Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.

Ralicross de Mação – Domingo

Mais uma prova emotiva e com espectáculo, num dia de Sol e temperatura amena. Em poucas palavras resume-se assim a segunda jornada do Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, o PTRX, que teve lugar em Mação.

Na Super Iniciação - Troféu Ernesto Gonçalves, Rafael Rocha (Peugeot 106) ganhou depois de qualificações disputadas e um “volte-face” para a final. Santinho Mendes (Opel Astra) dominou durante o fim-de-semana e na final da Super Nacional 2RM não foi diferente. Pedro Tiago (Citroen Saxo) ganhou na Super Nacional A1.6. João Ribeiro fez uma prova de trás para a frente, e que o azar lhe bateu à porta nas qualificações desapereceu na final da Super 1600. Pedro Matos e Ademar Pereira dividiram as vitórias respectivamente nos Super Car e na Super Nacional 4WD. António Santos (Toniauto TT) ganhou no Super Buggy. Por fim, nos Kartcross, Jorge Gonzaga (ASK EVO) ganhou depois de uma final plena de emoção, com um volte-face, antes do baixar da bandeirada xadrês.

macao podium inicia O pódium da Inciação macao podium s1600 O pódium da Super 1600, comemorado com espumante Lousavinhos

Iniciação

Rafael Rocha (Peugeot 106) ganhou depois de qualificações disputadas e um “volte-face” para a final.

João Novo (Peugeot 106) ganhou a pole-position. Venceu três corridas, Rafael Rocha foi segundo e Rodrigo Correia (Peugeot 205) ficou com o terceiro posto, depois de uma quarta qualificação, com sabor a final, só decidida no fim, em Novo partiu uma transmissão e Correia ganhou.

O Peugeot de João Novo não ficou pronto a tempo das finais e havia uma “falta” na grelha. Rafael Rocha aproveitou bem o facto de estar a partir sem ninguém à esquerda e colocou-se na liderança, mas Rodrigo Correia (Peugeot 205) ia atrás do prejuízo. João Barroso (Fiat Uno), certamente fruto da inexperiência falhou a partida e mas correu para ser terceiro. Fez pódium na estreia em competição.

macao iniciacao dom Rafael Rocha (Peugeot 106)

Super Nacional 2RM

Santinho Mendes (Opel Astra) dominou durante o fim-de-semana e na final não foi diferente.

Pole-position para Santinho Mendes depois de vencer as quatro qualificações. Paulo Reis, com um quarto e dois segundos ficou com a outra posição da linha da frente.

Paulo Reis ficou de fora da final. Partiu o motor após a qualificação quatro. Santinho arrancou na frente e deixou os outros a discutirem o segundo posto… E que discussão!

Adão Pinto (Opel Astra), Fernando Silva (Seat Ibiza) e Arlindo Martins (Peugeot 306) lutaram pelo segundo posto durante as sete voltas da final. Todos passaram por esse lugar, mas só à sétima volta ficou decidido.

Santinho acelerou como um “diabinho” para a vitória, Adão Pinto foi um segundo suado e Fernando Silva e Arlindo Martins, não queriam, mas tiveram que se conformar com as posições seguintes. Mais uma boa corrida!

 macao santinho domingo Santinho Mendes (Opel Astra)

Super Nacional A1.6

Pedro Tiago (Citroen Saxo) ganhou.

Duas vitórias e um segundo posto na qualificação deram o primeiro lugar da grelha a Pedro Tiago (Citroen Saxo). Luís Morais (Peugeot 106) partia ao lado, depois de ter tido um desempenho semelhante, mas em que o sistema de desempate, melhor tempo dos treinos, dava a “pole” a Tiago.

Pedro Tiago Arrancou na frente, mas Luís Morais rodava perto. Para resolver a corrida foram fundamentais as idas à “joker-lap”, para o bem e para o mal. Para o bem para Tiago, que conseguiu gerir bem e ganhar vantagem. Para o mal, para Daniel Sousa (Peugeot 106), que bateu na entrada da Joker Lap.

