Ralis e TT encontram-se com o Ralicross

Lousada vai receber no próximo Sábado a visita de quatro pilotos de Ralis e de Todo-o-terreno, que vão realizar um teste com kartcross e um carro de ralicross.

Armindo Araújo, João Ramos, Miguel Campos e Pedro Leal foram os pilotos que aceitaram o desafio lançado pela promoção do Campeonato, para experimentarem algumas das máquinas que disputam o Campeonato Nacional de Ralicross e Kartcross.

A AG Sport vai colocar três kartcross com motorizações diferentes, para que todos possam senti-los no traçado do Eurocircuito de Lousada. Joaquim Machado vai também colocar o Peugeot 206 S1600, com que disputou o Campeonato e a Taça.

A acção vai decorrer entre as 14,00 e as 17,00 horas, do próximo Sábado, dia 18 de Novembro.

lousada.kartcross IMG 4653 lousada machado

Ralicross de Montalegre II – Domingo

Montalegre recebeu a derradeira prova do Campeonato Nacional de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, prova que serviu para definir os dois campeões que ainda faltava serem encontrados. Joaquim Santos pôde comemorar o título ainda no Sábado, o seu principal adversário, Pedro Matos, não veio a Montalegre e o campeonato dos Super Car ficava virtualmente entregue. Na Super Nacional A 1.6 as contas eram mais complicadas, mas mesmo assim a Sérgio Dias bastou o terceiro posto da final para ser o virtual campeão que faltava. 

montalegre inicaçao toyo Super Iniciação IMG 5066 Pódium dos Super Car (da esquerda para a direita): Rogério Silva, Joaquim Santos e João Novo IMG 4887 Sérgio Dias - Super Nacional A 1.6

Finais 

Kartcross

Mauro Reis (HS Sport) foi mais lesto no arranque e no meio da confusão Luís Almeida (Semog Brevo ER) acabava por perder posições e a pole-position não lhe deu a vantagem que seria de esperar.

Pelo meio passavam Jorge Gonzaga (ASK R268) e José Mota (Semog Bravo) que vinha da terceira linha da grelha e já era terceiro da geral. Rapidíssimo na partida, o home da TransWhite.

Com a corrida a passar de meio Jorge Gonzaga assumia a liderança no final da recta da meta e deixava Mauro Reis a ter que se defender dos “ataques” que José Mota lhe ia lançando. Os homens do pódium estavam encontrados por esta ordem.

Tiago Freitas (HS Sport 600) chegava até ao quarto posto, com Sérgio Castro (ASK Evo) a cortar a meta a duas décimas(!).

José Luís Pereira (AG Sport) encerrou o grupo dos seis da frente.

IMG 2828 Jorge Gonzaga (ASK R268)

Super Car

Joaquim Santos (Ford Focus) dominou completamente a prova, tanto mais que João Novo, pai do João Novo que corre na iniciação, estaria muito mais empenhado em se adaptar ao Citroen DS3, do que em andar “a fundo”. O primeiro e o segundo estavam encontrados, resta apenas referir que Rogério Silva (Peugeot 206) foi terceiro.

motalegre jantos Joaquim Santos (Ford Focus)

Super 1600

A partida mais pareceu uma prova de eliminação. Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) foi tocado, saiu de pista e bateu no rail, logo à saída da curva um. Depois foi José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600), que teve um caminho semelhante e a bandeira vermelha era mostrada.

Retomada a prova, agora sem problemas, e João Ribeiro (Citroen Saxo) colocou-se na frente. A oposição era encabeçada por Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600), que trazia um grupo animado logo atrás.

Alliás, animação foi coisa que não faltou. Logo de seguida Mário Teixeira perdia duas posições de uma assentada e José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600) assumia o segundo posto.

Joaquim Machado (Peugeot 206 S1600) tudo fazia para se tentar “ver livre” de Nuno Araújo (Citroen C2 S1600). Depois de forte luta passava para terceiro, com o para-choques traseiro completamente “ao dependuro”.

Mário Teixeira terminava a prova em ritmo lento, pois a mecânica do Ford decidia não colaborar.

