos cronometrados, que foram dominados por Nuno Magalhães (Ford Escort). A Luís Moreira (BMW E30), faltaram duas décimas e foi segundo à frente de Fábio Silva (Peugeot 106).

Quatro mangas de qualificação para definir a classificação da primeira corrida… e que mangas, sempre disputadas desde a partida, até ao baixar da bandeira xadrez.

Celmo Guicho (Renault Clio) fechou as contas do dia com o primeiro posto. Luís Moreira (BMW E30) era o segundo na classificação provisória, mas receberia uma penalização de 20 segundos, que deixava o caminho aberto para Fábio Silva (Peugeot 106) passasse para segundo.

Por detrás da penalização de Luís Moreira esteve um toque em Santinho Mendes (Opel Astra). Discutia-se a vitória da segunda manga, Santinho estava na frente e a corrida era discutida à milésima. O BMW terá tocado no Opel, que saiu de traseira para a barreira.

Hugo Santos (Honda CIvic Type R) passou a ser terceiro, à frente de Daniel Sousa (Peugeot 106) e Ricardo Mendonça (Peugeot 306).

Andreia Oliveira (Toyota Starlet) foi a senhora melhor classificada..

Américo Sousa protagonizou um acidente bizarro. Após cortar a meta e já após a curva dois bateu forte e deixou o Peugeot 106 bastante mal tratado.

guicho sever sabado Celmo Guicho (Renault Clio) moreirasantinhoLuis Moreira (BMW) Santinho Mendes (Opel)

Super Nacional A 1.6

Pedro Tiago (Peugeot 106 GTI) afirmou-se como o mais rápido nos treinos cronometrados. Trazia Luís Morais (Peugeot 106 GTI) como principal adversário e na corrida Morais provou que estava lá para andar na frente. Daniel Leal (Citroen Saxo), o piloto que num gesto de desportivismo prescindiu dos pontos conquistados nas duas primeiras provas do ano e dessa forma viabilizou esta competição, foi segundo à frente de Pedro Tiago e Sérgio Dias (Citroen Saxo).

Super 1600

João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) foi o mais rápido numa sessão de treinos em que todos os nove concorrentes ficaram separados por seis décimas de segundo. Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600), foi o segundo mais rápido, à frente de André Sousa (Peugeot 207).

Nas contas das duas corridas de qualificação, Mário Teixeira (Ford Fiesta) acabou na frente, depois de vencer uma prova que parecia dominada por João Ribeiro (Citroen Saxo S1600), no entanto passou duas vezes pela Joker Lap, devido a uma falsa partida.

Rui Sirgado (Citroen DS3 S1600) pressionou, mas faltaram-lhe duas décimas e fechou as contas em segundo, mas com Joaquim Machado (Peugeot 2016 S1600) completamente colado à traseira. Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) foi quarto, à frente de João Ribeiro e José Rodrigues (Peugeot 206 S1600).

Super Car e Super Nacional 4WD

Joaquim Santos (Ford Focus) foi o ais rápido nos treinos cronometrados, bateu Pedro Matos (Citroen DS3), por oito décimas. Ana Matos (mitsubishi Lancer Evo VI) foi a terceira mais rápida e assim levou a melhor na Super Nacional, sobre Daniel Costa (Peugeot 106 Bimotor).

Na corrida as coisas passaram-se de modo idêntico, mas desengane-se quem pense que “foram favas contadas” para Joaquim Santos e para Ana Matos. Houve pressão durante toda a corrida e apenas um resultado estava garantido à partida: era o resultado da melhor senhora.

santos sever partidaJoaquim Santos (Ford Focus)