Nesta final, Leandro Macedo “levou falta”, pois partiu o motor do Citroen Saxo na partida da qualificação quatro.

Pedro Tiago e Luís Morais ocupavam os dois primeiros postos, Jorge Costela era o terceiro, uma especie de prémio de consolação, depois do azar de ontem (sábado) quando o capô abria e ficava com o para-brisas partido.

Leonel Sampaio (Citroen Saxo) foi o quarto classificado.

macao ptiago Pedro Tiago (Citroen Saxo)

Super 1600

Que grande final, esta que foi vencida por João Ribeiro, que fez uma prova de trás para a frente, e que o azar lhe bateu à porta nas qualificações.

Dizer que José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600) venceu três corridas de qualificação é redutor para a forma como esta fase foi disputada. O certo é que três vitórias suadas deram a “pole” a Rodrigues. Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600) vai partir da segunda posição.

Semáforo vermelho apagado e José Eduardo Rodrigues arrancava na frente. Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600) e Ricardo Soares (Citroen Saxo S1600) estavam na luta, enquanto João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) furava desde a segunda linha.

A corrida foi emocionante e só se decidiu ao baixar da bandeira. Para António Sousa não era bem assim, pois o motor do Citroen DS3 S1600 partia e a prova acabava muito cedo. Nem uma volta completou.

Nuno Araújo (Citroen C2 S1600), depois de um toque que o fazia embater na barreira, desistia com a direcção partida. Logo de seguida Bruno Gonçalves parava no final da recta da meta com problemas de motor e na volta seguinte era a vez de Ricardo Soares seguir o mesmo caminho e também aqui era a mecânica do Citroen Saxo a dar problemas.

Na frente as coisas estavam ao rubro, mas acabariam por se decidir a favor de João Ribeiro, depois de levar a melhor sobre José Eduardo Rodrigues. Joaquim Machado foi o terceiro classificado, com uma posição “tirada a ferros” depois de várias lutas. Eduardo Queirós foi o quarto classificado.

macao s1600 dom João Ribeiro (Citroen Saxo S1600), à esquerda José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600)

Super Car e Super Nacional 4WD

Pedro Matos (Citroen DS3) venceu as quatro corridas de qualificação e assim ficou a pole-position para a final, que venceu.

Pedro Matos arrancou bem, na frente, e José Lameiro (Seat Leon) seguiu como uma seta no encalço do líder. Ademar Pereira (Subaru Impreza WRX STi) era terceiro e melhor da Super Nacional 4WD.

A prova decorreu sem sobressaltos, com grandes atravessadelas como o público gosta e Matos seguiu para a vitória.

macao scar dom Pedro Matos (Citroen DS3), José Lameiro (Seat Leon), Ademar Pereira (Subaru Impreza)

Super Buggy

Pole-position para António Santos (Toniauto TT). Venceu duas vezes e foi segundo uma, nas qualificações. A primeira linha da grelha ficava completa com Paulo Godinho (Super Buggy PG), que foi outro piloto a vencer nas qualificações.

António Santos arrancou na frente e foi ganhando vantagem, sobre Paulo Godinho, que no início era pressionado pelo seu filho Rui Godinho (Atmos Strong). Depois o pai escapava ao filho e ainda tentava recuperar algum tempo a Santos.

Nelson Barata (Toniauto Power nb) era pressionado por António Estêvão (Can Am Bombardier), que por sua vez trazia Arménio Rodrigues praticamente colado à traseira.

António Santos vencia, seguido por Paulo Godinho, Nelson Barata, António Estêvão, Arménio Rodrigues e Rui Godinho “morria na praia” com problemas mecânicos no Atmos Strong.

macao superbuggy dom António Santos (Toniauto TT)

Kartcross

Jorge Gonzaga (ASK EVO) ganhou depois de uma final plena de emoção, com um volte-face, antes do baixar da bandeirada xadrês.