João Ribeiro, já virtual campeão desde Setembro, ganhava a prova.

montalegre s1600 Super 1600 IMG 4764 João Ribeiro (Citroen Saxo S1600), José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600)

Super Nacional A1.6

Sérgio Dias (Citroen Saxo) partiu da pole-position, defendeu na curva um e manteve-se na frente.

Daniel Leal (Citroen Saxo) vinha logo atrás, muito pressionado por Pedro Tiago (Peugeot 106), que certamente queria ganhar, pois isso permitir-lhe-ia ainda pensa r no Campeonato.

Sérgio dias foi à Joker Lap, deixou Leal na frente e controlava a corrida desde a terceira posição.

Luís Morais (Peugeot 106) era o quarto, mas trazia Vítor Sousa (Citroen Saxo) completamente colado.

Entretanto Daniel Leal cortava a meta e terminava a época, tal como tinha começado, com uma vitória. Pedro Tiago, via a bandeirada em segundo, mas não chegava para ganhar o campeonato, é que Sérgio Dias foi terceiro e é o virtual Campeão Nacional.

Andreia Olivieira (Toyota Starlet) foi ao pódium como melhor concorrente feminina.

IMG 4341 Daniel Leal (Citroen Saxo)

Super Nacional 2RM

Contrariamente ao que é costume a Super Nacional 2RM “deu” uma final morna, em que apenas três alinharam. Ricardo Mendonça levou o Peugeot 306, sem problemas à vitória, à frente de Daniel Sousa (Peugeot 106) e Rodrigo Campos, que com o Fiat Uno, conseguiu o mais baixo do pódium, sem que ainda escapasse a um tête, com a meta quase à vista.

Super Iniciação

Rafael Rocha (Peugeot 106) foi o mais rápido no arranque. Na curva um Pedro Domingos (Toyota Starlet) pressionava e pouco depois Gonçalo Macedo (WV Polo) colocava-se em terceiro.

Pelo caminho tinha já ficado João Carlos Novo, pois o Peugeot 106 recusou-se a partir. Depois era a vez da má sorte bater à porta do Toyota Starlet de Andreia Sousa e também ela ficava fora da corrida.

Na frente Pedro Domingos ganhava a muito custo a liderança. Uma ultrapassagem dramática, em que Domingos forçava e Rocha fechava, foi o “momento chave”.

Rafael Rocha terminava em segundo, com problemas na junta da colaça e Gonçalo Macedo completamente “colado”.

IMG 4585 Rafael Rocha (Peugeot 106) Pedro Domingos (Toyota Stralet)

Corridas de qualificação

Super Nacional 2RM

Ricardo Mendonça foi “o homem” da fase de qualificação. Impôs o Peugeot 306 e venceu as três corridas de qualificação.

Brilhante esteve Rodrigo Campos, que com o “pequeno” Fiat Uno, teve um desempenho tipo “David e Golias” e enquanto a concorrência tinha problemas, Campos foi paulatinamente subindo até ao segundo posto.

Daniel Sousa (Peugeot 106) até começou bem, com um segundo posto, mas a desistência na segunda corrida colocou-o em terceiro.

Paulo Reis (Renault Clio) e Pedro Magalhães (Ford Escort) completaram a classificação.

Super Nacional A 1.6

Com o título a jogar-se na derradeira prova, era de esperar forte luta pelas posições da frente e quem isso esperou não viu as expectativas defraudadas.  Cada corrida de qualificação teve um vencedor diferente, mas feitas as contas, foi Sérgio Dias (Citroen Saxo) quem levou a melhor, com a vitória na primeira corrida de qualificação e dois segundo lugares.

Daniel Leal (Citroen Saxo) com um primeiro, um segundo e um terceiro lugares intrometeu-se na luta do Campeonato e Sérgio Dias, certamente encantado, pois assim a concorrência ficou um pouco mais longe.

Pedro Tiago (Peugeot 106) venceu a derradeira corrida, mas foi terceiro nas contas, logo à frente de Luís Morais (Peugeot 106). Aliás, estes serão a oposição a Sérgio dias, que assim ganhou mais uns pontos de vantagem.

Américo Sousa (Citroen Saxo) foi quinto, à frente da melhor senhora, Andreia Sousa (Toyota Starlet) e Vítor Sousa (Citroen Saxo).

Super Car

Joaquim Santos (Ford Focus) terminou a qualificação na frente, depois de vencer as três corridas. João Novo, que se estreia com um Citroen DS3, foi segundo e Rogério Silva (Peugeot 206) terceiro.

Super 1600

Duas vitórias e um terceiro, dão ao virtual Campeão, João Ribeiro (Citroen Saxo S1600), os cinco pontos que lhe permitiram terminar a qualificação na frente.

Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) começou bem, a vencer, mas na última corrida, um toque motivou a penalização, que o atirou para o sétimo posto. Contas feitas foi segundo.

Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) lutou pelos lugares de frente, assinou o segundo posto na corrida de ontem, terceiro na segunda e dessa forma arrecadou o derradeiro lugar da primeira linha de partida.

José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600) não começou bem, com um oitavo lugar, mas dai para frente correu atrás do prejuízo e ainda chegou a segundo, na última corrida de qualificação. Esse resultado permitiu-lhe levar a melhor sobre Ricardo Soares (Citroen Saxo). Ficaram separados por, apenas, um ponto.

Super Iniciação

A Iniciação teve uma corrida repetida, depois de no Sábado ter havido problemas com o procedimento de partida e o semáforo. João Carlos Novo (Peugeot 106) foi segundo, mas as duas vitórias nas restantes corridas atribuíram-lhe a pole position para a final.

Pedro Domingos (Toyota Starlet) ganhou a primeira corrida, fez ainda um segundo e um terceiro e assim classificou-se em segundo, à frente de Rafael Rocha (Peugeot 106).

Gonçalo Macedo (WV Polo) fez aqui a estreia no Ralicross e terminou em quarto, à frente da senhora melhor classificada, Andreia Sousa (Toyota Starlet).

Kartcross

Luís Almeida (Semog Bravo ER) conseguiu uma pole-position para a final “arrancada a ferros” e ainda bem, pois mais uma vez tivemos kartcross no seu melhor.

Mauro Reis (HSport) encarnou a oposição, alternou nas vitórias das corridas com Almeida e ficou com o segundo posto.

Jorge Gonzaga foi outro dos homens da frente, venceu a derradeira corrida de qualificação, mas o oitavo posto de Sábado complicava-lhe as contas. Era terceiro.

José Luís Pereira (AG Sport) terminou a qualificação em quarto, à frente de Rui Nunes (Semog Bravo) e de José Mota (Semog Bravo) respectivamente.

Ralicross de Montalegre II - Sábado

Montalegre recebe a última prova do Campeonato Nacional de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, que serviu já para que o primeiro Campeão, entre os três que faltavam, tenha sido encontrado. É Joaquim Santos, que já pode festejar o título, numa categoria em que aconteceram duas estreias, a de João Carlos Novo com o Citroën DS3 WRX e a de Rogério Silva, com o Peugeot 206 WRX.

Rafael Rocha vence a primeira corrida na Iniciação

Foi com a Iniciação que começaram as corridas de qualificação, categoria onde falta encontrar os segundo e terceiro classificados.

Terminadas as cinco voltas, Rafael Rocha (Peugeot 106) foi o mais rápido, seguido de João Novo (Peugeot 106) e de Andreia Sousa (Toyota Starlet). O estreante Gonçalo Macedo (VW Polo) foi quarto, próximo do terceiro lugar. Lutas interessantes entre os dois primeiros, como foi igualmente interessante a luta entre Andreia Sousa e Gonçalo Macedo.

Rafael Rocha é um dos candidatos ao segundo lugar, juntamente com Pedro Domingos (Toyota Starlet), que só completou uma volta.

No final de todas as categorias, confirmou-se a hipótese de ser repetida a corrida, pois houve um problema com o semáforo, durante os procedimentos de partida.

Mendonça nos Super Nacional

A Super Nacional ficou marcada por várias ausências, tendo comparecido somente cinco pilotos. Como tal, houve somente uma série, na primeira corrida.