Uma qualificação discutida desde o início da primeira corrida, até ao fim da terceira, deu duas vitórias a Jorge Gonzaga e dessa forma a pole position para a final. Pedro Rosário, foi o outro piloto que venceu na qualificação, ficou com o segundo lugar da grelha e a final prometia…

Partida e Nuno Bastos arrancava muito bem, mas logo na curva um via-se envolvido numa carambola, que o deixava fora de prova. Na mesma confusão ficavam envolvidos José Luís Pereira (AG Sport) e Nelson Rocha (Semog Bravo). A corrida parava.

Nova partida e desta vez era Pedro Rosário quem partia melhor do que todos e colocava-se na frente. Jorge Gonzaga era mais lento na partida e perdia três posições de uma assentada. Depois partia em perseguição de José Carlos Pinheiro (Semog) e de Luís Almeida (Semog).

Ainda na volta inicial nova carambola e desta feita era a vez da má sorte bater à porta de Mário Rato (Semog Revolution SR). Pedro Palma (Semog Bravo) e Pedro Rabaço (HSport) estavam também envolvidos na “confusão”.

Pedro Rosário estava na frente da corrida, mas esta ainda não estava ganha. Longe disso. Problemas mecânicos ditavam a desistência, à quinta volta.

Jorge Gonzaga aproveitava-se disso e depois de uma corrida plena de garra, venceu. Terminou à frente de Luís Almeida e José Carlos Pinheiro. Alexandre Borges (Semog Bravo) e Nelson Rocha, que ainda conseguia regressar à prova depois da molhada inicial, encerravam o grupo dos cinco da frente.

Daniela Godinho (Semog) completou o “top” seis e simultaneamente foi a senhora melhor classificada

macao kartcross dom Jorge Gonzaga (ASK EVO18) macao daniela dom Daniela Godinho (Semog)

.

Ralicross de Mação – Sábado

logo ptrx preto

Sol e calor fizeram parte do programa das corridas, da segunda jornada do Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, PTRX, que se está a disputar na Vila de Mação.

Hoje, Sábado, foi tempo de sessões de treinos e das primeiras corridas de qualificação, estando as segundas e terceiras corridas e as finais agendadas para amanhã, domingo.

Kartcross

Jorge Gonzaga (ASK EVO18) foi o mais rápido na primeira corrida de qualificação, tendo vencido a respectiva serie.

Pedro Rosário (Semog Bravo ER) ganhou a outra serie, mas neste caso a vitória foi arrancada a ferros, com Nuno Bastos (ASK EVO) a rodar colado, no entanto, uma penalização colocava-o no quinto posto.

José Luís Pereira (AG Sport) ficava com o terceiro lugar, à frente de José Carlos Pinheiro (Semog), de Nuno Bastos e Mário Rato (Semog Revolution SR).

macao joca sab Jorge Gonzaga (ASK EVO 18) macao rosario sab Pedro Rosário (Semog Bravo ER)

Super Buggy

António Santos (Toniauto TT) impôs-se na primeira corrida de qualificação, bateu Rui Godinho (Atmos Storm) por três segundos e meio. Paulo Godinho (Super Buggy PG) é que não estava com nehuma vontade de ficar atrás do filho (Rui) e esta luta e pai contra filho, foi o ponto quente da corrida, a diferença entre ambos foi de uma décima de segundo.

Nelson Barata (Toniauto Power nb)comandou o segundo grupo, se bem que tinha António Estêvão (Can Am Bombardier), completamente colado, a menos de meio segundo. Arménio Rodrigues (GRT MXG), encerrou o grupo da meia dúzia de frente.

macao santosTT sab António Santos (Toniauto TT)

Super Iniciação – Troféu Ernesto Gonçalves

João Novo (Peugeot 106) dominou as duas corridas de sábado, que ganhou. A oposição veio de Rafael Rocha (Peugeot 106), que foi sempre seguido por Rodrigo Correia.