Foi interessante a luta pela vitória, que sorriu ao Peugeot 306 de Ricardo Mendonça. Muito próximo terminou Daniel Sousa (Peugeot 106), com o estreante Pedro Magalhães (Ford Escort RS 2000) no lugar seguinte. Completaram a corrida, Paulo Reis (Renault Clio), ainda próximo, e Rodrigo Campos, com um pequeno Fiat Uno, naturalmente longe dos primeiros.

Daniel Sousa é o principal candidato ao segundo lugar no Campeonato, posição que ainda não está entregue. Ricardo Mendonça, também sonha com essa posição.

Ribeiro ganhou a manga  nos Super 1600

Nos Super 1600, não houve faltas. Compareceram os nove inscritos e deram lutas excelentes pela vitória.

Duas séries, com a primeira a ser ganha por Mário Teixeira (Ford Fiesta) e a segunda a ser ganha por Hélder Ribeiro (Citroën C2).

Juntos os tempos das duas mangas, Hélder Ribeiro foi o mais rápido, seguido de Mário Teixeira. João Ribeiro, o já virtual Campeão, com o Citroën Saxo foi terceiro, com o Top 5 a ficar completo com Rui Sirgado (Citröen DS3) e Nuno Araújo (Citröen C2).

Bruno Gonçalves parou, por avaria mecânica a uma volta do final.

montalegre ribeiro Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600)

Sérgio Dias ganhou na Super Nacional A 1.6

A corrida seguinte, foi a Super Nacional A 1.6. São três os pilotos a lutarem pelo Campeonato. Sérgio Dias (Citroën Saxo) Luís Morais (Citroën Saxo) e Pedro Tiago (Peugeot 106)

Com sete participantes, houve duas séries em cada corrida.

Terminadas as duas séries, Sérgio Dias foi o mais rápido, seguido por Daniel Leal (Citroen Saxo) e Pedro Tiago. Luís Morais foi quarto, com Vítor Sousa (Citroën Saxo) no lugar seguinte.

Três nos Super Car, com Santos a vencer

Foram três os Super Car presentes, com as duas estreias já referidas. Ná prova da Taça, seguramente vamos ter mais.

A vitória foi de Joaquim Santos (Ford Focus), seguido por João Carlos Novo (Citroën DS3). Rogério Sousa foi terceiro, mas andou somente a rodar o Peugeot 206.

montalegre santos Joaquim Santos (Ford Focus)

Reis, vence a primeira corrida dos Kartcross

No Kartcross, que teve 17 participantes, pois não falou ninguém, a novidade prende-se com Pedro Rosário, o já Campeão, e Luís Almeida, ambos em Semog, terem trocado entre si, de kartcrosses.

Além disso, a estreia de dois pilotos Hugo Silva (JRS Demo) e Rogério Sousa (ASK Evo 8)

Duas séries, em cada corrida, com a segunda série a ser a mais rápida. Assim a vitória foi de Mauro Reis (HSport), seguido de Luís Almeida (Semog) e José Luís Pereira (Ag Sport). Os três primeiros da segunda série.

Depois, classificou-se Sérgio Castro (Ask EVO 14), o vencedor da série incial, seguido de Pedro Rosário (Semog Bravo ER), José Mota (Semog), Rui Nunes (Semog), Jorge Gonzaga (Ask R268), Pedro Palma (Semog) e José Pinheiro (Semog Bravo ER). Foram estes os 10 primeiros.

Na luta pelo segundo lugar no Campeonato, entre José Luís Pereira e Jorge Gonzaga, foi o primeiro quem levou a melhor, nesta corrida inicial.

montalegre kartcross Mauro Reis (HSport), Luís Almeida (Semog Bravo ER), José Luis Pereira (AG Sport)

As provas recomeçam amanhã, pelas nove horas e 30 minutos, com a realização da Warm up.

 

Meia centena em Montalegre

O Campeonato Nacional de Ralicross, Kartcross e Super Buggy tem a última prova marcada para o próximo fim-de-semana na pista barrosã.

Inicialmente a prova estava marcada para o primeiro fim-de-semana de Outubro, mas a realização das eleições autárquicas motivou a mudança de data.

Assim, 14 e 15 foram os dias possíveis, com os problemas que acarreta a realização de uma prova, logo após uma sexta-feira 13. A questão não tem a ver com superstições, mas sim com festa da grande, como são habitualmente as sextas 13 em Montalegre e por isso os alojamentos ficam completamente esgotados num raio de dezenas de quilómetros.

Ora, a escassez de quartos explica em grande medida a consequente escassez de pilotos, que com os títulos já atribuídos na maioria das categorias, preferiram terminar o campeonato um pouco mais cedo e, quem sabe, apostar na Taça que se vai realizar cerca de duas semanas mais tarde.

Os títulos em aberto 

Os Super Car ainda não têm campeão, mas o título dificilmente escapará de Joaquim Santos. Pedro Matos está a 32 pontos e ao homem da Bompiso, bastará controlar o andamento do adversário.

 Já na Super Nacional A 1.6, tudo está bem mais complicado. Sérgio Dias está na frente, mas os três primeiros estão separados por 17 pontos e há 43 em jogo. Ora, apesar da vantagem, Sérgio Dias pode ser ultrapassado por Luís Morais e Pedro Tiago.

De realçar a atitude do quarto classificado, Daniel Leal, que prescindiu das duas primeiras pontuações, conquistadas nas provas iniciais do campeonato, em que correu integrado na Super 1600 e dessa forma permitiu que mais pilotos aderissem à categoria e assim viabilizou o aparecimento da Super Nacional A 1.6, como prova autónoma. Em boa hora o desportivismo de um piloto contribuiu para o bem da modalidade.

A prova inicia-se Sábado a partir das 14.00 horas, com treinos e a primeira corrida de qualificação. Domingo a acção regressa à pista, prevê-se, pelas 09.00 horas e as finais serão realizadas a partir das 14.00. O Clube Automóvel de Vila Real é responsável pela organização.

cnrx montalegre 

 

 

51º Ralicross de Mação - Domingo

Mação foi palco da penúltima prova do Campeonato Nacional de Ralicross, Kartcross e Super Buggy, prova que serviu já para definir alguns dos Campeonatos, no que ao título diz respeito. Ana Matos é já a virtual Campeã Nacional de Ralicross na Super Nacional 4WD. Em situação idêntica estarão também Luís Moreira, na Super Nacional 2RM, João Ribeiro na Super 1600, João Novo na Iniciação e Pedro Rosário nos Kartcross. Claro que estes resultados terão que ser devidamente validados pela FPAK.

macao anamatos Ana Matos (Mitsubishi Lancer EVO VI) macao moreira santinho Luís Moreira (BMW 325i) macao joao ribeiro João Ribeiro (Citroen Saxo S1600)

Finais

Super Iniciação

Rafael Rocha (Peugeot 106) teve que se defender de João Novo (Peugeot 106) na curva um, par manter a liderança. Depois foi assim toda a primeira volta. Ao passar pela meta, Rafael falhou a caixa e deixou de poder defender a primeira posição.

A partir daí João Novo passou a liderar, trazendo Pedro Domingos (Toyota Starlet) logo atrás. Rocha passou a rodar em ritmo lento, cumprindo as voltas que faltavam.

IMG 8970 João Novo (Peugeot 106)

Super Nacional 2 RM

Santinho Mendes pode dizer que “o que mal começa, bem acaba” e depois do susto de ontem, quando teve que desistir com um problema de pressão de óleo, chegou à final em terceiro. Fez uma prova irrepreensível e venceu.

A estratégia das idas à joker lap, foi fundamental para o resultado final. Luís Moreira (BMW 325i) partiu na frente e “aguentou” Santinho em segundo, mas quando chegou a vez de ir à “volta grande”, ficou na segunda posição e já não havia “volta a dar”.

Paulo Reis (Renault Clio) fez uma prova inteligente. Geriu o terceiro posto, certamente na esperança de que algo corresse mal para os da frente, mas teve que se contentar com o mais baixo do pódium.

Arlindo Martins (Peugeot 306) ficava a comandar o grupo da perseguição e levava a melhor sobre Ricardo Mendonça (Peugeot 306) e José Queirós (Peugeot 309). 

O segundo posto de Luís Moreira, permitir-lhe-á ser já o virtual campeão nacional da categoria.