Não fora a estreia de João Barroso (Fiat Uno) e quase se poderia dizer que estávamos perante as mesmas corridas de Lousada. João Barroso, alinha com um carro menos potente, um 1.000c.c., contra os 1.400c.c dos restantes. Além disso está mais empenhado em aprender e adaptar-se, do que em meter-se em confusões.

macao novo sab João Novo (Peugeot 106)

Super Nacional 2RM

Santinho Mendes (Opel Astra) está praticamente a correr em casa. De Abrantes a Mação é meia hora de carro (sem exceder limites) e por isso foi perante o “seu” público que Santinho ganhou as duas corridas.

O segundo posto foi muito discutido. Paulo Reis (Peugeot 306) e Arlindo Martins (Peugeot 306) revezaram-se no segundo posto, numa espécie troca e baldroca, em que um era segundo e o outro terceiro e na corrida seguinte trocavam. Ambos ficaram com cinco pontos, reis foi segundo por desempate.

Adão Pinto (Opel Astra) era sempre quarto, à frente de Fernando Silva (Seat Ibiza TDI) e de Nuno Pereira (Opel Kadet).

macao santinho domingo Santinho Mendes (Opel Astra)

Super Nacional A1.6

Luís Morais (Peugeot 106 Gti) e Pedro Tiago (Citroen Saxo) venceram uma vez cada um e foram segundos outra vez cada um. Luta acesa, empatados em pontos nas contas das duas corridas, mas o desempate foi favorável a Morais.

O terceiro posto foi igualmente disputado. Leandro Macedo (Citroen Saxo Cup)fez quarto na primeira corrida e na seguinte fez o terceiro lugar que lhe deu igual resultado no cômputo das duas corridas de Sábado à tarde.

Daniel Sousa (Peugeot 106) bateu o pé a Macedo na corrida um, mas de seguida foi quinto isso deu-lho o quarto posto do dia.

Jorge Costela é que não começou nada bem o dia. Ao deslocar-se das verificações técnicas, no centro da Mação, para a pista, viu o capô do Citroen Saxo abrir-se e partir-lhe o parabrizas. Nas corridas ficou com o quinto posto, à frente de Leonel Sampaio (Citroen Saxo).

macao morais sab Luís Morais (Peugeot 106)

Super 1600

José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600) fechou as contas do dia na frente da classificação. Venceu a segunda corrida, tinha sido segundo na anterior e isso deu-lhe a liderança para as provas de amanhã.

Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600) começou com um terceiro posto, a seguir foi segundo e os cinco pontos deram-lhe a vice-liderança após as corridas de hoje.

Ricardo Soares depois de ser quarto nas duas vezes, ficou com mais baixo do pódium provisório.

João Ribeiro começou com o pé direito. Ganhou logo a primeira corrida, mas saiu mal da segunda, com problemas de motor no Citroen Saxo S1600, que nem sequer chegou a ver a bandeirada xadrez, foi quinto.

António Sousa (Citroen C2 S1600) fechou as contas com o sexto posto.

macao jerodrigues sab José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600)

Super Car e Super Nacional 4WD

Pedro Matos (Citroen DS3) dominou nas duas corridas e por isso foi primeiro classificado após as corridas de hoje.

José Lameiro falhou o arranque na primeira corrida, perdeu muito tempo e dessa forma cortou a meta em terceiro. Na corrida seguinte teve que correr atrás do prejuízo para conseguir o segundo posto.

Ademar Pereira (Subaru Impresa) fechou as contas com o terceiro posto e é também o melhor da Super Nacional 4WD.

macao matos sab Pedro Matos (Citroen DS3)

Ralicross de Mação é já em 5 e 6 de Maio

logo ptrx preto

Meia centena de pilotos na segunda prova do PTRX 2018.

O Clube Automóvel de Mação organiza a segunda prova da época, num traçado que agora aparece com novidades para responder aos novos regulamentos, a maiores necessidades de segurança e, fundamentalmente, para mais corridas e mais espectaculares, ao longo de um fim-de-semana que se espera “quente”.

Vamos às novidades, em termos de inscritos, que são quase meia centena:

Na Super Inciação – Troféu Ernesto Gonçalves, Nuno Barroso junta-se ao grupo dos “jovens talentos”, ao volante de um Fiat Uno.

Não são exactamente estreias, pois já os vimos noutras provas, mas na Super Nacional A 1.6 Jorge Costela, num Citroen Saxo, decidiu regressar após a estreia na Taça em 2017 e ter corrido em Lousada, na primeira prova deste ano. Nos Super Buggy António Estêvão vai alinhar com um Can Am Bombardier, um veículo que pela sua diferença é sempre bonito de ver. Sem saír dos Super Buggy, Rui Godinho regressa depois de ter tido uma participação na Taça, em 2016. 

Nos kartcross, onde mais uma vez se reúne o maior número de inscritos, com 15, a principal novidade passa pela estreia absoluta de um chassis em competição entre nós. Mário Rato vai estrear um Semog Revolution SR, a “arma de nova geração” da conceituada marca nacional de chassis.

O traçado da Boavista teve alterações durante o “defeso” e uma das mais notórias foi o alargamento da recta da Meta, o que vai permitir serem realizadas partidas com cinco em linha, no Ralicross.

A animação vai arrancar já no Sábado, com os treinos livres e as duas primeiras corridas de qualificação. Domingo vai ser dia de “warm-up”, terceiras e quartas corridas de qualificação e as finais, para encerrar um programa que promete calor na pista e não só.

macao kartcross Mação 2017 (arquivo)

 

Portugueses no WRX de Montalegre II

Num dia perfeitamente invernoso, em que até o sol brilhou por entre a chuva e a neve, foi disputada a segunda jornada do Campeonato do Mundo de Ralicross, em Montalegre. Pena foi, que nem um único raio de Sol brilhasse para a delegação Portuguesa, que depois de várioas azares nas corridas de qualficação de Sábado, não conseguiu um lugar em nenhuma das finais disputadas.

Os Kartcross marcaram presença, como corrida de apoio e também aqui faltou um bocadinho de sorte (da boa) para os nacionais, e Pedro Rosário ficou a duas décimas de vencer, atrás do Espanhol Javier Lucena.

Supercar

wrx barbosa Mário Barbosa (Citroen DS3 Supercar) - Foto de OMS Rally Fotos wrx santos Joaquim Santos (Ford Focus Supercar) - Foto de IMS Rally Fotos

Qualificação 3

Mário Barbosa, com os problemas resolvidos no motor do Citroen DS3, ganhou a manga. Joaquim Santos, que também conseguiu solucionar o problema de sobrealimentação do motor do Ford Focus, falhou a travagem para a curva um e perdeu segundos preciosos após a partida e terminava em terceiro.

Qualificação 4

Joaquim Santos deu um toque, na entrada da recta da meta, à segunda volta e já não passaria da curva um, onde o Ford Focus se imobilizava com a direcção aberta.

Mário Barbosa falhou o arranque, ainda “correu atrás do prejuízo” mas os segundos perdidos na partida comprometeram-lhe definitivamente os planos.

Após a quarta qualificação as contas eram madrastas para as cores de Portugal e ambos ficavam fora das finais.

Super 1600

wrx mteixeira dom Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) - OMS Rally Fotos

Qualificação 3

Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) venceu a série, mas sempre com grande pressão de M. Snoeijers (Renalt Megane).

Hélder Ribeiro esteve em óptimo plano, sempre muito rápido na terra, mas na parte de asfalto da pista, o Citroen C2 S1600, estava claramente mais lento que os adversários. Terminou a serie em quinto.

Qualificação 4

Os pilotos nacionais encontraram-se na mesma serie e Mario Teixeira (Ford Fiesta S1600) era quem ficava a lutar pelos lugares da frente.

Hélder ribeiro baixava para último à entrada da curva dois, após uma “meiguice” de um adversário que o atirava para fora da pista. Ainda regressava, mas já tinha perdido demasiado tempo na terra.

Mário Teixeira estava na luta, andava em terceiro e esperava-se para ver como se iam resolver as coisas após todos terem ido pelo caminho mais longo da Joker Lap e aí baixava definitivamente para quarto.

Também aqui terminavam as aspirações portuguesas de se ter um lugar na final.