IMG 9026 Partida da Super Nacional 2RM

Super Nacional A 1.6

Pedro Tiago (Peugeot 106) arrancou na frente e por aí foi ficando nas primeiras voltas. Daniel Leal (Citroen Saxo) rodava colado enquanto Sérgio Dias (Citroen Saxo) e Luís Morais (Peugeot 106) lutavam pelo terceiro posto e trocavam de posições.

Entretanto Daniel Leal atrasou-se e passou a ter Sérgio Dias a cobiçar o segundo posto, mas a bandeira xadrez baixava e Leal mantinha o segundo posto, atrás de Pedro Tiago.

IMG 9112 Partida Super Nacional A 1.6

Super 1600

João Ribeiro (Citroen Saxo S1600) fez uma prova irrepreensível, que lhe permitiu comandar e nem sequer chegou a perder o comando, na ida à joker lap. Com esta vitória o campeonato ficará, à partida, decidido a favor de Ribeiro.

Se é certo que Ribeiro dominou, é igualmente certo que o segundo posto, foi alvo da cobiça de quase todos. Só no final é que José Eduardo Rodrigues (Peugeot 206 S1600) pôde descansar, pois até aí foi um resultado “tirado a ferros”.

Desempenho semelhante teve Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600), que até chegou a estar em último, mas depois recuperou até terceiro, à frente de Mário Teixeira, com quem travou um luta interessantíssima.

Joaquim Machado, foi outro dos homens que passou pelo segundo posto, mas a transmissão do Peugeot 206 S1600 traiu-o e acabou em quinto.

IMG 9179 Partida da Super 1600

Super Car

Joaquim Santos (Ford Focus) dominou a corrida em que teve, mais uma vez, oposição de Pedro Matos (Citroen DS3). Santos conquistou vantagem nas voltas iniciais e depois “poupou” a mecânica nas finais.

Ana Matos (Mitsubishi Lancer EVO VI) colocou-se no terceiro posto, primeiro da Super Nacional 4WD. Na fase final da corrida teve alguma pressão por parte de Carlo Pereira (BMW 325 Ix), quer em termos de geral, quer em termos de categoria.

José Lameiro (Seat Leon), falhou a partida, talvez fruto de ainda estar a adaptar-se ao carro que estreou nesta prova. Dessa forma não pôde ir além do quinto posto.

IMG 9252 Partida Super Car

Super Buggy

Ludgero Santos (Toniauto TNTT) voltou a fazer, o que normalmente tem feito,  colocar-se na frente e deixando espaço para que Rafael Teixeira (Toniauto TT) e António Santos (Toniauto TT) discutissem a segunda posição. Nesta luta Teixeira acabou por levar a melhor, depois de ir ganhando tempo a António Santos, que ultrapassou a duas voltas do fim, à entrada da recta da meta.

Kartcross

Os dois principais candidatos ao título, respectivamente Pedro Rosário(Semog Bravo ER) e José Luís Pereira (AG Sport) partiam lado a lado. Não foram os mais rápido no arranque, mas logo de seguida era mostrada a bandeira vermelha. No meio da confusão, Pedro Rabaço tinha ficado de rodas para o ar.

Retomada a prova e a partida parecia “tirada a papel químico” da anterior. Rui Nunes (Semog Bravo) partia muito bem e colocava-se na frente, seguido de muito perto por Pedro Rosário e José Luís Pereira.

José Mota(Semog Bravo) andava na “cola” dos da frente,  mas  Jorge Gonzaga (ASK R268) era cada vez mais “uma sombra” do homem da Trans White. Chegaram a trocar de posições, mas Mota acabaria por levar o quarto posto para casa.

Luís Almeida (Semog) encerrou o grupo dos seis da frente.

Após corridas de qualificação

Super iniciação

Rafael Rocha (Peugeot 106) terminou a qualificação na frente. Uma vitória e dois segundos lugares dão-lhe a pole-position para a final.

João Novo (Peugeot 106) até venceu as duas corridas de Domingo, mas a desistência na primeira corrida impediu-o de ir mais longe.

Sem sorte esteve Pedro Domingos (Toyota Starlet). Um segundo posto no Sábado e duas desitência, uma por um toque e a segunda por a direcção ter partido, colocam-no em terceiro.