Kartcross

KartCrossmontalegre2018DOM 3a Javier Lucena (Semog) - Foto de Despfoto

Javier Lucena, veio de Espanha, num kartcross português, um Semog, vencer em Montalegre, depois de uma final completamente imprópria para cardíacos.

Pedro Rosário (Semog Bravo ER) começou bem e terminou na frente a fase de qualificação.

Javier Lucena escapou por entre a chuva e com alguns azares, dos outros, à mistura, conseguiu ganhar o segundo lugar da grelha.

Um dos azares foi de Jorge Gonzaga (ASK EVO), que na segunda qualificação, antes do arranque o kartcross deu um salto e foi considerado como falsa partida, depois não viu a indicação de obrigatoriedade de fazer a segunda joker lap de penalização e foi desclassificado. O vencedor da prova inaugural do Campeonato receberia o oitavo lugar da grelha de partida para a final.

Na final o Campeão Nacional em título, Pedro Rosário devia arrancar na frente, mas uma exitação na partida fazia-o perder a cabeça da prova. Ora, Javier Lucena aproveitava a aberta a passava para a frente. A partir daí era o momento de Pedro Rosário, que dava o tudo-por-tudo, mas não chegava. Ao baixar da bandeira xadrez, faltavam-lhe duas décimas de segundo para ganhar ao piloto Espanhol.

Jorge Gonzaga fez uma corrida de trás para frente. Partiu “lá de trás” da oitava posição, viu-se "embrulhado" numa confusão, mas depois, paulatinamente foi ganhando lugares que o levavam até ao terceiro posto da classificação final. Esteve bem, principalmente porque a concorrência era dura e Nuno Bastos (ASK EVO) “vendeu cara a pele”, deu luta até ao fim e mais uma vez um lugar do pódium ficou definido por duas décimas.

Tiago Freitas (H Sport) e João Pires (Semog) completaram o grupo dos seis da frente.

Portugueses no WRX de Montalegre

Em Montalegre decorre a segunda jornada do Campeonato do Mundo de Ralicross, que até ver não tem sido benéfica para as cores nacionais, no que à Super 1600 e à Supercar diz respeito.

Kartcross

Os kartcross alinharam como corrida de apoio e Pedro Rosário (Semog Bravo ER) explicou a todos porque é o Campeão em título e venceu a primeira corrida de qualificação à frente, justamente, do vice-campeão, José Luís Pereira (AG Sport).

Vindo de Espanha veio o terceiro classificado, Javier Lucena, mas aos comandos de um kartcross português, nada mais do que um Semog.

Alexandre Borges e Borja Gonzalez, ambos em Semog Bravo, completaram o grupo dos cinco da frente.

Super 1600

Esta tarde foram já disputadas duas corridas de qualificação, que não foram meigas para as aspirações nacionais.

Hélder Ribeiro sofria um capotanço nos treinos, que deixava o Citroen C2 S1600 desalinhado e comprometia as corridas de qualificação.

Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) tinha um toque na primeira corrida, motivado pelo acelerador que ficava colado no final de recta da meta e por isso, batia e afectava o radiador, comprometendo a qualificação

Após as segundas corridas de qualificação, Hélder Ribeiro e Mário Teixeira não iam além da 23ª e 24ª posições, respectivamente.

wrx hribeiro Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) wrx mteixeira Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600)

Supercar

Problemas de motor afectaram as duas participações nacionais. A mecânica do Ford Focus não permitiu melhor do que o 16º lugar a Joaquim Santos. Um problema no intercooler, qu estava estalado, não permitia ao Focus dispor de toda a potencia.

Mas pior ainda esteve Mário Barbosa que não terminou a primeira e nem sequer pode alinhar na segunda corrida, devido a problemas no arrefecimento do motor do Citroen DS3. Barbosa terminou o primeiro dia em 18º.

2K6A9907 Mário Barbosa (Citroen DS3)

Amanhã, Domingo, disputam-se as terceira e quarta corridas de qualificação, que vão definir quem tem acesso à finais, que vão ser corridas à tarde.