Super Nacional

Luís Moreira (BMW 325i) fechou as contas na frente da classificação. Venceu duas corridas e na tereira, teve que ceder aos ataques de Santinho Mendes (Opel Astra) . Aliás a segunda corrida, em que ambos se defrontaram, teve um certo sabor a final, com os dois da frente a terminarem separados por duas décimas.

Santinho Mendes não teve sorte na primeira corrida, em que um incidente bizarro, na suspensão do Opel Astra, que cedeu e cortou um tubo de óleo, motivou a sua desitência.

Paulo Reis (Renault Clio) fechou a qualificação com o segundo posto. Esteve sempre entre os da frente, teve nun segundo posto o melhor resultado e graças a isso terminou a qualificação em segundo, à frente de Santinho Mendes.

Arlindo Martins (Peugeot 306), José Queirós (Peugeot 309) e Daniel Sousa (Peugeot 106) completaram o grupo dos seis da frente.

Super Nacional A1.6

Pedro Tiago (Peugeot 106) fez o pleno e vai partir da pole-position para a final. Daniel Leal (Citroen Saxo) somou dois segundos lugares, mas na corrida do meio (a segunda) desistiu; mesmo assim terminou no segundo posto. Sérgio Dias aproveitou a desistência de Leal para ser segundo e assim assegurar o terceiro lugar da grelha.

Luís Morais (Peugeot 106) vai partir da quarta posição.

Super 1600

Com dois primeiros e um segundo lugar, João Ribeiro (Citroen Saxo S1600), terminou na frente da qualificação. 

Joaquim Machado (Peugeot 206) não começou da melhor forma, mas os dois segundo lugares no Domingo, garantem-lhe que parte da segunda posição para a final.

Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) teve no terceiro posto de Sábado o melho resultado, que lhe garante igual posição na grelha da final.

José Eduardo Rodrigues (Peugeoto 206 S1600) e Hélder Ribeiro (Citroen C2 S1600) são respectivamente quarto e quinto classificados, à frente de Bruno Gonçalves (Citroen Saxo S1600) que venceu a corrida de Sábado, mas nem sequer pontuou no Domingo.

Super Car

Joaquim Santos (Ford Focus) e Pedro Matos (Citroen DS3) discutiram a primeira posição e tiveram que “ir à negra”, para se saber quem seria o detentor da pole-position na final. Foi Joaquim Santos.

Ana Matos (Mitsubishi Lancer EVO VI) parte da terceira posição, é a senhor melhor classificada e simultaneamente a melhor da Super Nacional 4WD, sendo já virtual campeã da categoria.

José Lameiro (Seat Leon) foi quarto, terceiro dos Super Car, à frente de Calor Pereira (BMW 325 Ix), segundo da Super Nacional 4WD.

Super Buggy

Ludgero Santos (Toniauto TNTT) venceu duas das três corridas de qualificação, deixando espaço par que Rafael Teixeira (Toniauto TT) fosse sempre segundo e dessa forma tivesse igual posição para a final. António Santos (Toniauto TT) ganhou a terceira corrida, mas os dois terceiros na inicial, colocaram-no em terceiro para a grelha final.

Kartcross

Pedro Rosário (Semos Bravo ER) e José Luís Pereira (AG Sport) foram os protagonistas da luta pela pole-position. Rosário fez o pleno de vitórias e a primeira posição é do Campeão em título.

José Luís Pereira teve no quarto posto, na terceira corrida como pior resultado e dessa forma foi segundo à frente de Rui Nunes (Semog Bravo).

José Mota (Semog Bravo) encerrou as contas da qualificação em quarto, à frente de José Pinheiro (Semog Bravo ER) e de Pedro Palma (Semog).

João Moutinho está definitivamente em “dia não”. Depois do acidente de sábado, um capotanço aparatoso, sem consequências para o piloto, colou-o definitivamente fora da prova.

macao rosario domingo Pedro Rosário (Semog Bravo ER) macao capotanco Rui Nunes (Semog Bravo) passa por João Moutinho que tinha acabado de capotar com o HSport 600.